Linguagem e Subjetividade
Página Inicial
Linguagem e Subjetividade
Linguagem e Subjetividade
Banco de Dados de Fala e Escrita
Banco de Dados de Fala e Escrita
Cadastro para acesso ao banco de dados
Alfabetização e Seus Avatares
Laboratório de Observação de Linguagem
Parcerias
Eventos
Coluna “Fonoaudiologia em Questão”
biblioteca_novo
Links
Contato


   

Página inicial >Coluna "Fonoaudiologia em Questão"

1ª Jornada Fonoaudiologia, Educação e Psicanálise

Regina Maria Freire Coordenadora do projeto A Alfabetização de seus Avatares Financiamento Capes/OBEDUC

O projeto A Alfabetização e seus Avatares comemora seu quarto ano de existência com uma série de pesquisas - finalizadas e compartilhadas, mensalmente, neste espaço - e de parcerias conquistadas, promovendo um evento que integra as três áreas que privilegiamos como nossos principais interlocutores.

A 1ª JORNADA FONOAUDIOLOGIA, EDUCAÇÃO E PSICANÁLISE será realizada no dia 7 de agosto, quinta feira, das 9 às 17 horas, no anfiteatro do Instituto de Psicologia da USP.

Convidamos nossos leitores a se inscrever neste site em que o evento, público, aberto e gratuito, está sendo divulgado. Como forma de ampliar a participação de outros pesquisadores, abrimos espaço para os que gostariam de trazer suas considerações sobre a temática que nos enlaça, a saber: INCLUSÃO, FRACASSO ESCOLAR E DESAFIOS DA ALFABETIZAÇÃO, sob a forma de pôsteres. As regras podem ser encontradas no folheto de divulgação.

O evento será aberto pela coordenadora do projeto, Regina Freire e encerrado por Christian Dunker, anfitriões do acontecimento.

Pretende-se, com esta ocasião, intercambiar experiências e trazer pesquisadores reconhecidos por sua imersão nas temáticas aqui privilegiadas.

Após a abertura, às 9:30 horas, daremos início a primeira mesa, cujo tema Inclusão, estará em debate. Um profissional de cada uma das áreas mencionadas no título do evento, trará suas considerações sobre a inclusão escolar, sob pontos de vista de campos e interesses diversos. A mesa seguinte, às 11 horas, trará o tema Fracasso escolar para o centro da cena e, desta vez com quatro integrantes, a mesa discutirá a partir de suas observações práticas e científicas, o que seria o chamado fracasso escolar e como poderia ser revertido, analisado, subvertido, reinterpretado e enfrentado.

Às 14 horas, teremos a terceira mesa, cujo objetivo será discutir os Desafios que a alfabetização apresenta aos campos da Fonoaudiologia, da Psicanálise e da Educação. Esta mesa acontece após o intervalo para o almoço e para a colocação dos trabalhos desenvolvidos nos pôsteres e expostos na entrada do anfiteatro.

Voltando à mesa das 14 horas, entende-se que os convidados deverão trazer, sob sua ótica, indicações de como podem atuar, nas limitações de suas áreas, para modificar o panorama da alfabetização e da escolarização, particularmente no Ensino Fundamental I, na realidade de nosso município. Ao término desta mesa e, antes do encerramento, na companhia de um café com bolinhos, os convidados poderão ler os pôsteres e conversar com seus autores que ali estarão para debater seus achados e trocar experiências.

Ao final, o encerramento, que se pretende seja o início de outros acontecimentos semelhantes, não será uma despedida mas a certeza de que nossos esforços não tem sido em vão e, sequer, encerram-se aqui.

