Share

Volume 13, NÚmero 1, JANEIRO - JUNHO, 2012

Resumos/Abstracts
[Versão Bilíngüe / Bilingual Version]


Silogismo Hegeliano e Inferencialismo em Brandom

Hegellian Syllogism and Inferentialism in Brandom

Agemir Bavaresco
Departamento de Filosofia
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – Brasil
abavaresco@pucrs.br

Resumo: Na Ciência da Lógica, no livro da Lógica do Conceito, Hegel trata do silogismo. Nosso objetivo é apresentar e analisar o silogismo hegeliano e relacioná-lo com o inferencialismo de Robert Brandom. Qual é a estratégia argumentativa de Hegel ao propor o silogismo na Lógica do Conceito? Como ele opera a dialetização do silogismo clássico? Em que medida a teoria do inferencialismo de Robert Brandom pode ser relacionada com o silogismo dialético-especulativo hegeliano? Hegel opera uma transformação dialética do silogismo, apresentando-o como o momento em que a subjetividade retoma as figuras racionais enquanto automovimento, dando-se uma realidade objetiva. A proposta inferencialista de Brandom insere-se no legado do Idealismo Alemão, focando-se, sobretudo, em Kant e Hegel. Propomos uma leitura do inferencialismo de Brandom como interpretação do hegelianismo pelo viés do pragmatismo americano, atualizando o silogismo da Lógica hegeliana.

Palavras-chave: Lógica. Silogismo. Inferencialismo. Pragmatismo.

Abstract: In Science of Logic, Hegel addresses syllogism, in the book Logic of Concept. Our goal is to present and analyze the Hegelian syllogism and relate it with the inferentialism of Robert Brandom. What is Hegel's argumentative strategy by proposing the syllogism in the Logic of Concept? How does he operate the dialectization of classic syllogism? To what degree can the theory of inferentialism of Robert Brandom be related to the dialectical speculative Hegelian syllogism? Hegel performs a dialectical transformation of the syllogism, presenting it as the moment when subjectivity recovers rational figures as self-motion, providing an objective reality. The inferentialist proposal of Brandom is part of the legacy of German Idealism, focusing especially on Kant and Hegel. We propose an inferential reading of Brandom as an interpretation of Hegelianism from the viewpoint of American pragmatism, updating the syllogism of Hegelian Logic.

Key words: Logic. Syllogism. Inferentialism. Pragmatism.


Pure Alethic Modal Logic

Lógica Modal Alética Pura

Jean-Yves Béziau
Departamento de Filosofia
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Pesquisador CNPq - Brasil
jyb@ifcs.ufrj.br

Abstract: This paper deals with pure alethic modal logics, i.e. logics having only two connectives, possibility and necessity. The different articulations of these two modal operators is studied. These logics are presented from the viewpoint of the Polish framework of a structural consequence relation. Matrix semantics, bivalent non truth-functional semantics and sequent systems are also provided.

Key words: Modal logic. Necessity. Possibility. Bivalent Semantics. Many-valued Semantics. Sequent Systems.

Resumo: Este trabalho trata de lógicas modais alèticas puras, ou seja tendo apenas dois conectivos, possibilidade e necessidade. As diferentes articulações desses dois operadores modais são estudados. Estas lógicas estão apresentadas na perspectiva Polonesa da relação de consequencia estrutural. Semânticas matriciais, semânticas bivalentes não verofuncionais e sistemas de sequentes também são apresentadas.

Palavras-chave: Lógica modal, Necessidade Possibilidade, Semânticas Bivalentes, Semânticas Polivalentes, Sistemas de Sequentes.

