1ª FLIPUC – Festa Literária da PUC-SP

topo-site-940px-x-325px-eepa-azul.png

 

1ª FLIPUC – Festa Literária da PUC-SP

 

Literatura transversal - 23 a 25 de outubro

A Educ – Editora da PUC-SP, cumprindo sua missão de produzir material de alta qualidade que promova o debate em todas as áreas do conhecimento, quer inovar e promover uma Festa Literária nos campi da PUC-SP, a FliPUC, visando incentivar a leitura e divulgar sua produção. 

A FliPUC acontecerá de 23 a 25/10/2017, no campus Monte Alegre. As mesas de debate ocorrerão no Tucarena e serão acompanhadas pela Feira de Livros no saguão em frente ao auditório.

 

 

Local

Tucarena
R. Monte Alegre, 1024 - Perdizes, São Paulo - SP, 05014-001.


 

 

 

Programação

 

16/10 - Esquenta FliPUC

19h00
Convidado internacional: Seth Siegel fala do seu livro Faça-se a água (lançado pela Educ)
Mesa de debatedores convidados (Teatro TUCA)

23/10 - Abertura da FliPUC

10h30
Caminhos da Crítica
Marcelino Freire e Frederico Barbosa
Mediação: Diana Navas
14h00
Autor Homenageado: Paulo Freire
Ana Maria Araújo Freire (viúva de Paulo Freire)

Lançamento da biografia de Paulo Freire – Paulo Freire: uma história de vida, de Nita Freire (Paz e Terra, 2017)
16h00
Literatura e Cultura Indígena
Kaká Werá e Ubiratan D’Ambrosio
Mediação: José Luiz Goldfarb
19h30
Repensar a Arte e a Literatura – Redes e Literatura
Lucia Santaella e Giselle Beiguelman
Mediação: Sergio Basbaum

24/10

10h30
Ciência e Tecnologia na África – Racismo e Ciência
Carlos Machado e Alexandra Loras
Mediação: Fernanda Alcântara
16h00
Literatura e Memória
Jacques Fux e Lira Neto
Mediação: Vera Bastazin
19h30
Literatura e Política
Laerte e Bernardo Kucisnky
Mediação: José Luiz Goldfarb

25/10

10h30
Literatura e Arte do Passado ao Presente
Ana Pato e Fabio Cypriano 
Mediação: Ana Salles Mariano
16h00
Tudo na Literatura
Raphael Montes e Jessé Andarilho  
Mediação: Carlos Eduardo Siqueira
19h30
Repensar a Cultura
Renato Mezan e Eliane Robert Moraes  
Mediação: Annita Costa Malufe
20h30
Show de Encerramento: Kleztival na PUC-SP
Banda Painted Bird
 
 
 

Realização:

Patrocínio:

Apoio

 

Convidados

23/10 - Caminhos da Crítica

MARCELINO FREIRE

Escritor, nasceu em 1967, em Sertânia, PE. Viveu no Recife e, desde 1991, reside em São Paulo. É autor, entre outros, dos livros Angu de Sangue (Ateliê Editorial) e Contos Negreiros (Editora Record – Prêmio Jabuti 2006). Em 2004, idealizou e organizou a antologia de microcontos  Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século (Ateliê Editorial). Alguns de seus contos foram adaptados para teatro. Participou de várias antologias no Brasil e no exterior. Contos Negreiros foi publicado em 2013 na Argentina, pela Editora Santiago Arcos e com tradução de Lucía Tennina, e, no México, pela Librosampleados, com tradução de Armando Escobar. Criou a Balada Literária, evento que, desde 2006, reúne escritores, nacionais e internacionais, pelo bairro paulistano da Vila Madalena. É um dos integrantes do coletivo EDITH, pelo qual lançou, em julho de 2011, o livro de contos Amar É Crime. No final de 2013, publicou seu primeiro romance, intitulado Nossos Ossos (Record), publicado também na Argentina, pela editora Adriana Hidalgo, e, na França, pela editora Anacaona, e com o qual ganhou o prêmio Machado de Assis 2014 de Melhor Romance pela Biblioteca Nacional. Coordena oficinas de criação literária desde o ano de 2003.