Como forma de aquecimento para o evento, trago algumas considerações sobre o que nos levou a escolher a temática que irá permear as apresentações. A Inclusão foi tema da dissertação de Vera Ralin que, usando como metodologia a Análise de Discurso de linha francesa, alçou o discurso de professores da rede pública em diálogos com a pesquisadora em que o objetivo era conhecer a visão dos professores sobre este tema. Usando fragmentos dos discursos dos professores e buscando as formações discursivas subjacentes a seus discursos, Vera conclui que os sentidos que professores atribuem à inclusão escolar definem-se, predominantemente por serem uma forma de promoção da socialização e, por proporcionarem ensino/aprendizagem ao sujeito com deficiência. Sugere que a escola seja abraçada sob a perspectiva de um trabalho colaborativo para que haja uma (re)significação dos discursos sobre inclusão. O estudo deste tema incentivou um dos professores de uma escola municipal parceira que atende uma sala especial, a aprofundar os olhares sobre a inclusão, na ótica do professor em sua práxis, como pesquisa de dissertação.

O tema Fracasso escolar foi tocado e desenvolvido em duas dissertações que tomaram direções diferentes. Ainda trabalhando sob a metodologia da Análise de Discurso Pechêutiana, tanto Cinthia Gonçalves como Manoela Piccirilli, gravaram os dizeres de professores, fizeram recortes e os analisaram. Cinthia conclui que a análise permitiu identificar o assujeitamento do professor à ideologia dominante do discurso pedagógico e a posição de aprendiz por ele ocupada. Deparou-se com um professor desvalorizado e desamparado que ocupa essas posições discursivas em decorrência da entrada de diversos profissionais na escola que ocuparam o espaço do professor para, supostamente, instrumentalizá-lo; do estabelecimento de aulas, palestras e do Curso de Formação Continuada que identificam o professor a um profissional em constante “formação”; do binômio fracasso social/ fracasso escolar que equipara qualquer aluno com dificuldades escolares a um fracasso social. Sugere que se leve o professor a duvidar do que ele diz e do que é dito sobre si como ponto de partida para uma ação fonoaudiológica com o professor. Por outro lado, Manoela centrou-se no chamado Fracasso escolar. Discutiu o sentido deste nome, quase um rótulo para nomear o que escapa ao professor e que resulta em ações inúmeras e recorrentes por parte das coordenações de educação no sentido de descolar a escola deste aprisionamento por esse significante. Sua análise, assentada sobre duas reuniões entre pesquisadores e professores da rede pública, identificou, no discurso dos professores durante a primeira reunião, uma busca pela homogeneidade em detrimento das particularidades do aluno; um processo de produção de sentidos pautados em ideais escolares dominados por uma política educacional capitalista que, ao colocar os alunos como iguais e não refletir sobre suas singularidades, contribui para o fracasso escolar. Na segunda reunião, deparou-se com um funcionamento discursivo que admitiu a presença da criança como sujeito que tem necessidades e desejos além dos impostos por um ideal escolar produzindo, assim, novos sentidos que o fracasso escolar. Afirma que os sentidos de fracasso escolar no discurso desses professores surgem como efeito de uma lógica educacional regulada por um discurso capitalista que, na tentativa de controlar o saber da criança, deixa escapar algo que é interpretado como fracasso escolar. Porém, ao deixar esse discurso em suspenso, o fracasso escolar pôde ganhar novos sentidos contribuindo para a alfabetização. Estes trabalhos acabaram incentivando o terceiro tema do encontro ou seja, os desafios da alfabetização. Para o projeto A Alfabetização e seus avatares, estes desafios seriam minimizados com uma política que se dedicasse à prevenção dos problemas de fala e de escrita, realizada pela Saúde em articulação com a Educação. A pesquisa de Bruna Diógenes tomou essa direção e trouxe à tona os indicadores de risco para a aquisição da linguagem pelo falante assim como a pesquisa de Janaina Venezian está enfocando os indicadores de risco para a aquisição da escrita. Ambos os trabalhos relevam a importância da prevenção em saúde pública, com ações, realizadas por Agentes Comunitários, que seriam complementares àquelas desenvolvidas pela educação.

Enfim, as pesquisas aqui apontadas indicam resultados promissores na busca de alternativas para os problemas enfrentados pela escola e por aqueles que estão em seu entorno, como os psicólogos e os fonoaudiólogos. Com certeza a sua discussão em presença de outros interessados e implicados, levantará outras alternativas e indicará a pertinência dos temas escolhidos para o evento.

