Relações Internacionais

slider

A PUC-SP é a melhor universidade privada do país em qualidade de ensino, ocupando a...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/cursos-da-puc-sp-sao-destaque-no-ruf
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/ruf_noticia_cursos.jpg
A PUC-SP aumentou de 27 para 30 cursos estrelados na premiação Melhores Universidades,...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/guia-do-estudante-30-cursos-com-estrelas
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/img_geral_noticias_cursos.jpg
O Vestibular PUC-SP 2015 está com inscrições abertas até 18/11. A prova acontece dia 7/...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/vestibular-puc-sp-2015-inscricoes-abertas
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/vestibular.jpg
Apresentação 

O curso de Relações Internacionais proporciona formação humanista, crítica e abrangente, capacitando o estudante a compreender, refletir e atuar sobre os principais fenômenos da política internacional. Possibilita também o desenvolvimento de um olhar multidisciplinar e multitemático, tendo como centro disciplinas específicas das Relações Internacionais mas com contribuições de outras áreas de conhecimento como Direito, Economia, História, Política e Sociologia. O bacharelado em RI, por sua capacidade de estar antenado com a atualidade, habilita o estudante a trabalhar com os principais regimes e instituições internacionais contemporâneos.

Os internacionalistas graduados pela PUC-SP estão aptos a analisar as dinâmicas das relações internacionais contemporâneas em suas diversas esferas: política, econômica, social, cultural. São também capazes de atuar profissionalmente tanto na esfera governamental e em suas diversas agências, quanto junto a grandes empresas de projeção internacional, entidades setoriais, e em organizações da sociedade civil. A graduação em RI forma profissionais preparados para reconhecer diversidades sociais, culturais, étnicas e religiosas, e traçar estratégias de respeito mútuo e colaboração positiva.

Formas de Ingresso 
  • Processo seletivo por meio de exame vestibular aberto a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente;
  • Processo seletivo específico para portadores de diploma de graduação, sob condição de existência de vagas abertas pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Matrícula por transferência sob a condição de existência de vaga, obedecendo ao calendário da Universidade ;
  • Prouni, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Reopção de curso, aberta pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade.
Gestão 
As Faculdades são compostas por: Departamentos, Cursos de Graduação, Programas de  Pós-Graduação stricto sensu e lato sensu, Cursos e Atividades de Educação Continuada, Unidades Suplementares e Núcleos Extensionistas.
 
Compete à Câmara de Graduação:
I - desenvolver estudos que subsidiem o CEPE na elaboração ou alteração da política educacional da PUC-SP, a ser submetidos à apreciação e aprovação do CONSUN e CONSAD;
II - desenvolver estudos, no âmbito do ensino, de forma articulada com a Câmara de Pós-Graduação e Pesquisa, que subsidiem a elaboração dos Projetos Institucionais da PUC-SP, a ser submetidos à apreciação e aprovação do CEPE;
III - propor ao CEPE plano de implementação da política educacional e do desenvolvimento do ensino nas Faculdades, definindo as prioridades;
IV - propor ao CEPE as normas e as orientações técnicas para elaboração e tramitação de programas e projetos de ensino das Faculdades;
V - dar parecer sobre Projetos Pedagógicos de Cursos e propostas de alterações a serem submetidos à aprovação do CEPE;
VI - apreciar os relatórios das avaliações institucionais e de cursos;
VII - promover a auto-avaliação dos Cursos de Graduação das Faculdades, encaminhando ao CEPE relatórios;
VIII - promover estudos das demandas socio-ocupacionais e das transformações na esfera do conhecimento, orientando as Faculdades para a proposição de mudanças curriculares, ou de novas modalidades de Graduação;
IX - subsidiar e supervisionar o desenvolvimento dos Projetos Pedagógicos dos Cursos, zelando pela observância dos mesmos;
X - acompanhar a implementação de novos Projetos Pedagógicos de Cursos;
XI - subsidiar o CEPE nas políticas de extensão referentes à Graduação;
XII - emitir pareceres de mérito sobre projetos de extensão ligados à Graduação;
XIII - exercer outras atribuições previstas em normas ou decididas pelos Colegiados competentes e inerentes à natureza do órgão
Laboratórios 
O curso conta com uma estrutura de laboratórios de informática administrada pela Divisão de Tecnologia da Informação (DTI) da PUC-SP. Com um total de 31 laboratórios de informática, divididos entre os campi Marques de Paranaguá (8), Monte Alegre (19) , Santana (2), Barueri (1) e Sorocaba (1), todos conectados em rede à uma velocidade de 100Mps.
 