23/10 - Caminhos da Crítica

FREDERICO TAVARES BASTOS BARBOSA

Nasceu em 1961 em Recife, PE. Poeta, ensaísta e professor. Filho do crítico literário e professor João Alexandre Barbosa (1937 - 2006) e da professora e crítica de arte Ana Mae Barbosa (1936). Em 1967, muda-se com a família para São Paulo e quatro anos depois para os Estados Unidos, onde seus pais fazem cursos de especialização e pós-doutorado. Em 1979, retorna ao Brasil e ingressa no curso de Física da Universidade de São Paulo - USP, que abandona após dois anos, matriculando-se em Letras na mesma instituição. Em 1990, reúne seus poemas, publicados esparsamente em jornais e suplementos literários, na coletânea Rarefato. Atua, entre 1988 e 1993, como crítico literário para os jornais Folha de S. Paulo e Jornal da Tarde. Organizador de antologias de poesia, tem poemas traduzidos para o inglês, catalão, espanhol e francês. Dirigiu o Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, na Casa das Rosas.

23/10 – Autor Homenageado: Paulo Freire

ANA MARIA ARAÚJO FREIRE

Nasceu no Recife, em 1933. Filha dos educadores Genove e Aluízio Pessoa de Araújo, proprietários do Colégio Oswaldo Cruz, conviveu, desde muito cedo, com muitos intelectuais que lhe influenciaram o gosto com as coisas da educação. Cursou Pedagogia e é Mestre e Doutora em Educação. Casou-se, em primeiras núpcias, com Raul Carlos Willy Hasche, com quem teve quatro filhos. Deles vieram três netos. Viúva, casou-se com o educador Paulo Freire, em 1986. Foi ele que, sempre a chamando de Nita — apelido que ganhou na infância, quando os dois se conheceram —, perpetuou esse nome por todo o mundo.

23/10 - Literatura e Cultura Indígena

KAKÁ WERÁ JECUPÉ

Nasceu em 1964 em São Paulo. Escritor, ambientalista e conferencista de origem indígena caiapó, do grupo txucarramães. É fundador do Instituto Arapoty, empreendedor social da rede Ashoka de Empreendedores Sociais e conselheiro da Bovespa Social & Ambiental. Leciona, desde 1998, na Universidade da Paz (Unipaz) e na Fundação Peirópolis. Já fez conferências sobre respeito à diversidade cultural no Reino Unido, Estados Unidos, Israel, Índia, México e França. Foi candidato pelo Partido Verde ao Senado Brasileiro pelo Estado São Paulo nas eleições gerais no Brasil em 2014.

23/10 - Literatura e Cultura Indígena

UBIRATAN D’AMBROSIO

Nasceu em São Paulo em 1932. É matemático e professor. Dentre suas formações, destacam-se: Bacharel em Matemática pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (1954); Licenciado em Matemática pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (1955); Bolsista do Governo Italiano no Istituto Matemática dell’Università di Genova, Itália (1960-1961); Doutor em Matemática pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (1963). Tese: Superfícies generalizadas e conjuntos de perímetro finito (orientador: Jaurès P. Cecconi); Pós-doutoramento (Research Associate) no Department of Mathematics, Brown University, Providence,RI, USA (1964-1965). Laureado, em 2001, pela Comissão Internacional de História da Matemática com o Prêmio Kenneth O. May por contribuições à História da Matemática, também ganhou, em 2005, da Comissão Internacional de Instrução Matemática a medalha Felix Klein em reconhecimento por suas contribuições no campo da educação matemática. Professor Emérito da Unicamp, dirigiu, entre 1972 e 1980, o Instituto de Matemática, Estatística e Ciência da Computação daquela universidade. Consultor/Professor Visitante da Unesco no Programa de Pós-Graduação do Centre Pédagogique Supérieur, de Bamako, République du Mali (de 1970 a 1980), Diretor do Programa de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática na Unicamp, em convênio com a OEA/Organização dos Estados Americanos e o Ministério de Educação do Brasil (de 1975 a 1980), Presidente do Comitê Interamericano de Educação Matemática/Ciaem (1979-1987), tem ainda outras tantas distinções. Membro de várias sociedades científicas, dentre elas muitas que ajudou a fundar, destaca-se ainda por vasta colaboração em conselhos editoriais de órgãos destinados a publicações científicas e educacionais. Autor de livros e conferencista.

