Engenharia de Produção

slider

Guia do Estudante: mais cursos estrelados
A PUC-SP aumentou o número de cursos estrelados na premiação Melhores Universidades,...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/guia-do-estudante-mais-cursos-estrelados
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/guia-do-estudante-estrelas-noticias.jpg
De 6/3 a 7/4, estão abertas as inscrições para novos projetos do PIBIC-CNPq, PIBIC-CEPE...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/programa-de-bolsas-de-iniciacao-cientifica
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/pibic-cnpq-template-carrossel-noticias.jpg
Foram prorrogadas até 27/3, às 12 horas, as inscrições aos docentes interessados em...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/pipeq-inscricoes-prorrogadas-ate-273
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/pos-graduacao-pipeq-carrossel-noticia_6.jpg
Apresentação 

A Engenharia de Produção é o ramo da engenharia responsável pelo gerenciamento dos recursos humanos, financeiros e materiais em um ambiente fabril. Sempre focado na otimização e aumento da produtividade, o Engenheiro de Produção é um profissional imprescindível atualmente nas empresas e indústrias de todos os setores, sendo o elo entre os setores técnico e administrativo.

O Engenheiro de Produção é capaz de agregar conhecimentos ao longo do curso, nas áreas de Administração, Economia e Engenharia, possibilitando racionalizar o uso de mão de obra, aperfeiçoar as técnicas de produção, ordenar atividades técnicas/logísticas/comerciais e integrar mão de obra/equipamentos/matéria prima, visando sempre o aumento da produtividade.
 

Perfis e Diferencial

O curso de engenharia de produção da PUC-SP possui um projeto pedagógico baseado nas grandes áreas da  Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO). O projeto do curso está atualizado e sintonizado com as atuais tendências e necessidades demandadas por um mundo globalizado e em constante mudança. O curso oferece a possibilidade aos alunos de fazer iniciação científica junto aos grupos de pesquisa formados pelo corpo docente, cadastrados no CNPQ. O curso também oferece atividades de monitoria e os alunos poderão participar de congressos científicos.

O conteúdo programático é fundamentado em uma sólida formação básica e também abrange todos os setores da engenharia de produção. Desta forma, o aluno é estimulado a desenvolver  uma visão especialista e também generalista da atividade da engenharia como uma mola propulsora do desenvolvimento nacional. A totalidade do corpo docente é formada por professores doutores com ampla experiência acadêmica e profissional.

Formas de Ingresso 
  • Processo seletivo por meio de exame vestibular aberto a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente;
  • Processo seletivo específico para portadores de diploma de graduação, sob condição de existência de vagas abertas pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Matrícula por transferência sob a condição de existência de vaga, obedecendo ao calendário da Universidade ;
  • Prouni, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Reopção de curso, aberta pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade.
 
Gestão 

As Faculdades são compostas por: Departamentos, Cursos de Graduação, Programas de  Pós-Graduação stricto sensu e lato sensu, Cursos e Atividades de Educação Continuada, Unidades Suplementares e Núcleos Extensionistas.

A Coordenação do curso é definida através de eleição entre os docentes candidatos que são pertencentes à carreira do magistério. A Coordenação eleita por dois anos de gestão, terá uma carga horária equivalente a 20 horas no qual serão dedicadas para as atividades didáticos/pedagógicos de coordenação, de atendimento aos alunos e professores e participação de comissões em reuniões com outras instâncias da universidade.

As atualizações e alterações realizadas no PPC (Projeto Pedagógico do Curso) são organizadas, acompanhadas e presididas pela Coordenação do curso, juntamente com o NDE (Núcleo Docente Estruturante) e o Colegiado do Curso de Engenharia de Produção.

Corpo Docente 

Alfredo Eduardo Maiorano  

Titulação:

Anos de Casa: 22 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 22 anos e 0 meses.

Disciplinas: Química

Acessar Curriculo

Antonio Carlos Gianoto  

Titulação:

Anos de Casa: 6 anos e 8 meses.

Tempo de Trabalho: 6 anos e 8 meses.