Esses mais de 1000 computadores integram os cerca de 2300 computadores da grande rede PUCSPNet, totalmente conectada à Internet, onde utilizamos um link principal de acesso com velocidade de 1Gbps.
 
Contamos ainda com uma política de licenciamento de software através de programas educacionais e parcerias com empresas como IBM (IBM Rational), Microsoft (MSDN Academic Alliance), CorelDraw, Adobe (Flash, Dreamweaver, InDesign, Photoshop, Director),  além de softwares específicos como Vue, Cinema 4D, SPSS, SolidWorks, entre outros.
 
Avaliação do aluno 
Em cada disciplina ou outro componente curricular previsto no PPC, é atribuída apenas uma nota final resultante do processo de avaliação determinado pelo professor no início do semestre letivo.
 
A média necessária para a promoção do aluno é 5,0 (cinco).
 
No processo de avaliação determinado pelo professor ao menos uma das notas deverá ser resultante de uma prova individual.
 
É obrigatório, entretanto, que existam ao menos duas modalidades de avaliação ao longo do semestre.  
TCC 

Trabalho de Conclusão de Curso
Todos os estudantes do curso de Relações Internacionais deverão realizar um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) para obter o seu diploma. Segue o regulamento geral do TCC no curso de Relações Internacionais para os estudantes do currículo implantado no 1º/2007.

Das Disciplinas vinculadas ao TCC na grade do curso:

1. Duas disciplinas, TCC1 e TCC2, ambas contendo 2 créditos cada uma delas, oferecidas respectivamente no 7º e 8º período do curso, são requisitos para a conclusão do TCC;
2. A conclusão e aprovação na disciplina TCC1 é pré-requisito para o estudante se matricular na disciplina TCC2;
3. As disciplinas TCC1 e TCC2 não são presenciais. Serão definidos pelo professor e informados previamente para os estudantes os meios pelos quais serão repassadas as instruções, orientações e formatos da avaliação.


TCC1 (7º período):

Requisitos para aprovação do estudante:

  • Entrega de um texto inicial com tema e objetivos da pesquisa;
  • Entrega de formulário específico (disponível aqui) com aceite de orientação por parte de um professor e no qual conste o tema do TCC.

TCC2 (8º período):

Requisitos para aprovação do estudante:

  • Entrega do TCC em meio eletrônico;
  • Entrega de formulário específico (disponível aqui) com a nota final e assinatura do professor-orientador.
     

Da Orientação do TCC:

1. O orientador do TCC deverá fazer parte do quadro docente da PUC-SP;
2. O professor e o estudante são ambos responsáveis pelo contato com os possíveis orientadores do TCC;
3. O professor pode recusar a orientação do TCC caso não exista afinidade com o tema;
4. O professor contatado pelo estudante para orientação deverá indicar alterações do tema de pesquisa para a melhor adequação à sua qualificação;
5. O professor da disciplina TCC1 auxiliará o estudante na pesquisa de possíveis orientadores para o seu tema;
6. A mudança formal de orientador poderá ser feita mediante apresentação de justificativa escrita do estudante ao professor da disciplina TCC2.

Da estrutura do TCC:

1. O TCC poderá ser realizado individualmente ou em grupo (de até 3 estudantes). Para este último caso o grupo deve ter a aprovação do orientador do projeto e do professor da disciplina TCC1;
2. O TCC poderá ter o formato de uma monografia, um artigo, um projeto de mestrado, um relatório de pesquisa empírica, um documentário ou qualquer outro formato desde que tenha o consentimento do orientador e do professor responsável pela disciplina;
3. É recomendável que os alunos que realizaram pesquisa de iniciação científica, estágios, trabalhos de grupos de estudos e outros projetos acadêmicos deem continuidade a estes trabalhos no âmbito do TCC, sempre com a anuência e apoio do orientador e do professor da disciplina.

Dos Prazos do TCC:

  • O TCC deverá ser entregue na conclusão da disciplina TCC2;
Estágio curricular 
Apesar de não ser requisito obrigatório para a conclusão do Curso de Relações Internacionais, a realização de estágios é incentivada a partir do segundo ano do Curso. Nossos estudantes têm realizado estágios em diversas instituições de caráter público e privado, tais como: consulados, câmaras de comércio, associações setoriais, jornais, portais de Internet, secretarias de governo, empresas privadas, ONGs, partidos políticos, sindicatos e instituições de pesquisa.
 