23/10 - Repensar Arte e Literatura: Redes e Literatura

LUCIA SANTAELLA

Professora titular no Programa de Estudos Pós-graduados em Comunicação e Semiótica da PUC-SP. Doutora em Teoria Literária pela PUC-SP e livre-docente em Ciências da Comunicação pela USP, é presidente honorária da Federação Latino-Americana de Semiótica e diretora do Cimid, Centro de Investigação em Mídias Digitais da PUC-SP. Também dirige o lado brasileiro do projeto de pesquisa Brasil-Alemanha (Capes/DAAD, 2000-2004) sobre Palavra e Imagem nas mídias. Seus interesses de pesquisa estão atualmente voltados para a Semiótica cognitiva e a Cibercultura. Organizou sete livros, e, de sua autoria, publicou outros vinte e três, entre os quais se incluem Matrizes da linguagem e pensamento - Sonora, visual, verbal (Iluminuras/Fapesp, Prêmio Jabuti 2002), Culturas e artes do pós-humano - Da cultura das mídias à cibercultura (Paulus, 2003) e Corpo e comunicação - Sintoma da cultura (Paulus, 2004).

23/10 - Repensar Arte e Literatura: Redes e Literatura

GISELLE BEIGUELMAN

Artista, pesquisadora e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). Seu trabalho inclui intervenções em espaços públicos, projetos em rede e aplicações para dispositivos móveis. Sua prática artística e intelectual se baseia em uma abordagem crítica das mídias digitais e de seus sistemas de informação. Investiga também as estéticas da memória, tendo organizado, entre outras, a exposição “Memória da Amnésia”, Arquivo Municipal (São Paulo, 2015), na qual abordou o que denomina “políticas do esquecimento” a partir dos monumentos paulistanos. Em 2016, realizou as individuais “Cinema Lascado”, Caixa Cultural (São Paulo) e “Quanto Pesa um Nuvem?” (Galpão Videobrasil). Participou das mostras coletivas “Unplace”, Fundação Calouste Gulbekian (Lisboa, 2015); da “3ª Bienal da Bahia”, Arquivo Histórico do Estado da Bahia (Salvador, 2014); “The Algorithmic Revolution”, ZKM (Center for Art and Media Karlsruhe, Alemanha, 2004-2008) e, na mesma instituição, “NET_Condition” (1999-2000). Suas obras integram coleções de museus nacionais e internacionais como ZKM (Alemanha), coleção de Arte Latino Americana da Universidade de Essex (Inglaterra), MAC-USP, entre outras.

24/10 - Ciência e Tecnologia na África – Racismo e Ciência

CARLOS EDUARDO DIAS MACHADO

Possui graduação (2003), licenciatura (2004) e mestrado em História Social (2009) pela Universidade de São Paulo e teve como orientador o professor doutor Dario Horacio Gutiérrez Gallardo da FFLCH-USP. O tema da dissertação de mestrado foi: População negra e escolarização na cidade de São Paulo nas décadas de 1920 e 1930. É alumni da International Fellowships Program - IFP (Fundação Ford), foi consultor da Editora Moderna na área de história da África e dos afro-brasileiros. Atua na área de ensino desde 1999 e trabalhou em instituições de destaque como Bradesco, Bank Boston (atual Banco Itaú), Projeto Travessia e nas Secretarias Municipal e de Estado da Educação de São Paulo. Foi arte-educador do Projeto “Pra Ler” no Museu da Língua Portuguesa (mantido pela Poiesis - Organização Social da Cultura), escritor de livro de divulgação científica, palestrante na Fundação Roberto Marinho (Projeto “A Cor da Cultura”), Fundação Cultural Palmares (Ministério da Cultura), professor em cursos de extensão universitária para diretoras, coordenadoras pedagógicas e professoras de educação infantil e fundamental e médio na CML Educacional, SME-PMSP e na Secretaria de Educação de Guarulhos. Tem experiência na área de História, atuando principalmente nos seguintes temas: branquidade, políticas públicas, negros; relações raciais; negros na ciência, tecnologia e inovação, ações afirmativas, diáspora africana, ações afirmativas e história da África. É coautor do livro Gênios da humanidade (DBA, 2017).