 

"The Mother-tongue of Thought": James and Wittgenstein on Common Sense

"A Língua materna do Pensamento": James e Wittgenstein sobre o senso comum

Anna Boncompagni
Dipartimento di Filosofia
Universitá degli Studi di Roma Tre – Italia
anna.boncompagni@uniroma3.it

Abstract: "Our later and more critical philosophies are mere fads and fancies compared with this natural mother-tongue of thought", says William James in his lecture on common sense. The deep bond connecting language, common sense and nature is also one of the main concerns of the later Wittgenstein. The aim of this paper is to compare the two philosophers in this respect, particularly focusing on James' Pragmatism and on Wittgenstein's On Certainty. Similarities, but also differences, will be highlighted. A further element will be offered by the analysis of a fragment of Wittgenstein's Nachlass, which anticipates his image of the river-bed of thought through the critique of James' stream of thought. By means of this comparison, I will question Wittgenstein's explicit refusal of pragmatism. I will argue that his late philosophy can be said to be even more pragmatist than James', in that it delineates a conception of the common sense certainties which shape our Weltbild (world-picture) as practically, and not merely epistemically, connected to our life.

Key words: Common sense. Weltbild. Certainty. Beliefs. James. Wittgenstein

Resumo: "Nossas filosofias recentes e mais críticas são meros modismos e fantasias comparados com essa língua materna natural do pensamento", disse William James em sua conferência sobre o senso comum. A ligação profunda que conecta a linguagem e o senso comum é também uma das principais preocupações do Wittgenstein tardio. O objetivo deste artigo é comparar os dois filósofos a este respeito, focando particularmente em Pragmatismo, de James, e Sobre Certeza, de Wittgenstein. Similaridades, mas também diferenças serão ressaltadas. Um elemento adicional será oferecido pela análise de um fragmento de Nachlass, de Wittgenstein, que antecipa sua imagem do leito do rio do pensamento através da crítica do fluxo do pensamento de James. Por meio desta comparação, questionarei a recusa explícita de Wittgenstein ao pragmatismo. Argumentarei que sua filosofia tardia pode ser dita como sendo ainda mais pragmatista do que a de James, na medida em que delineia uma concepção das certezas do senso comum que formam nossa Weltbild (mundo-imagem) como praticamente, e não simplesmente epistemicamente, conectada a nossa vida.

Palavras-chave: Senso comum. Weltbilt. Certeza. Crenças. James. Wittgenstein.

 

Practicing Freedom and Emancipating Practices: Foucault's Pragmatism and Dewey's Genealogies [Part I]

Praticando Liberdade e Emancipando Práticas: Pragmatismo Foucaultiano e Genealogias Deweyianas [Parte 1]

Vincent Colapietro
Department of Philosophy
Pennsylvania State University
vxc5@psu.edu

Abstract: The aim of this essay is to show how Foucault's critical engagement with the actual circumstances in which he was entangled, in effect, carries forward Dewey's own critical project. Dewey and the other pragmatists might have been awaiting (as Richard Rorty suggests) Foucault, Derrida, Deleuze, and other contemporary thinkers, but the latter can now assist the students of Peirce, James, Dewey, and other pragmatists in the efforts of these students to put pragmatism to work in our world. In particular, what Foucault enables us to do in this context is to read Dewey, precisely as a pragmatist, better than we would be able to do without reference to Foucault's archaeologies, genealogies, and problematizations. This becomes manifest if we focus on experience and thought. Thinking itself is, for Foucault no less than Dewey, experiential, whereas experience is not utterly devoid of thought. Accordingly, the experience of thinking and the thoughtful engagement with historical experience are linked to what Foucault calls "practices of freedom."

Key words: Pragmatism. Pluralism. Experience. Aesthetics of existence. Thought. Critique. Subjectivity. Agency. Enlightenment. Kant.