O Curso estimula os estudantes a buscar estágios, trazendo também as experiências profissionais dos alunos para dentro da Universidade, em constante diálogo com a sociedade.
 
A PUC-SP tem convênio com um grande grupo de empresas que vêm buscar nos cursos de graduação alunos para adentrarem em diversas carreiras. O estudante de Relações Internacionais tem, assim, um grande leque de possibilidades para a inserção profissional que se encontra em constante atualização.
 
Para maiores informações ver site da Central Geral de Estágios.
Mensalidades 
A Universidade adota o Regime Financeiro semestral ou anual de cobrança, de acordo com o Projeto Pedagógico do curso, sendo a semestralidade ou anuidade paga em até 06 (seis) ou em até 12 (doze) parcelas mensais sucessivas, conforme o caso.
 
O cálculo das mensalidades é feito com base em todas as atividades (disciplinas e outros componentes curriculares) relativas a cada período letivo do curso, de acordo com seu Projeto Pedagógico.

Valor da mensalidade
O Edital de Mensalidades é publicado nos quadros de aviso da Universidade e na página oficial eletrônica especifica os valores calculados para cada curso, com base nas atividades pedagógicas previstas.

Aproveitamento de Estudos
O estudante que ingressar através do processo de Transferência ou pelo processo de Portador de Diploma e tiver aproveitamento de estudos e/ou adaptação curricular, realizará a matricula nas atividades pedagógicas de acordo com o plano de estudos elaborado pela coordenação do curso.

Reajustes de mensalidades
Os valores das mensalidades estão sujeitos aos reajustes conforme Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.

Data do vencimento
A data de vencimento de cada mensalidade ocorrerá sempre no dia 5 (cinco) de cada mês.

Pagamento
Os pagamentos efetuados até o dia 1º do mês serão - por mera liberalidade - objetos de um desconto por antecipação, conforme discriminado no boleto. Este desconto pode ser suspenso sem prévio aviso.
Reconhecimento 

Portaria no. 843 de 01/07/2010

Portaria de Renovação de Reconhecimento:

Portaria nº 705 de 18/12/2013 – DOU em 19/12/2013

Duração 
Duração mínima:
4 anos (8 semestres)
Duração máxima:
6 anos (12 semestres)
Avaliação do curso 

Sistema de Avaliação do PPC:
A autoavaliação do curso tem como propósito o aprimoramento de seu Projeto Pedagógico (PPC).

Trata-se de um processo contínuo que, por meio de diferentes fontes de informação, analisa a coerência e a efetividade entre princípios da proposta pedagógica e sua dinâmica de funcionamento.

Sua realização está a cargo do Núcleo Docente Estruturante (NDE), da Coordenação Didática do Curso, do Conselho de Faculdade e da Câmara de Graduação.

Por meio da autoavaliação, esses colegiados monitoram a implantação do PPC dialogando com as demandas advindas do cotidiano e com as informações construídas por meio de escutas periódicas. Para tanto são utilizados instrumentos específicos:

a) avaliação contínua do aluno;

b) avaliação das condições de ensino (infraestrutura, equipamentos e gestão acadêmico-administrativa);

c) avaliação dos aspectos didático-pedagógicos do corpo docente, realizada por meio da autoavaliação do professor e da docência pelo aluno.

Envolve também diferentes parcerias da universidade que, direta ou indiretamente, contribuem para a qualidade da formação dos alunos, especialmente os departamentos.

Esse processo articula-se internamente à Autoavaliação Institucional, coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA), situando o curso no contexto da Universidade e, externamente, com o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Essa articulação externa leva em conta os resultados do Enade, as Avaliações in loco e os indicadores de qualidade do MEC, como o Conceito Preliminar de Curso (CPC).

 

Competência e habilidades 

O Curso de Relações Internacionais pretende formar um profissional que possa atuar como analista, consultor, executivo, assessor, pesquisador ou conselheiro nas mais diversas instituições, públicas ou privadas.