Disciplinas: Introdução à engenharia de produção

Acessar Curriculo

Carlos Antonio Franca Sartori  

Titulação:

Anos de Casa: 20 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 18 anos e 9 meses.

Disciplinas: Eletricidade básica (prática)

Acessar Curriculo

Cristiana Abud da Silva Fusco  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 32 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 32 anos e 0 meses.

Disciplinas: Cálculo diferencial e integral ii

Acessar Curriculo

Cristiane Rodrigues Caetano Tavolaro  

Titulação:

Anos de Casa: 28 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 28 anos e 0 meses.

Disciplinas: Química
Termodinâmica

Acessar Curriculo

David de Oliveira Lemes  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 8 anos e 7 meses.

Tempo de Trabalho: 8 anos e 7 meses.

Disciplinas: Marketing de relacionamento

Acessar Curriculo

Eduardo Kiochi Nakamiti  

Titulação:

Anos de Casa: 11 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 11 anos e 0 meses.

Disciplinas: Engenharia e análise de valor
Processos de fabricação e construção ii

Acessar Curriculo

Ely Antonio Tadeu Dirani  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 22 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 22 anos e 0 meses.

Disciplinas: Eletricidade básica
Física ii (prática)
Gestão da tecnologia e da inovação
Trabalho de conclusão de curso i

Acessar Curriculo

Fabrizio Leonardi  

Titulação:

Anos de Casa: 23 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 23 anos e 0 meses.

Disciplinas: Pesquisa operacional ii
Pesquisa operacional ii (prática)

Acessar Curriculo

Fernando Henrique Oliveira de Aguiar  

Titulação:

Anos de Casa: 5 anos e 6 meses.

Tempo de Trabalho: 5 anos e 7 meses.

Disciplinas: Engenharia de produto
Trabalho de conclusão de curso i

Acessar Curriculo

Flavio Jose Maciel  

Titulação:

Anos de Casa: 8 anos e 11 meses.

Tempo de Trabalho: 7 anos e 4 meses.

Disciplinas: Administração da cadeia de suprimentos
Análise de risco e retorno em projetos e empreendimentos
Gestão de projetos

Acessar Curriculo

Francisco Xavier Sevegnani  

Titulação:

Anos de Casa: 45 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 45 anos e 0 meses.

Disciplinas: Eletricidade básica
Fenômenos de transporte ii

Acessar Curriculo

Getulio Kazue Akabane  

Titulação:

Anos de Casa: 5 anos e 11 meses.

Tempo de Trabalho: 5 anos e 11 meses.

Disciplinas: Planejamento e controle da produção ii
Projeto de organização do trabalho

Acessar Curriculo

Giuseppe Renato Di Marzo  

Titulação:

Anos de Casa: 6 anos e 1 meses.

Tempo de Trabalho: 6 anos e 1 meses.

Disciplinas: Planejamento de produto

Acessar Curriculo

Igor Polezi Munhoz  

Titulação: Mestre

Anos de Casa: 1 anos e 7 meses.

Tempo de Trabalho: 1 anos e 7 meses.

Disciplinas: Modelagem, análise e simulação de sistemas
Modelagem, análise e simulação de sistemas (prática)
Projeto auxiliado por computador
Trabalho de conclusão de curso i

Acessar Curriculo

Izaira Kiytiro  

Titulação:

Anos de Casa: 20 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 18 anos e 11 meses.

Disciplinas: Algorítmos e estrutura de dados
Algorítmos e estrutura de dados (prática)

Acessar Curriculo

Josemary Angelica Correa Goncalves  

Titulação:

Anos de Casa: 20 anos e 7 meses.

Tempo de Trabalho: 20 anos e 7 meses.

Disciplinas: Física ii (prática)
Física moderna

Acessar Curriculo

Luiz Carlos de Campos  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 46 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 45 anos e 7 meses.

Disciplinas: Trabalho de conclusão de curso i

Acessar Curriculo

Lydia Rossana Ziccardi Vieira  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 42 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 36 anos e 3 meses.

Disciplinas: Cálculo diferencial e integral ii

Acessar Curriculo

Marcelo de Souza  

Titulação:

Anos de Casa: 6 anos e 7 meses.