24/10 - Ciência e Tecnologia na África – Racismo e Ciência

ALEXANDRA LORAS

É uma das líderes francesas mais influentes com menos de 40 anos. Seus pontos de vista transformadores sobre raça, gênero, sexualidade e poder lhe trouxeram em 2013 o prêmio Mulher destaque do ano OBME (Organização Brasileira das Mulheres Empresarias). É coautora do livro Gênios da humanidade (DBA, 2017).

24/10 - Literatura e Memória

JACQUES FUX

Nasceu em Belo Horizonte em 1977. Com profícua vida acadêmica, Jacques é graduado em matemática e mestre em ciência da computação pela UFMG, doutor e pós-doutor em literatura pela UFMG, pela Universidade de Lille 3 (França) e pela Unicamp, além de pesquisador visitante na Universidade de Harvard.

Doutor em Literatura Comparada pela UFMG e pela Université de Lille 3. Foi pesquisador visitante na Universidade de Harvard. Pós-doutor em Teoria Literária pela Unicamp. Publicou os livros: Literatura e matemática: Jorge Luis Borges, Georges Perec e o Oulipo (Perspectiva, 2016), vencedor do Prêmio Capes pela melhor tese do Brasil e finalista do Prêmio APCA. Venceu o Prêmio São Paulo de Literatura em 2013 com o livro Antiterapias. Publicou ainda: Brochadas: confissões sexuais de um jovem escritor (Rocco, 2015) e Meshugá: um romance sobre a loucura (José Olympio/Record, 2016), vencedor do Prêmio Manaus de Literatura em 2016.

 

24/10 - Literatura e Memória

LIRA NETO

Nasceu em Fortaleza, CE, em 1963. Jornalista e escritor, ganhou o prêmio Jabuti em 2007, na categoria melhor biografia, por O Inimigo do Rei: Uma biografia de José de Alencar, publicado pela Editora Globo. É autor também de Maysa: Só numa multidão de amores (Globo, 2007) e Castello: A marcha para a ditadura (Contexto, 2004).

24/10 - Literatura e Política

LAERTE COUTINHO

Nasceu em 1951, São Paulo, é uma cartunista e chargista brasileira, considerada uma das artistas mais importantes na área no país. Estudou comunicações e música na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, porém não se formou nesses cursos. Laerte participou de diversas publicações como a Balão e O Pasquim. Também colaborou com as revistas Veja e IstoÉ e os jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo. Criou diversos personagens, como os Piratas do Tietê e Overman. Em conjunto com Angeli e Glauco (e mais tarde Adão Iturrusgarai) desenhou as tiras de Los Três Amigos.

24/10 - Literatura e Política

BERNARDO KUCINSKI

Jornalista, escritor e ex-professor da USP, trabalhou como assessor da Presidência da República durante o primeiro mandato do presidente Lula. Doutor em Ciências da Comunicação pela USP com tese sobre a imprensa alternativa no Brasil entre 1964 e 1980. Ganhou o Prêmio Jabuti de Literatura em 1997. No período de fevereiro de 2003 a junho de 2006, foi Assessor Especial da Secretaria de Comunicação Social (Secom), da Presidência da República. Aposentou-se como professor titular da Universidade de São Paulo, junto à Escola de Comunicações e Artes – Departamento de Jornalismo e Editoração.