Para tanto, as habilidades e competências específicas dos egressos do Curso são definidas pela capacidade de:

  • senso crítico para a análise das relações internacionais contemporâneas;
  • avaliar informações, produzir análises e construir cenários sobre a conjuntura internacional
  • comunicação, liderança e conhecimento técnico para estabelecer contatos entre os diversos órgãos dos setores público e privado, e organismos da sociedade civil;
  • avaliar os processos políticos, econômicos, sociais, culturais e legais em diferentes países e regiões;
  • identificar e avaliar as consequências de instabilidades econômicas, políticas e militares no contexto internacional;
  • elaborar estratégias de ação visando à cooperação, integração, e interações dos mais variados tipos;
  • identificar os objetivos, métodos de operação, padrões e regras de procedimento das organizações internacionais (governamentais e não governamentais);
  • analisar os principais tratados e acordos internacionais;
  • compreender e propor intervenções nas dinâmicas de relacionamento entre Estados, instituições, empresas e demais atores transnacionais;
  • utilizar o seu potencial teórico-metodológico na área de ensino e pesquisa em Relações Internacionais.
Áreas de atuação 
O profissional de Relações Internacionais pode atuar no setor público, no privado e em organizações do terceiro setor. Na área pública, pode trabalhar em diplomacia, organizações internacionais, assessorias internacionais de ministérios e agências, secretarias de governo estaduais e municipais, consulados e representações estrangeiras.
 
No setor privado, o internacionalista pode contribuir com grandes empresas de projeção internacional, câmaras de comércio, associações setoriais, consultorias, jornais e portais de internet. Já a área do terceiro setor contempla atividades em ONGs, institutos de pesquisa, partidos políticos, sindicatos e associações de classe.
 
Vagas turnos e campi 

Vestibular de Verão 
Campus Perdizes: 50 matutino / 50 noturno

Vestibular de Inverno
Campus Perdizes: 50 matutino vespertino

 
Histórico 

Criado em 1995, o Curso de Relações Internacionais da PUC-SP foi o segundo programa de seu gênero no Brasil e o primeiro no Estado de São Paulo. Desde seu primeiro vestibular, o Curso figura entre os mais concorridos da Universidade. Essa procura deve-se à qualidade que foi construída no decorrer de quase 20 anos de ensino e pesquisa, período no qual esteve em constante sintonia com os temas mais relevantes da política mundial, com destaque para o papel do Brasil.
 
Reconhecimento e reformas curriculares
A primeira avaliação institucional externa do curso foi promovida pelo MEC em 1999. Com o reconhecimento e a partir das sugestões feitas, uma nova grade curricular foi desenvolvida. Atualizada às dinâmicas das relações internacionais e do Brasil, o novo currículo entrou em vigor em 2002. Em 2007, seguindo indicações do MEC e dos órgãos competentes da PUC-SP, o Curso foi novamente atualizado com um aumento da carga horária de todas as suas disciplinas.
 
Expressando o êxito da reforma curricular realizada, a segunda avaliação do MEC, ocorrida em 2007, conferiu ao curso a nota máxima, Condições Muito Boas (CMB) de ensino. Complementando este processo, em 2009 o curso de Relações Internacionais foi avaliado pela primeira vez pelo ENADE e recebeu a nota 4 (0 a 5).
 
Mantendo a tradição de inovação pedagógica e constante atualização acadêmica, uma nova e ampla reforma curricular foi implementada a partir do primeiro semestre de 2014 (clique aqui para a grade).
 
Pós-Graduação e projeção nacional
Localizado na Faculdade de Ciências Sociais, e originalmente sob responsabilidade do Departamento de Política, a relevância e a qualidade do Curso de Relações Internacionais dentro da PUC-SP levou ao crescimento do grupo de docentes e pesquisadores na área. Esse processo acabou por propiciar a criação do Departamento de Relações Internacionais no ano de 2012.
 
Outro fruto do trabalho dos professores e pesquisadores do Curso foi a criação, em 2002, do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (UNESP, UNICAMP e PUC-SP). O programa de mestrado conjunto entre as três universidades teve início em 2003 e, em 2011, o sucesso da parceira transformou-se no início da primeira turma de doutorado.
 
Os professores do Curso de Relações Internacionais da PUC-SP também têm destacada inserção nacional. Nossos seus docentes participaram de todas as diretorias da Associação Brasileira de Relações Internacionais (ABRI) criada em 2005: Profa. Flávia Campos Mello (2005-2007), Prof. Reginaldo Mattar Nasser (2007-2009) e Prof. Paulo Pereira (2011-2013).
 
Projeção internacional e intercâmbios
Tendo em vista a necessidade de construir um conhecimento coletivo que propiciasse a troca de vivências acadêmicas, o Curso de Relações Internacionais da PUC-SP investiu, desde seu início, em parcerias, intercâmbios, e em um intenso diálogo de nossos estudantes e professores com as mais qualificadas instituições de ensino nacionais e estrangeiras.
 
Desde 1999, foram firmados acordos e convênios envolvendo atividades de intercâmbio de estudantes e pesquisadores para vários países da América e da Europa, administrados pela Assessoria de Relações Institucionais e Internacionais da PUC-SP (ARII). Os programas de mobilidade estudantil prevêem a estadia de um ou dois semestres no exterior, bem como a recepção de estudantes estrangeiros também por um ou dois semestres no Curso.
 