Tempo de Trabalho: 6 anos e 7 meses.

Disciplinas: Gestão de qualidade
Instrumentação e metrologia
Normalização e certificação para a qualidade

Acessar Curriculo

Maria Inez Rodrigues Miguel  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 41 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 41 anos e 0 meses.

Disciplinas: Estatística ii

Acessar Curriculo

Paulo Roberto Moraes  

Titulação:

Anos de Casa: 26 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 24 anos e 8 meses.

Disciplinas: Gestão e ordenamento ambiental

Acessar Curriculo

Paulo Sergio Germano Carvalho  

Titulação:

Anos de Casa: 2 anos e 1 meses.

Tempo de Trabalho: 2 anos e 1 meses.

Disciplinas: Fenômenos de transporte ii

Acessar Curriculo

Rafael Barreto Castelo da Cruz  

Titulação:

Anos de Casa: 3 anos e 1 meses.

Tempo de Trabalho: 3 anos e 1 meses.

Disciplinas: Resistência dos materiais

Acessar Curriculo

Rosana Nunes dos Santos  

Titulação:

Anos de Casa: 28 anos e 0 meses.

Tempo de Trabalho: 26 anos e 10 meses.

Disciplinas: Física ii

Acessar Curriculo

Laboratórios 

Laboratórios de Informática: O curso conta com uma estrutura de laboratórios de informática administrada pela Divisão de Tecnologia da Informação (DTI) da PUC-SP. Com um total de 31 laboratórios de informática, divididos entre os campi Marques de Paranaguá (9), Monte Alegre (19) , Santana (2)  e Sorocaba (1), todos conectados em rede à uma velocidade de 100Mps.

Esses mais de 1000 computadores integram os cerca de 2300 computadores da grande rede PUCSPNet, totalmente conectada à Internet, onde utilizamos um link principal de acesso com velocidade de 1Gbps.

Contamos ainda com uma política de licenciamento de software através de programas educacionais e parcerias com empresas como IBM (IBM Rational), Microsoft (MSDN Academic Alliance), CorelDraw, Adobe (Flash, Dreamweaver, InDesign, Photoshop, Director),  além de softwares específicos como Vue, Cinema 4D, SPSS, SolidWorks, entre outros.

Laboratórios de Física e Engenharia: Os laboratórios de Física e Engenharia estão estruturados de modo a otimizar espaços e equipamentos.

Estão disponíveis para utilização do curso de Engenharia de Produção os laboratórios de uso comum (L1, L2, L3, L5 e L6) e laboratórios de uso específico: Laboratório de Mecânica dos Fluídos; Laboratório de Física Radiológica e Laboratório de Manufatura Integrada.

Avaliação do aluno 

Partindo do princípio que o curso foi concebido com o intuito de formar Engenheiro de Produção, adaptávelaos constantes e cada vez mais frequentes avanços tecnológicos, o sistema de avaliação do processo ensino-aprendizagem deve refletir esta realidade. Para avaliar a base sólida de conhecimentos adquiridos nas disciplinas fundamentais e nas de formação geral e específica, são aplicadas provas escritas e práticas buscando incentivar tanto a criatividade do  aluno  como seu raciocínio lógico e crítico na resolução de problemas.

O Curso de Engenharia de Produção da PUC-SP estabeleceu que a avaliação deverá ocorrer por dois mecanismos diferentes, de maneira a se obter um julgamento abrangente, com um resultado mais real daquilo que foi efetivamente absorvido pelo(a) aluno(a). Os mecanismos em questão são provas (escritas e/ou práticas) e atividades como seminários, projetos, trabalhos individuais ou em grupos.
O critério de avaliação para as disciplinas levará em consideração uma nota A de Atividades, desenvolvidas dentro de cada disciplina, e as provas P1 e P2 agendadas pelo professor da disciplina, salvo algumas exceções de outras formas de avaliação, mencionadas abaixo.

O critério adotado para o cálculo da Média Final (MF) será:

MF  =  0,3  A  +  0,2  P 1   +   0,5  P 2

onde:

P1: - Prova marcada pelo professor da disciplina na metade do semestre.
P2: - Prova marcada pelo professor da disciplina, no final do semestre, para cada disciplina.
A: - Nota referente às atividades realizadas no semestre, para cada disciplina.

