Apresentação

Edital

Na clínica da Derdic/PUCSP, os problemas de linguagem são recortados e acolhidos por diferentes clínicas: a psicanalítica, a foniátrica, a fonoaudiologica, a terapia ocupacional e, todas elas se interrogam a respeito da constituição do sujeito falante. A psicanálise tem formulado e proposto uma direção clínica possível para o tratamento das demandas específicas que chegam a instituição. Dentro do referencial teórico psicanalítico a linguagem não seria um instrumento do qual a criança se serve para "expressar-se" e/ou "comunicar-se", mas é ela mesma por sua estrutura, causa do sujeito. A constituição subjetiva, tal como formulada pelo referencial psicanalítico desde Freud e principalmente no ensino de Lacan, está referida a entrada do sujeito na linguagem, a partir de uma matriz simbolizante e de suas incidências sobre o organismo.

Este aprimoramento se propõe a estudar a problemática da constituição do sujeito, a partir do ensino de Lacan, perpassando o estudo de Freud, fundamentado na definição do sujeito como efeito da função significante, a partir das distintas articulações e incidências do simbólico sobre o organismo, que delimita a relação do sujeito com o desejo, que está submetido ele mesmo, à existência e função de um certo efeito significante. (Lacan, 1999:492). Os desdobramentos da constituição subjetiva e da fundação do inconsciente comparecem por vezes, atravessadas por impasses que se apresentam de diversos modos, como sintomas na fala, leitura e escrita, embaraços no direcionamento ao outro, e no laço social.

Sabemos que a proposta da psicanalise, é se ocupar das questões que fundam o psiquismo e, nesse sentido, esse aprimoramento também se delineia a partir destas questões, e propõe articular os aspectos instrumentais e estruturais que tangem o desenvolvimento entrelaçados com a constituição subjetiva, possibilitando a construção de leituras sobre os fenômenos que acometem o sujeito em suas particularidades.

Os transtornos globais do desenvolvimento, apresentado no título desse aprimoramento, segundo a CID 10 - Classificação Internacional de Doenças (1993) estabelecida pela Organização Mundial de Saúde, abrangem diferentes impasses na infância tais como: austimos (recentemente alçados a categoria de Transtornos do Espectro do Autismo - TEA), síndrome de Asperger, síndrome de Kanner e síndrome de Rett. Nesta classificação são descritos como distúrbios nas interações sociais recíprocas que costumam manifestar-se nos primeiros cinco anos de vida.  Considerar tal definição e articulá-la ao modo como a psicanálise propõe a leitura de tais fenômenos, colocando em relevo as questões que perpassam os distintos modos de subjetivação é a proposta desse aprimoramento. Assim sendo, a articulação do discurso da medicina com a psicanálise é fundamental, no sentido de produzir uma singularização que imprima as marcas da constituição subjetiva.

As discussões teóricas articuladas à supervisão do trabalho clínico sustentam o confronto entre a singularidade do caso e a universalidade inscrita na teoria possibilitando ao profissional não apenas aprimoramento de sua formação para atuação prática, mas também a abertura e preparação para o campo da pesquisa.


Objetivos

Este aprimoramento propõe estudo teórico-clínico ao profissional de psicologia dentro da especificidade conceitual e clínica da psicanálise para fundamentar sua compreensão das psicopatologias na infância entrelaçadas com impasses nas operações primordiais e constituintes do sujeito. Essa formação é enriquecida pela experiência de atendimento clínico institucional a partir de uma proposta interdisciplinar de tratamento seguido de supervisão de profissional qualificado na área em questão. Pretendemos então, a partir desta noção da teoria da constituição do sujeito, propor estratégias de intervenção.

Sobre o Curso
Professor em Destaque

Profa. Ana Carolina Afonso Lima Dias

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho-UNESP (2002). Mestranda em Psicologia Social pela PUC-SP. Especialização em Psicopatologia e Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da USP e Diagnóstico Diferencial das Patologias da Infância- PUC. Atuação na Docência e supervisão de estágios. Atualmente é psicóloga da Derdic -PUC, atuando como professora, de aprimoramento profissional e estágio extracurricular. Professora e orientadora do Centro universitário das faculdades metropolitanas unidas- FMU. Atuação na rede de saúde mental do município de São Paulo articulando as questões do atendimento psicossocial e a construção de redes intersetoriais (assistência, educação, saúde) na infância. Experiência na área de saúde mental e infância com ênfase em psicanálise e saúde pública, atuando principalmente nos seguintes temas: infância, autismo, clínica, instituições e CAPS infantil. Experiência na formação de profissionais, atuando como docente e supervisora nas áreas da saúde, assistência e educação.

Saiba Mais
Professor em Destaque

Profa. Débora Storni Ragazzo

Possui graduação pela Pontifícia Universidade de São Paulo-PUCSP (2011). Aprimoramento Profissional em Psicologia Hospitalar pelo Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE)/ IAMSPE e Aprimoramento em Psicanalise e Infância pela PUC-SP. Psicanalista, atua há 5 anos na área clínica com foco nas questões relacionadas à infância. Atualmente é psicóloga da Derdic - PUCSP, atuando como professora, de aprimoramento profissional e estágio extracurricular. Além disso, atua na articulação da psicanálise com a pediatra na formação de equipe interdisciplinar em Detecção Precoce de Sinais de Risco de Sofrimento Psíquico em Bebês. Experiência em instituições de saúde pública e equipes interdisciplinares no cuidado à crianças que apresentam impasses na constituição subjetiva. Linhas de pesquisa: Detecção Precoce de Sinais de Risco de Sofrimento Psíquico em Bebês e Intervenção Precoce, Autismo, Educação e Reabilitação.

Saiba Mais
Menu
Educação
Continuada
J.PUC-SP
Sou PUC