25/10 - Literatura e Arte do Passado ao Presente

FABIO CYPRIANO

Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, com tese sobre a coreógrafa alemã Pina Bausch, razão pela qual viveu três anos em Berlim, na Alemanha (1997 a 2000). Atua como crítico e repórter da Folha de S. Paulo, desde 2000, na área de artes plásticas, além de ser professor da PUC-SP, desde 1995, nos cursos de Jornalismo (graduação) e Jornalismo Cultural e Arte: Crítica e Curadoria (pós-graduação lato sensu). Atou como colaborador em várias outras publicações nacionais, como O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Bravo! e República; e internacionais, como  Frieze (inglesa) e  Flash Art (italiana); e escreve para revistas internacionais, como Revista da Dança (Lisboa) e Connaissance des Artes (Paris). Tem sido membro de júri de diversos salões de arte: Museu de Arte Moderna de Salvador (2004), Cultura Inglesa de SP (2004 e 2005), Flamboyant, em Goiás (2004), Ribeirão Preto (2003 e 2004), Campinas (2003) e Projeto Nascente da USP (2005). É autor de Pina Bausch (Cosac Naify, 2005) e coautor de História das exposições / casos exemplares (Educ, 2016), entre outros.

25/10 - Literatura e Arte do Passado ao Presente

ANA PATO

É curadora e pesquisadora. Doutora pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, com bolsa FAPESP e mestra em Artes Visuais pela Faculdade Santa Marcelina. Foi curadora das exposições 20º Festival de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil (2017), Quanto Pesa uma Nuvem?, de Gisellle Beiguelman (2016) e da 3ª Bienal da Bahia (2014). Foi pesquisadora-associada do Museu de Arte Moderna da Bahia (2015) e diretora da Associação Cultural Videobrasil, onde trabalhou entre 2000 e 2012. É autora do livro Literatura Expandida: arquivo e citação na obra de Dominique Gonzalez-Foerster (2012). Em suas pesquisas, dedica-se às relações entre arte contemporânea, arquivo e memória.

25/10 - Tudo na Literatura

RAPHAEL MONTES

Nasceu em setembro de 1990, no Rio de Janeiro. Advogado e escritor, teve contos publicados em diversas antologias de mistério, inclusive na Playboy, na antologia Rio Noir e na prestigiada revista americana Ellery Queen’s Mystery Magazine.
Aos 20 anos, impressionou a crítica e o público com Suicidas (Benvirá), um suspense policial finalista do Prêmio Benvirá de Literatura 2010, do Prêmio Machado de Assis 2012 da Biblioteca Nacional e do prestigiado Prêmio São Paulo de Literatura 2013. Em breve, Suicidas será publicado em nova edição pela Companhia das Letras.

Aos 24 anos, publicou Dias Perfeitos (Companhia das Letras). O romance foi um fenômeno: teve os direitos de tradução vendidos para 22 países e foi escolhido como Livro do Mês na Amazon norte-americana. No exterior, o livro mereceu resenhas em jornais como The Guardian e Chicago Tribune, recebeu elogios de autores internacionais e foi considerado uma espécie de “irmãos Coen brasileiro”.

Em agosto de 2015, Raphael publicou seu terceiro livro, O Vilarejo (Suma de Letras), um romance fix up de terror que fez grande sucesso entre o público jovem e mereceu comparações com Stephen King.

Em dezembro de 2016, publicou Jantar Secreto (Companhia das Letras), integrando a lista de mais vendidos daquele mês e com direitos de tradução vendidos para França, República Tcheca, Espanha e Polônia.

25/10 - Tudo na Literatura

JESSÉ ANDARILHO

Nascido no Rio de Janeiro em 1981, no bairro do Lins, Jessé foi criado em Antares, conjunto habitacional popular criado no início da década de 1970 na Zona Oeste da cidade, para receber moradores de favelas removidas da Zona Sul. Até começar a escrever, Jessé trabalhou em inúmeras atividades. Abriu um lava-jato na favela e, quando não tinha serviço, usava as mangueiras para limpar as caixas d’água dos moradores. Seu interesse pela literatura e pela escrita começou por acaso, quando ganhou de presente o livro Zona de Guerra, de Marcos Lopes. Saiu dizendo para todo mundo que tinha muitas histórias como as do livro para contar. Até que ouviu de um amigo: “Tem história melhor que a do cara, então vai lá e escreve!”. Jessé não pensou duas vezes e começou a escrever. Assim nasceu o Fiel (Objetiva) e também o codinome Andarilho.