Um cuidado adicional deverá ser tomado com a nota A, que deverá estar bem caracterizada nos planos de atividades das disciplinas e que envolvem outras formas de avaliação, tais como , seminários, pesquisas, listas de exercícios, projetos, trabalhos em grupos e outras. 

Nas disciplinas com laboratórios, além das notas dos relatórios/projetos (normalmente em grupo), pelo menos uma nota individual deverá ser atribuída ao aluno como, por exemplo, uma prova prática, contabilizada dentro das Atividades.
A aprovação do(a) aluno(a) acontecerá na situação em que MF ³ 5,0, com 75% ou mais de presença nas aulas de cada disciplina.

O(a) aluno(a) poderá realizar uma Prova Substitutiva (PS), que substituirá a nota P1 ou P2 no sentido de maximizar a média final, quando for o caso. A prova PS é uma prova aberta, ou seja, mesmo o(a) aluno(a)  que tenha sido aprovado (a) poderá realizá-la, sem prejuízo de nota.

TCC 

O(a) aluno(a) poderá elaborar sua pesquisa a partir do 9º período e passará a receber subsídios para preparar o TCC, por meio das disciplinas: “Trabalho de Conclusão de Curso 1I e 2”, respectivamente, totalizando 60 horas.

Haverá uma relação de temas, oferecida pelo Coordenação do Curso, permitindo ao aluno  a escolha daquele que mais lhe interessar. No entanto, o (a) aluno (a) poderá sugerir ao Coordenador do curso um tema de seu interesse e que não conste da relação proposta. Caberá  a Coordenação avaliar a sugestão do(a) aluno (a) e aceitar ou não o tema proposto. 


Objetivos


Objetivos Gerais

O Trabalho de Conclusão de Curso tem como principal objetivo o desenvolvimento de uma atividade, onde o aluno deverá projetar, desenvolver e montar um projeto relacionado com Engenharia de Produção. Os trabalhos serão desenvolvidos com a orientação do  professor  da disciplina TCC do curso de Engenharia de Produção, o qual deverá dar assistência técnica a turma.  Esta será formada com no mínimo 08 (oito) alunos e no máximo 10 (dez) alunos. Através de reuniões semanais durante o horário da aula de TCC o professor fará o acompanhando do desenvolvimento do trabalho.  A subdivisão da turma fica a cargo do professor.

A presença do TCC na organização curricular atende ao disposto no art. 5º, §1º, e art. 7º, parágrafo único da Resolução CNE/CES nº 11/2002, que preveem: “Deverão existir trabalhos de síntese e integração dos conhecimentos adquiridos ao longo do curso, sendo que, pelo menos um deles deverá se constituir em atividade obrigatória como requisito para a graduação” e “É obrigatório o trabalho final de curso como atividade de síntese e integração de conhecimentos”.


Objetivos Específicos

  • Possibilitar (a)os alunos o desenvolvimento de um tema de projeto, onde os conhecimentos adquiridos no decorrer do curso possam ser aplicados;
  • Desenvolver o espírito de equipe para a solução e desenvolvimento de um projeto;
  • Possibilitar a parceria entre a indústria e a universidade no desenvolvimento de um projeto de interesse comum.
Atividades de formação 

A principal característica do curso de Engenharia de Produção da PUC/SP é de formar em cinco anos, um Engenheiro de Produção com caráter generalista. Diferentemente de outras instituições de ensino que adotam uma frente de conhecimento da Engenharia (Elétrica, Mecânica, Química) como eixo de conhecimento do curso, esse é um diferencial importante, mas não o único do curso. Além do caráter generalista, o curso utiliza intensivamente novas técnicas de ensino-aprendizagem, tais como EAD (Educação a Distância) e PBL (Project Based Learning, ou ensino baseado em projetos), evitando-se assim a simples e monótona memorização e repetição de fatos e exercícios e permitindo que a participação ativa do aluno durante as aulas, contribuindo para o desenvolvimento do trabalho em equipe.