VENHA PARTICIPAR!


Referências

Ralin, V L O R - O discurso do professor sobre inclusão escolar. 2013. Dissertação de mestrado. PEPG em Fonoaudiologia. PUCSP.
Gonçalves, CF - A posição do aprendiz no discurso dos professores. 2013 . Dissertação de Mestrado. PEPG em Fonoaudiologia. PUCSP.
Piccirilli, M S S- O fracasso escolar no discurso do professor . 2014 . Dissertação de Mestrado. PEPG em Fonoaudiologia. PUCSP.
Diógenes, B S - Indicadores de risco para a fala infantil: validação de conteúdo. 2014. Dissertação de mestrado. PEPG em Fonoaudiologia. PUCSP.
Venezian, J - Validação dos indicadores de risco para a constituição do sujeito leitor/escritor . 2014. Pré-projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Fonoaudiologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo-PUC como requisito para desenvolvimento da dissertação de mestrado. PEPG em Fonoaudiologia. PUCSP.

 

 

 


Autor Data Título
Silze Costa 04-2017 A intervenção psicanalitica na clínica com bebês
Keila Balbino 10-2016 Como o filme “Quando tudo começa” colabora com a reflexão sobre a gestão escolar na escola pública
Ivana Corrêa Tavares Oliveira 09-2016 A interlocução saúde e educação e a inclusão de estudantes com deficiência no ensino regular
Keila Balbino 07-2016 Como o filme “Quando tudo começa” colabora com a reflexão sobre a gestão escolar na escola pública
Janaina Venezian 04-2016 Deve-se trabalhar com leitura e escrita na educação infantil?
Amanda Monteiro Magrini 03-2016 A inclusão dos AASI na rotina dos professores na educação especial
Bruna de Souza Diógenes 12-2015 Programa de Estudos Pós-graduados em Fonoaudiologia da PUC-SP: análise da produção de quatro décadas
Profa. Dra. Regina Maria Ayres de Camargo Freire 11-2015 Algumas considerações sobre a Fonoaudiologia
Ivana Corrêa Tavares Oliveira 10-2015 O projeto Jogos da Cultura Popular como ferramenta de Inclusão
Keila Balbino 09-2015 O papel do professor no momento da alfabetização
Ezequiel Chassungo Lupassa 08-2015 O Marco Histórico da Alfabetização no Brasil
Adriana Gaião Martins 07-2015 O lúdico e a aprendizagem: Um recorte teórico
Janaina Venezian 06-2015 Educação impossível
Gisele Gouvêa da Silva 05-2015 O retorno à Demóstenes
Sofia Nery Liber 04-2015 O Filme "A Família Bélier" e a Psicanálise
Ivana Corrêa Tavares Oliveira, Sofia Lieber, Keila Balbino, Regina Freire 03-2015 “Contribuições da legislação para mudanças políticas na educação inclusiva no atual cenário educacional brasileiro”
Bruna de Souza Diógenes 01-2015 O Trabalho Grupal: Vislumbrando novos olhares/fazeres no processo de alfabetização
Michele Picanço do Carmo 12-2014 Leitura e movimentos oculares
Sofia Nery Lieber 11-2014 Linguagem e subjetivação: sobre a natureza dessa relação
Bruna de Souza Diógenes 10-2014 Indicadores de Risco para os sintomas de linguagem: Interface Fonoaudiologia e Saúde Pública
Dayane Lotti e Adriana Gaião 09-2014 A leitura: cotidiana e motivacional
Ezequiel Lupassa 08-2014 Manifestações dos Distúrbios de Linguagem e da Aprendizagem
Regina Freire 07-2014 1ª Jornada Fonoaudiologia, Educação e Psicanálise
Juliana Mori 06-2014 Uma experiência na inclusão escolar de pessoas com autismo
Silvana Soares 05-2014 Mudanças na formação do professor: efeitos sobre a educação infantil e as séries iniciais
Manoela Piccirilli 04-2014 Uma reflexão sobre queixas escolares
Janaina Venezian 03-2014 Educação Infantil e Fonoaudiologia
Sofia Nery  Lieber 12-2013 A voz não se confunde com o som