25/10 - Repensar a Cultura

RENATO MEZAN

Concluiu o doutorado em Departamento de Filosofia da Faculdade de Filosofia, Letras pela Universidade de São Paulo em 1981. Atualmente é professor titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Publicou 66 artigos em periódicos especializados. Possui 48 capítulos de livros e 13 livros publicados. Possui 166 itens de produção técnica. Em 2015, recebeu o Prêmio Jabuti por seu livro O Tronco e os Ramos - Estudos de História da Psicanálise, na categoria Psicologia, Psicanálise e Comportamento. Orientou 71 dissertações de mestrado, 32 teses de doutorado e 5 trabalhos de pós-doutorado na área de Psicanálise. Atua na área de Psicologia, com ênfase em Tratamento e Prevenção Psicológica. Em seu currículo Lattes os termos mais frequentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Psicanálise, psicanálise aplicada, teoria psicanalítica, Freud, epistemologia e clínica psicanalítica.

25/10 - Repensar a Cultura

ELIANE ROBERT MORAES

É professora de Literatura Brasileira no Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da FFLCH da Universidade de São Paulo (USP), onde se graduou em Ciências Sociais (1984), e defendeu mestrado (1990) e doutorado (1996) em Filosofia. Foi professora titular da Faculdade de Comunicação e Filosofia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e também atuou como professora visitante nas universidades da Califórnia em Los Angeles (UCLA-USA), de Paris Nanterre (PARIS 10-FR), de Perpignan Via Domitia (UPVD-FR) e Nova de Lisboa (UNL-PT). Realizou pesquisas e publicou trabalhos sobre as relações entre estética e erótica; sobre o Marquês de Sade e a literatura libertina do século XVIII europeu; sobre Georges Bataille e o surrealismo francês; sobre o erotismo modernista na França e no Brasil; sobre a poesia erótica brasileira; sobre Mário de Andrade, Dalton Trevisan, Roberto Piva, Hilda Hilst e Reinaldo Moraes, entre outros. Atualmente se dedica a investigar figuras do excesso na prosa de ficção brasileira dos séculos XX e XXI. Orienta trabalhos em nível de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado, além de supervisionar estágios de pós-doutorado.

 

 

Curadores

JOSÉ LUIZ GOLDFARB

Possui graduação em Física pela Universidade de São Paulo (1978), mestrado em Filosofia e História da Ciência - McGill University, Canadá (1980) e doutorado em História da Ciência pela Universidade de São Paulo (1992). Atualmente é professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Diretor da EDUC e presidente da Cátedra de Cultura Judaica da PUC-SP. É também Assessor Geral da Presidência da Associação Brasileira “A Hebraica” de São Paulo e diretor do KKL Brasil. É membro do conselho consultivo da Casa das Rosas, Associação Amigos do Museu Judaico de São Paulo, coordenador do projeto #Rede MIS, no Museu da Imagem e do Som de São Paulo. É também Membro Honorário da Academia Paulista de Educação. Tem experiência na área de História, com ênfase em História das Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: história da ciência e ciência no século XVII, influências herméticas em Isaac Newton, ciência e religião, história da ciência no Brasil; bibliotecas públicas, políticas públicas de promoção do livro e da leitura, judaísmo, cinema, e elaboração, produção, viabilização e implantação de (Secretaria de Estado da Cultura), membro do conselho deliberativo da projetos e eventos culturais, e gestão de presença em redes sociais.

LUCIA SANTAELLA

Professora titular no Programa de Estudos Pós-graduados em Comunicação e Semiótica da PUC-SP. Doutora em Teoria Literária pela PUC-SP e livre-docente em Ciências da Comunicação pela USP, é presidente honorária da Federação Latino-Americana de Semiótica e diretora do Cimid, Centro de Investigação em Mídias Digitais da PUC-SP. Também dirige o lado brasileiro do projeto de pesquisa Brasil-Alemanha (Capes/DAAD, 2000-2004) sobre Palavra e Imagem nas mídias. Seus interesses de pesquisa estão atualmente voltados para a Semiótica cognitiva e a Cibercultura. Organizou sete livros, e, de sua autoria, publicou outros vinte e três, entre os quais se incluem Matrizes da linguagem e pensamento - Sonora, visual, verbal (Iluminuras/Fapesp, Prêmio Jabuti 2002), Culturas e artes do pós-humano - Da cultura das mídias à cibercultura (Paulus, 2003) e Corpo e comunicação - Sintoma da cultura (Paulus, 2004).