Estágio curricular 

O Estágio Supervisionado constitui um processo de transição profissional, que procura ligar duas lógicas (educação e trabalho) e que proporciona ao estudante a oportunidade de demonstrar conhecimentos e habilidades adquiridos e também desenvolver competências sob supervisão de um profissional da área.

O Estágio Supervisionado deve favorecer a descoberta, ser um processo dinâmico de aprendizagem em diferentes áreas de atuação no campo profissional, dentro de situações reais de forma que o aluno possa conhecer compreender e aplicar, na realidade escolhida, a união da teoria com a prática.

Para fortalecer o elo entre o conhecimento adquirido e sua aplicação, com a maior amplitude possível, o aluno do curso de Engenharia de Produção deverá cumprir, pelo menos, 160 horas de estágio in loco. Entretanto o aluno será estimulado a cumprir uma carga horária maior de estágio visando seu aprimoramento profissional e melhor preparo para o mercado de trabalho. Tal estágio deverá ser realizado sob a orientação de profissionais da área da Engenharia de Produção, em instituições reconhecidas, que possam fornecer a possibilidade de contato com experiências práticas com qualidade nos níveis recomendados pela Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO), entre outras. Além disso, o Estágio será supervisionado através uma disciplina denominada Supervisão de Estágio, constantes da organização/composição curricular do curso, totalizando 30 horas. Esta disciplina será de responsabilidade de um professor do Curso de Engenharia de Produção que terá, entre outras obrigações, as de:

  • Supervisionar e acompanhar o estágio obrigatório;
  • Coletar, Organizar e verificar a validade dos documentos entregues pelo (a) aluno(a) e enviar a pasta com a documentação à Secretaria da FCET.
Grade Curricular 
Campus Consolação - Marquês de Paranaguá
Selecione o período:
Mensalidades 

A Universidade adota o Regime Financeiro semestral ou anual de cobrança, de acordo com o Projeto Pedagógico do curso, sendo a semestralidade ou anuidade paga em até 06 (seis) ou em até 12 (doze) parcelas mensais sucessivas, conforme o caso.
 
O cálculo das mensalidades é feito com base em todas as atividades (disciplinas e outros componentes curriculares) relativas a cada período letivo do curso, de acordo com seu Projeto Pedagógico.

Valor da mensalidade
O Edital de Mensalidades é publicado nos quadros de aviso da Universidade e os valores de cada curso são calculados com base nas atividades pedagógicas previstas.

Aproveitamento de Estudos
O estudante que ingressar através do processo de Transferência ou pelo processo de Portador de Diploma e tiver aproveitamento de estudos e/ou adaptação curricular, realizará a matricula nas atividades pedagógicas de acordo com o plano de estudos elaborado pela coordenação do curso.

Reajustes de mensalidades
Os valores das mensalidades estão sujeitos aos reajustes conforme Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.

Data do vencimento
A data de vencimento de cada mensalidade ocorrerá sempre no dia 5 (cinco) de cada mês.

Pagamento
Os pagamentos efetuados até o dia 1º do mês serão - por mera liberalidade - objetos de um desconto por antecipação, conforme discriminado no boleto. Este desconto pode ser suspenso sem prévio aviso.

Reconhecimento 

1.095, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2015

Duração 

05 anos

Avaliação do curso 

A implantação da proposta da Reforma do Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia de Produção da PUC - SP será acompanhada pelo NDE - (Núcleo Docente Estruturante) do curso de Engenharia de Produção.

A avaliação do Projeto será orientada pelos trabalhos da Comissão Própria de Avaliação da PUC/SP, denominada CPA-PUC/SP, instituída em atendimento ao disposto no art. 11, inciso I da referida Lei Federal nº 10.861, de 14/04/2004, cujos procedimentos foram regulamentados pela Portaria do MEC nº 2.051, de 09/07/2004. A Universidade, por meio do Ato do Reitor nº 12/2004, de 14/06/2004 e Ato da Reitora nº 03/2016, publicada em 26/01/2016, instituiu a comissão com as atribuições de condução dos processos de avaliação internos da instituição, de sistematização e de prestação das informações solicitadas pelo INEP, nos termos da lei. No mesmo ato, foram nomeados os componentes da Comissão, com representantes dos três segmentos da comunidade universitária, assim como da Sociedade Civil. As atividades serão desenvolvidas de acordo com as recentes Diretrizes da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) para a Auto Avaliação das Instituições e com as “Orientações Gerais para o Roteiro da Auto Avaliação das Instituições”.