Resumo: O objetivo deste ensaio é mostrar como o engajamento crítico de Foucault, com as atuais circunstâncias em que ele estava enredado, com efeito, leva adiante o projeto crítico de Dewey. Dewey e outros pragmatistas podem ter esperado (como Richard Rorty sugere) Foucault, Derrida, Deleuze e outros pensadores contemporâneos, mas o último pode agora assistir estudantes de Peirce, James, Dewey e outros pragmatistas nos esforços destes estudantes para colocar o pragmatismo para trabalhar em nosso mundo. Em particular, o que Foucault nos permite fazer neste contexto é ler Dewey, precisamente como um pragmatista, melhor do que poderíamos fazer sem referência às arqueologias, genealogias e problematizações de Foucault. Isto se torna manifesto se o foco é sobre experiência e pensamento. Pensamento em si mesmo é, para Foucault não menos do que para Dewey, experiencial, enquanto experiência não é totalmente desprovida de pensamento. Portanto, a experiência do pensamento e do engajamento pensativo com a experiência histórica estão relacionados ao que Foucault chama "práticas da liberdade".

Palavras-chave: Pragmatismo. Pluralismo. Experiência. Estética da existência. Pensamento. Crítica. Subjetividade. Agência. Esclarecimento. Kant.


Peirce's Hermeneutical Circle

Círculo Hermenêutico Peirciano

David A. Dilworth
Philosophy Department
State University of New York at Stony Brook – USA
Dd9414@aol.com

Abstract: Peirce's generalizing genius can be traced from his "first" classification of fundamental categories to the more mature elaborations of his later career. His self-proclaimed hermeneutical circle consisted of amplifying and ramifying classifications of theoretic issues by an organic or holistic method that is in principle inimical to nominalistic approaches. With its "difference" logic, T. L Short's periodization of Peirce's career-text is an illustration of a nominalistic approach.

Key words: Peirce's career-text. Hermeneutical circles. Peirce's self-understanding of his contribution to systematic philosophy. Homoarchic vs. heteroarchic interpretations. Holistic vs. nominalistic methods. Short's method is nominalistic.

Resumo: O gênio generalizador de Peirce pode ser traçado desde sua "primeira" classificação das categorias fundamentais até as elaborações mais maduras de sua carreira tardia. Seu auto-proclamado círculo hermenêutico consistiu em amplificar e ramificar classificações de temas teóricos por um método orgânico ou holístico que é, em princípio, hostil a abordagens nominalísticas. Com esta "diferença" lógica, a periodização da carreira textual de Peirce de T.L. Short é uma ilustração de uma abordagem nominalística.

Palavras-chave: Carreira textual de Peirce. Círculos hermenêuticos. Auto-entendimento de Peirce de sua contribuição à filosofia. Interpretações homoarquicas vs. heteroarquicas. Métodos holístico vs. nominalístico. Método de Short é nominalístico.


Foucault e Dewey: Sugestões para um debate

Foucault and Dewey: Suggestions for a debate


Salma Tannus Muchail
salma@pucsp.br
Márcio Alves da Fonseca
Departamento de Filosofia
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
marciofons@uol.com.br

Abstract: Commenting on the lecture given by Professor Vincent Colapietro, this text suggests new approaches between Dewey and Foucault, together with a survey of some issues. The suggested approximations concern the following aspects: experience and thought, self-transformation, critical attitude, parrhesia

Key words: : Experience. Thought. Constituition of self. Self superation. Critique. Courage.

Resumo: Comentando a conferência do professor Vincent Colapietro, o texto sugere novas aproximações entre Foucault e Dewey, acompanhadas do levantamento de algumas questões. As aproximações sugeridas concernem os seguintes aspectos: experiência e pensamento, autotransformação, atitude crítica, parresía.

Palavras-chave: Experiência. Pensamento. Constituição de si. Auto-superação. Crítica. Coragem.