 

Mediadores

JOSÉ LUIZ GOLDFARB

Possui graduação em Física pela Universidade de São Paulo (1978), mestrado em Filosofia e História da Ciência - McGill University, Canadá (1980) e doutorado em História da Ciência pela Universidade de São Paulo (1992). Atualmente é professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Diretor da EDUC e presidente da Cátedra de Cultura Judaica da PUC-SP. É também Assessor Geral da Presidência da Associação Brasileira “A Hebraica” de São Paulo e diretor do KKL Brasil. É membro do conselho consultivo da Casa das Rosas, Associação Amigos do Museu Judaico de São Paulo, coordenador do projeto #Rede MIS, no Museu da Imagem e do Som de São Paulo. É também Membro Honorário da Academia Paulista de Educação. Tem experiência na área de História, com ênfase em História das Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: história da ciência e ciência no século XVII, influências herméticas em Isaac Newton, ciência e religião, história da ciência no Brasil; bibliotecas públicas, políticas públicas de promoção do livro e da leitura, judaísmo, cinema, e elaboração, produção, viabilização e implantação de (Secretaria de Estado da Cultura), membro do conselho deliberativo da projetos e eventos culturais, e gestão de presença em redes sociais.

SÉRGIO R. BASBAUM

É multiartista e pesquisador. Músico, bacharel em Cinema (ECA-USP), mestre e doutor em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), com pós-doutorado em filosofia (Unesp).

É professor do Programa de Estudos Pós-Graduados em Tecnologias da Inteligência e Design Digital (Tidd) da PUC-SP, onde dá continuidade à sua pesquisa interdisciplinar envolvendo arte, tecnologia e percepção.

É líder do Grupo de Pesquisa em Tecnoestése e Infocognição, no qual vem desenvolvendo encontros de estudo relacionados às diversas interfaces de pesquisa, bem como diferentes projetos. É autor de Sinestesia, arte e Tecnologia (Annablume/Fapesp) e de diversos artigos publicados no Brasil e no exterior.

Tem diversos trabalhos realizados como músico e artista.

Atualmente, dedica-se ao Duo Pantha Rei, em parceria com o também multiartista e pesquisador Wilton Azevedo, cujo trabalho performático explora a produção de improvisações audiovisuais eletrônicas.

VERA LÚCIA BASTAZIN

Possui graduação em Língua e Literatura Francesas e Língua e Literatura Portuguesas; mestrado e doutorado em Comunicação e Semiótica/ Literatura, pela PUC-SP, onde atualmente é professora-associada. Participou, nessa mesma Universidade, da fundação do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária do qual foi coordenadora por quatro gestões. Ministra aulas nos cursos de Graduação em Letras e do Programa de Pós-graduação em Literatura e Crítica Literária. Sua atuação ocorre nas áreas de Teoria Literária, Literatura Comparada, Literatura Brasileira e Portuguesa. Realizou estágio Pós-Doutoral, com Bolsa Fapesp, na Universidade do Minho, em Braga, sob a supervisão do Prof. Dr. Vitor Manoel de Aguiar e Silva. Suas pesquisas mais recentes estão centradas no romance contemporâneo. Participou da Diretoria da Abralic (2007-2008) e da Diretoria da Anpoll (2015-2016). Publicou, nos últimos anos Mito e Poética na Literatura Contemporânea - um estudo sobre José Saramago. (Ateliê Editorial, 2006, 2.ª edição/2017, no prelo). Em 2007, como resultado de pesquisa desenvolvida com professores de Filosofia, História e Literatura, lançou Literatura Infantil e Juvenil: uma proposta interdisciplinar (Articulação Universidade/Escola, em 2011), Poesia Contemporânea; Brasil/Portugal (Educ/Capes); e Literatura e Ensino: territórios em diálogo (Educ/Capes, 2017). Possui, também, vários ensaios, artigos e capítulos de livros publicados no Brasil e no exterior.