Competência e habilidades 

Estas são as competências e habilidades que um engenheiro de produção deve possuir:

  • Conceber, projetar, implementar, analisar e otimizar sistemas e processos produtivos, e produtos;

  • Ser apto a assumir a liderança em reconhecer problemas de engenharia em suas organizações e projetar soluções. Terão habilidades para desenvolver e identificar soluções exequíveis, fazer as modificações necessárias para a aceitação de uma proposta, e serem capazes de orientar um processo de implementação.

  • Identificar as melhores ferramentas contemporâneas para a solução do problema, aplicando-as e interpretando seus resultados, considerando os limites de tempo, data e recursos econômicos disponíveis;

  • Modelar sistemas de produção e auxiliar na tomada de decisões, através do uso de ferramentas matemáticas e estatísticas;

  • Fornecer e analisar demandas, com o emprego do conhecimento científico e tecnológico, desenvolver produtos ou melhorar as suas características e funcionalidades;

  • Incorporar conceitos e técnicas da qualidade em todo o sistema produtivo, tanto nos seus aspectos tecnológicos quanto organizacionais, aprimorando produtos e processos, e produzindo normas e procedimentos de controle e auditoria;

  • Antever mudanças no cenário produtivo e suas consequências nas organizações e na competitividade das corporações;

  • Acompanhar os avanços tecnológicos, organizando-os e colocando-os a serviço da demanda das empresas e da sociedade;

  • Compreender a interrelação dos sistemas de produção com o meio ambiente, tanto no que se refere a utilização de recursos escassos quanto à disposição final de resíduos e rejeitos, atentando para a exigência de sustentabilidade;

  • Empregar indicadores de desempenho e sistemas de avaliação de custos para avaliar a viabilidade econômica e financeira de projetos;

  • Gerenciar e otimizar o fluxo de informação nas empresas utilizando tecnologias adequadas.

  • Empregar habilmente o computador e tecnologias da informação como: forma de comunicação, ferramenta para realização de cálculos, ferramenta para simulação numérica, equipamento destinado à aquisição e análise de dados, ao controle de sistemas, etc.;

  • Manter uma postura crítico-reflexiva perante o conhecimento e tecnologias existentes, mantendo-se em constante processo de ampliação, atualização, pesquisa e transmissão de conhecimentos.

  • Comunicar-se eficazmente com pessoal de diferentes formações em diferentes níveis da organização;

  •  Ter capacidade de estabelecer rapidamente relações de trabalho e se familiarizar com novos domínios de aplicação;

  • Ser capaz de definir um problema efetivo, distribuir tarefas e delegar funções;

  • Ter iniciativa e ser empreendedor;

  • Saber comunicar-se oralmente e por escrito;

  • Assumir a responsabilidade por sua própria aprendizagem, incluindo a identificação de pontos fracos na sua formação e buscando recursos para saná-las;

  • Contribuir como membro ético e responsável da sociedade.
Áreas de atuação 

O(a) engenheiro(a) de produção tem atuação fundamental nas indústrias e empresas de diferentes setores da economia brasileira. É da responsabilidade do   Engenheiro de Produção a gerência dos recursos humanos, financeiros e materiais de uma organização buscando, como condição básica, o aumento da produtividade, competitividade e rentabilidade. Tanto em situações de economia plena como nas crises econômicas, onde a sobrevivência das empresas depende diretamente da redução de custos, da melhoria dos processos e da geração de novas oportunidades de negócios, é o(a) Engenheiro(a) de Produção que atua de forma determinante para gerar estes resultados. Sua formação associa conhecimento de engenharia a técnicas de administração e fundamentos de economia e engenharia, preparando-o(a) para adotar procedimentos e métodos que racionalizam o trabalho, aperfeiçoam técnicas de produção e ordenam as atividades financeiras, logísticas e comerciais de uma organização. Por atuar como elemento de ligação entre os setores técnicos e administrativos, seu campo de trabalho ultrapassa os limites da indústria.