Para uma Crítica ao (Não-)Pragmatismo de Marx

Towards a Critique of Marx's (Non-)Pragmatism

José Crisóstomo de Souza
Departamento de Filosofia
Universidade Federal da Bahia
jose_crisostomo@uol.com.br

Resumo: Esse é um ensaio de crítica imanente, de viés pragmatista, centralmente das Teses ad Feuerbach, de Marx, mas não só, que procura interpretar, aproximar e distinguir suas formulações do que é aqui denominado de pragmatismo como terreno destranscendentalizado. O texto sugere que o materialismo prático-normativo de Marx pode ser lido como compreendendo cinco momentos que se interpenetram: 1) uma recusa do "empirismo dogmático", intuicionista-passivo, mentalista-cartesiano, bem como do idealismo subjetivo; 2) uma superação da concepção do mundo e do sujeito como estáticos, exteriores um ao outro, e, logo, possivelmente, o abandono do ponto-de-vista do "espectador" e da fixação objetivista-representacionista do real; 3) uma desqualificação do indivíduo abstrato da percepção empirista, a ficção do indivíduo como dissociado do conjunto das relações sociais e de uma forma social determinada; 4) uma crítica do real social como ao mesmo tempo essencialmente cindido e atomizado, pelas "más" relações e práticas sociais imperantes, que acarretam o desdobramento/duplicação do mundo também na religião e na filosofia; 5) crítica essa sustentada pela dedução/construção de um fundamento, mundano mas essencializado, que determina, por necessidade, o rumo da supressão prática da contradição e a restauração (reconciliação) da unidade-solidariedade social, com o fim da "auto-alienação do homem" - abrindo caminho, para além do ponto-de-vista "egoísta" da Sociedade Civil, de hoje, para o da Sociedade Humana, de amanhã, para a necessidade e o imperativo de sua realização. Tudo isso atravessado por um desafio de "epistemologia política", i.e. de congruência de pontos-de-vista epistemológicos com pontos-de-vista – e situações práticas - político-econômico-sociais, a que Marx talvez não responda adequadamente, e não apenas nas Teses.

Palavras-chave: Prática. Atividade sensível. Pontos-de-vista. Duplicação. Normatividade.

Abstract: This is an essay of immanent critique, tentatively pragmatist, centrally of Marx's Theses ad Feuerbach, but not only, which tries to interpret, approximate and distinguish its formulations from what is here conceived as pragmatism as a detranscententalized ground. The paper suggests that Marx's practical-normative materialism may be read as basically encompassing five interpenetrated moments: 1) a refusal of "dogmatic empiricism", passive-intuitionist, Cartesian-mentalist, as well as of subjective idealism; 2) the overcoming of an understanding of world and subject as static, exterior to one another, and therefore the possible abandonment of the "spectator's point-of-view" and of the objectivist-representationalist fixation of reality; 3) a disqualification of the "abstract individual" of empiricist perception, i.e. of the fiction of the individual as dissociated from the whole of social relations and from a determinate social form; 4) a critique of social reality as both essentially severed and atomized by dominant "bad" social relations, which entail the supposed duplication of the world, also in religion and philosophy; 5) this critique supported by the deduction-construction of an "essentialized" foundation, although allegedly earthly, which determines the practical suppression of the contradiction and the restoration of social unity-solidarity, as the end of "man's self-alienation" opens the way, beyond the individualist point-of-view of today's civil society, to the humane society of tomorrow, to the need and imperative of its realization. All that, traversed by a problem of "political epistemology", i.e. of the congruence of epistemological points-of-view with social and political, practical, circumstances and points-of-view, to which Marx perhaps does not answer adequately, even beyond the Theses.

Keywords: Practice. Sensuous activity. Standpoint. Duplication. Normativity

 

Resposta à Questão: O que é Esclarecimento?

Beantwortung der Frage: Was ist Aufklärung?

Immanuel Kant
Tradução de Márcio Pugliesi
mpugliesi@hotmail.com

Resenha

Book Review

CALCATERRA, Rosa M. Idee Concrete. Percorsi nella filosofia di John Dewey.
Genova: Marinetti, 20101 112 p. [Ideia Concreta. Caminhos na filosofia de John Dewey.]

Roberto Frega
Centre d'Etudes des Mouvements Sociaux (CEMS)
Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (EHESS) - Paris
fregarob@gmail.com


 

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Design DTI-NMD
English version