Seminário na PUC-SP sobre a narrativa contemporânea reúne autores e críticos (VÍDEOS)

O seminário “O narrador e a narrativa na contemporaneidade”, realizado pelo Grupo de Pesquisa O narrador e as fronteiras do relato, no último dia 30 de novembro, foi composto por três mesas de discussão sobre os temas do testemunho, da autoficção e da performance, referenciados na produção literária contemporânea. Com a presença dos autores Marcelo Rubens Paiva, João Carrascoza, Lourenço Mutarelli e Ricardo Azevedo e dos críticos literários Márcio Seligmann-Silva, Diana Klinger e Frederico Fernandes, o evento foi acompanhado por um grande e atento público.

“O seminário nasceu da reflexão sobre a narrativa nos mais variados formatos e na sua confluência com outros gêneros literários. Nos interessa esse lugar de fronteiras e limiares, tanto nas novas chaves do testemunho, como nas escritas do eu e do narrador em performance”, observa a líder do Grupo de Pesquisa, professora Maria Rosa Duarte de Oliveira. Ela assinalou a importância da contínua pesquisa sobre ferramentas teóricas para subsidiar o campo da crítica e destacou a importância do evento para apresentar o trabalho do Grupo de Pesquisa e do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária da PUC-SP ao público.

O professor Márcio Seligmann-Silva, da UNICAMP, que falou sobre Ainda estou aqui (2015), de Marcelo Rubens Paiva, pontuou que a trama revela a luta contra os esquecimentos, diante da “memória devorada e da fratura da violência institucional e simbólica”. Para o autor, a ficção tem o poder de trazer o real e esse livro é uma tentativa de “repaginar a história de maneira crítica”.

Na mesa que tratou das escritas do eu, a professora da Universidade Federal Fluminense, Diana Klinger, pontuou que “a construção da subjetividade é sempre relacional” e a literatura que afirma a primeira pessoa no texto literário dialoga de forma crítica com a sociedade do espetáculo. O autor de Aos 7 e aos 40 (2013), João Anzanello Carrascoza, afirmou acreditar que “a literatura é uma rede de afetos”.

No entendimento do professor Frederico Fernandes, da Universidade Estadual de Londrina, “a narrativa opera enquanto corpo, chamando o leitor para o conflito”. E a discussão sobre a performance na literatura, com os autores Lourenço Mutarelli e Ricardo Azevedo, abordou sua relação com a experiência, a memória e as linguagens nos processos criativos.

O evento contou com transmissão ao vivo pela TV PUC-SP e é possível acessar o seminário pelos links:

Mesa 1: Clique AQUI
Mesa 2: Clique AQUI
Mesa 3: Clique AQUI

Curso 
Literatura e Crítica Literária

Conecte-se à PUC-SP