Salário inicial é de 06 salários mínimos para uma jornada de seis horas diárias (fonte: Site Crea-SP - 2015).  

Vagas turnos e campi 
Histórico 

O curso de Engenharia de Produção foi criado em 2007 com o objetivo de aumentar a oferta de cursos de engenharia da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da PUC-SP. O projeto pedagógico do curso foi aprovado pelo Conselho Universitário e a primeira turma iniciou o curso em fevereiro de 2008. À época, só existia o curso de Engenharia Elétrica, criado em 1992. A escolha do curso de Engenharia de Produção deveu-se a uma pesquisa de mercado que apontou este curso como de ótima procura nos vestibulares e fundamental ao desenvolvimento do país. Os alunos que procuravam os cursos da PUC-SP ressentiam-se da falta de opção de cursos de engenharia, principalmente na área da Produção. Nesta especialidade, em todos os cursos existentes em São Paulo a procura pela graduação e a pós-graduação era bem maior que o número de vagas.

A infraestrutura que existia na FCET era suficiente para implantar 80% do curso. Os outros 20% foram, em grande parte, financiados pelas próprias mensalidades.


Os principais marcos da sua trajetória até a presente data são:

  • 27/02/12 a 01/03/2012 - avaliação in loco do curso
  • junho de 2012 – Reconhecimento do Curso pela Portaria SERES/MEC 118/2012 e publicado no Diário Oficial da União.
  • novembro de 2012 - registro do CREA.
  • dezembro de 2012 – formatura da 1ª turma de engenheiros.
  • dezembro de 2015 – Renovação de Reconhecimento pela Portaria SERES/MEC 1095/2015 e publicado no Diário Oficial da União, em 30/12/2015 – pag. 70;


Reformulação do PPC

A reformulação do curso não é muito extensa e sua principal motivação foi para tornar possível a estruturação de um ciclo comum, abrangendo as disciplinas do 1º e 2º anos dos cursos de Engenharia que são desenvolvidos no período noturno na FCET, a saber: Engenharia de Produção, Engenharia Civil, Engenharia Eletrônica (curso novo em fase de criação)  e Engenharia Mecânica (curso novo em fase de tramitação), com o objetivo de otimizar recursos e reduzir custos operacionais. Em razão desta adequação, além da necessidade de elevação da carga horária do curso, todas as disciplinas que eram desenvolvidas à distância serão oferecidas na modalidade presencial. Para manter o curso atualizado foram introduzidos novos conteúdos ao currículo do curso. As disciplinas introduzidas, tornam o curso mais atraente, visando o aumento da demanda, mas sem sacrificar a qualidade da formação do estudante.

Objetivos 

Objetivos gerais

  • Formar em cinco anos um engenheiro de  Produção com  caráter generalista, porém não superficial, apropriando-se eficientemente das 3.780 horas do curso;
  • Evidenciar, pelas ações pedagógicas ao longo do curso, que o aluno é o agente principal do seu processo de aprendizagem, onde é imperativo que ele se envolva, estudando, lendo, escrevendo, descrevendo, explicando, resolvendo exercícios e projetos e discutindo-os com seus colegas e professores;
  • Formar profissionais competentes que atuem na gestão dos Sistemas de Produção, buscando sempre o aperfeiçoamento e a racionalização dos resultados e recursos, a instalação, o controle e a melhoria desses sistemas, incluindo também o desenvolvimento de produtos, utilizando os conhecimentos da matemática, física e ciências sociais e os métodos de engenharia para desempenhar de forma adequada sua profissão com visão empreendedora e crítica da realidade social.