DIANA NAVAS

Graduada em Letras (Português/Inglês), mestre em Literatura e Crítica pela PUC-SP e doutora em Literatura Portuguesa pela USP. É professora no curso de Pós-Graduação Stricto Sensu em Literatura e Crítica Literária da PUC-SP, ministrando disciplinas referentes ao estudo da Literatura Portuguesa Contemporânea e da Literatura Infanto-Juvenil.

Dentre suas publicações, pode-se destacar as obras Narcisismo Discursivo e Metaficção (Scortecci, 2009); e Figurações da Escrita (Scortecci, 2013). É ainda editora da Revista Fronteiraz, revista do Programa de Literatura e Crítica Literária da PUC-SP, e uma das líderes do grupo de pesquisa "Literatura Infanto-Juvenil: Diálogos textuais, teóricos e críticos".

FERNANDA ALCÂNTARA

Editora-chefe da Revista Raça Brasil, atuando em seu corpo editorial desde 2013. Sua participação e defesa de grupos reconhecidos como minoria vêm desde criança, com base em toda a experiência que adquiriu de seu pai, o também ativista Maurício Pestana. Anteriormente trabalhou no Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert), ONG voltada à questão racial, e participou de diversas palestras, eventos e cursos com esse enfoque durante sua participação na instituição. Desse conhecimento entre as relações raciais no Brasil nasceu esse ímpeto de tentar unir diferentes frentes voltadas para a inclusão de minorias dentro da iniciativa privada.

ANA SALLES MARIANO

Graduada em Letras, com mestrado em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Chefe do Departamento de Arte da Faculdade de Filosofia Comunicação Letras e Artes. Professora de Literatura e de Oficina de criação de textos do curso de Letras e do Curso de Comunicação e Publicidade e professora do programa de Pós Graduação Lato sensu em Crítica e Curadoria. Foi Superintendente do teatro Tuca de 2003 a 2013, responsável pela curadoria do teatro e inúmeros projetos para inclusão cultural e formação de público. Criadora e coordenadora do Centro de Documentação e Memória do Tuca. Realizou o projeto GED Tuca, com apoio da Imprensa Oficial do Estado para digitalização do acervo do teatro. Coordenou a a recuperação, digitalização e inclusão do acervo da Associação Brasileira de Vídeo Popular à Videoteca da PUC que é especializada no atendimento às necessidades pedagógicas e de divulgação do vídeo e do cinema no espaço universitário. Participa do Grupo de Pesquisa “O narrador e as fronteiras do relato", do Programa de Estudo Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária.

CARLOS EDUARDO SIQUEIRA

Mestre em Literatura e Crítica Literária pelo Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária da PUC-SP, possui licenciatura em Letras: Português também pela PUC-SP e graduação em Comunicação Social - Habilitação em Publicidade e Propaganda pela Escola Superior de Propaganda e Marketing . Atualmente é Assistente Mestre da PUC-SP e ministra disciplinas nos cursos de Letras, Comunicação e Multimeios, Publicidade e Propaganda e no Curso de Especialização em Literatura. Atua principalmente nos seguintes temas: literatura brasileira, literatura portuguesa, poesia contemporânea, teoria literária, criação literária, redação publicitária e roteiro audiovisual.

ANNITA COSTA MALUFE

Professora do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária da PUC-SP. Doutora em Teoria e História Literária pelo IEL/ Unicamp, com tese publicada em livro: Poéticas da imanência: Ana Cristina Cesar e Marcos Siscar (7Letras/Fapesp, 2011). Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP com o trabalho também publicado: Territórios dispersos: a poética de Ana Cristina Cesar (Annablume/Fapesp, 2006). Realizou Pós-Doutorado sobre Samuel Beckett na USP (CNPq) no Departamento de Teoria Literária e pós-doutorado, na PUC-SP, sobre poéticas contemporâneas e a escrita do filósofo Gilles Deleuze. É autora de 6 livros de poemas.

 

Expositores

   

 

 

 

 

Conecte-se à PUC-SP