Dayane Lotti, Isabela Leito Concílio

10-2013 Serviço de Apoio Pedagógico Especializado (SAPE): reflexões acerca da Sala de Recursos a partir de uma experiência em uma escola da rede pública da zona norte do Estado de São Paulo
Cinthia Ferreira Gonçalves 09-2013 A posição do aprendiz no discurso dos professores.
Keila Balbino 08-2013 Aluno: sujeito com conhecimentos que devem ser considerados no processo de alfabetização.
Vera Ralin 05-2013 Aparatos tecnológicos em questão
Ivana Tavares 04-2013 A escrita como sistema de representação.
Gisele Gouveia 03-2013 Semiologia Fonoaudiológica: os efeitos da sanção sobre o falante, a língua e ao outro
Dayane Lotti; Isabela Leite Concílio 11-2012 Queixa escolar e seus fenômenos multideterminados
Alcilene F. F. Botelho, Eliana Campos, Enéias Ferreira, Maria Elisabete de Lima 10-2012 Alfabetização e letramento
Wladimir Alberti Pascoal de Lima Damasceno 08-2012 A Clínica da Gagueira
Cinthia Ferreira Gonçalves 06-2012 A Análise de Discurso e a Fonoaudiologia: possibilidades de um diálogo
Manoela de S. S. Piccirill 04-2012 A Inibição na Produção da Escrita
Regina Maria Ayres de Camargo Freire 03-2012 Uma segunda língua, para quem?
Manoela de S. S. Piccirilli 01-2012 A Inibição na Produção da Escrita
Juliana Mori 12-2011 A escola e o bebê: é possível educar?
Gisele Gouvêa 11-2011 A questão da estrutura clínica em Fonoaudiologia
Christiana Martin 10-2011 Inclusão Escolar
Treyce R. C. V De Lucca 09-2011 Retardo de Linguagem: Questões Norteadoras
Kivia Santos Nunes 08-2011 O Silência e a Clínica Fonoaudiológica
Vera Lúcia de Oliveira Ralin 06-2011 Atuação fonoaudiológica na Educação - Um fazer possível
Cláudia Fernanda Pollonio 04-2011 Linguagem e Subjetividade: Sobre a natureza desta relação
Juliana Cristina Alves de Andrade 03-2011 O Sujeito e a Linguagem
Regina Maria Freire 12-2010 A Alfabetização e seus Avatares – CAPES/INEP
Giuliana Bonucci Castellano 11-2010 Prancha de Comunicação Suplementar e/ou Alternativa: o uso do diário como possibilidade de escolha dos símbolos gráficos
Beatriz Pires Reis 10-2010 Demanda para perturbações de Leitura e Escrita, há um aumento real?
Fabiana Gonçalves Cipriano 08-2010 Sintomas vocais em trabalhadores sob o paradigma da Saúde do Trabalhador
Vera Lúcia de Oliveira Ralin. 06-2010 Atuação Fonoaudiológica na Educação – Um fazer possível
Maria Rosirene Lima Pereira 04-2010 A clínica fonoaudiológica e o reconhecimento do falante
Hedilamar Bortolotto 03-2010 Transtornos Invasivos do Desenvolvimento: a clínica fonoaudiológica em questão
Fábia Regina Evangelista 01-2010 Indicadores Clínicos de Risco Para a Fonoaudiologia
Gisele Gouvêa 09-2009 Coluna "Fonoaudiologia em Questão"
Cláudia Fernanda Pollonio 08-2009 A clínica fonoaudiológica: sua relação de escuta à fala
Apresentação da Coluna 06-2009 Coluna "Fonoaudiologia em Questão"


 
 
 
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Desenvolvido por DTI- Núcleo de Mídias Digitais