Objetivos específicos

  • Incentivar o aluno a desenvolver sua capacidade investigativa, inventiva e de solução de problemas;
  • Estimular a autonomia no aprender, provocando uma busca constante do aprimoramento profissional por intermédio da educação continuada;
  • Incentivar uma formação humanística do aluno e a importância do seu papel no exercício profissional como instrumento de promoção de transformações sociais, políticas, econômicas, culturais e ambientais;
  • Aprimorar sua capacidade de trabalhar em equipe, desenvolvendo o relacionamento interpessoal e exercitando a cooperação;
  • Despertar, desde cedo, o espírito empreendedor do aluno, estimulando-o a participar da geração de soluções inovadoras no âmbito da Engenharia de Produção e a desenvolver visão crítica para percepção de oportunidades de negócios;
  • Formar profissionais capazes de projetar, implementar e aperfeiçoar sistemas, produtos e processos;
  • Formar profissionais capazes de conceber, implementar e gerenciar programas de qualidade buscando a melhoria contínua e o atendimento das expectativas dos clientes e dos consumidores;
  • Formar profissionais capazes de analisar a viabilidade econômica e financeira de projetos de investimento, assim como levantar custos de produção industrial e de serviços;
  • Ressaltar a importância da Matemática não apenas como ferramenta, mas como linguagem, empregada na descrição de modelos que permitem a previsão do comportamento de sistemas;
  • Empregar intensivamente softwares e tecnologias da informação na simulação e solução de problemas na Engenharia de Produção;
  • Buscar a contextualização da teoria vista, sempre mostrando algumas de suas aplicações práticas. Os projetos de curso e aulas de laboratório cumprirão este papel, muitas vezes antecipando temas a serem tratados em aulas de teoria;
  • Estimular o uso intensivo da leitura, da compreensão e da produção de textos na língua portuguesa;
  • Formar profissionais com competências e habilidades para atender às necessidades do país em áreas de conhecimento das Ciências Exatas e da Terra, Engenharias e Multidisciplinar.
Grau 
Bacharelado
Regime de matrícula 
Semestre
Campus 
Campus Consolação - Marquês de Paranaguá
Modalidade 
Presencial
Coordenação 
Contato 

FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA
Endereço: Rua Marquês de Paranaguá, 111
Bairro: Consolação
Cidade: São Paulo – SP
CEP: 01303-050    
Tel.: 3124-7200
E-mail: secexatas@pucsp.br

Professor Fábio Delatore (fdelatore@pucsp.br)
Professor Fernando Aguiar (fhaguiar@pucsp.br)

 

 

Monitoria 

A atividade de Monitoria é regida na PUC-SP pela Deliberação do CEPE 02/2014, que diz:

Art. 2º - A monitoria, de natureza essencialmente pedagógica, é importante fator para a formação do estudante e para a sua iniciação à docência.
Art. 9º - Somente poderá exercer a monitoria na PUC-SP, o estudante regularmente matriculado em curso de Graduação, que tenha comprovado rendimento escolar.

Iniciação Científica 

A Iniciação Científica é uma atividade de pesquisa orientada por professores doutores para você vivenciar descobertas de respostas produzidas pela sua própria reflexão crítica, fundamentada por métodos e/ou técnicas de investigação científica.

a PUC-SP, o incentivo a essa prática é um dos fatores capazes de assegurar a excelência acadêmica dos cursos que oferece e por isso ela tem um Programa de Iniciação Científica: PIBIC.

A PUC-SP oferece dois tipos de apoio às bolsas de iniciação científica: o PIBIC-CEPE e o PIBIC-CNPq. O PIBIC-CEPE é o programa da própria PUC-SP e significa Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Conselho de Ensino e Pesquisa. Já o PIBIC-CNPq pertence ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, uma fundação federal vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

Maiores informações acessar o site http://www.pucsp.br/iniciacaocientifica/ .

Eventos 

Durante todo o ano são realizados diversos eventos na Faculdade de Ciência Exatas e Tecnologia, por exemplo, Encontro de Ciências Exatas e Tecnologia e Virada Tecnológica.

Os alunos são estimulados a participarem uma vez que as atividades proporcionam desenvolvimento acadêmico e complementam o conhecimento obtido em sala de aula. 

Situação 
Matrículas encerradas
ID Curso Totvs 
278
ID Filial Totvs 
2
Matriz Curricular 
Última atualização: 28/3/2017

Conecte-se à PUC-SP