Um número cada vez maior de estudantes do Curso de Relações Internacionais tem buscado intercâmbio acadêmico no exterior. Esse interesse pelo intercâmbio se reflete em uma alta porcentagem de estudantes por turma que realizam essa experiência. Estima-se que cerca de 1 em cada 5 dos estudantes do Curso participam do intercâmbio, e esses números estão em processo de crescimento. A média é extremamente expressiva nacionalmente e elevada mesmo dentre os cursos de graduação da PUC-SP.

Uma das razões para o sucesso do programa de intercâmbio no âmbito do Curso de Relações Internacionais é o fato de que os alunos continuam matriculados normalmente na PUC-SP durante o semestre na universidade estrangeira e, ao retornarem, conseguem equivalência total no semestre correspondente. Dentre os países escolhidos pelos estudantes do Curso de Relações Internacionais da PUC-SP para intercâmbio estão: Estados Unidos, França, Espanha, Alemanha, Holanda, Portugal, Argentina, Chile, e outros. Clique aqui para saber mais.   
 
Uma das parceiras mais antigas se deu com o Institut d’Etudes Politiques de Paris - Sciences Po. De uma experiência bem sucedida com esta instituição houve a evolução do convênio para a implementação do projeto “Diploma Integrado” que prevê a conclusão dos cinco semestres iniciais no Curso de Relações Internacionais da PUC-SP, dois semestres na Sciences Po em Poitiers (Primeiro Ciclo Ibero-Americano) e três semestres na Sciences Po em Paris (Ciclo do Diploma). Ao final deste processo de dez semestres os estudantes obtêm os títulos de Bacharel em Relações Internacionais da PUC-SP (no 9º semestre) e o Diploma da Sciences Po, equivalente ao Master Degree (no 10º semestre).  

Objetivos 
O Curso de Relações Internacionais visa proporcionar uma formação intelectual e profissional qualificada, frente a crescente importância da dimensão internacional de dinâmicas políticas, econômicas, sociais e culturais.
 
O Curso está orientado quer para uma melhor e mais atualizada prestação serviços de funções mais tradicionais (diplomacia) quer para proporcionar uma sólida e elevada preparação aos novos tipos de quadros exigidos não só pela internacionalização das estratégias empresariais como também pelas novas funções internacionais do Estado (cooperação, presença em organismos internacionais especializados, etc.) e ainda pela progressiva profissionalização das organizações não governamentais.
 
Como objetivos específicos destacam-se:
  • Oferecer aos estudantes uma formação humanista e crítica na área de Relações Internacionais;
  • Apresentar as principais ferramentas analíticas e os princípios teóricos norteadores da área de Relações Internacionais;
  • Desenvolver capacidades interpretativas, argumentativas e expositivas, em articulação com os principais temas da agenda internacional;
  • Conferir instrumental teórico e formação ética que possibilite aos estudantes tomarem decisões profissionais e pessoais responsáveis.
Grau 
Bacharelado
Regime de matrícula 
Semestre
Campus 
Campus Perdizes
Modalidade 
Presencial
Coordenação 
Contato 
CoordenadorPlantões

Prof. Dr. Paulo Pereira - pjrpereira@pucsp.br

Sala S-11
Segunda-feira
11h30 às 12h30

Sala S-11
Terça- feira
18h00 às 19h15
Assuntos: matrículas e alteração de plano de estudos; Estágios; Proficiência em Línguas; Pós-graduação; Pesquisa; Formação e conteúdo em RI.
Vice-CoordenadorPlantões
Prof. Dr. Carlos Gustavo Poggio Teixeira - cgteixeira@pucsp.br Sala S-11
Segunda-feira
17h30 às 18h45
 Sala S-11
Quarta-feira
11h30 às 12h30
Assuntos: intercâmbios; Aproveitamento de disciplinas; Transferência e reopção;  Pesquisa; Pós-graduação, Formação e conteúdo em RI.

 

Monitoria 

O Programa de Monitoria constitui um espaço de aprendizagem proporcionado aos alunos de graduação, com vistas a promover a melhoria do ensino, por meio de novas práticas e experiências pedagógicas, que propiciam a maior interação do monitor com o corpo docente e discente da instituição.
    
Atividades do(a) monitor(a):

1. Elaborar o plano de monitoria com o professor;
2. Auxiliar o professor no preparo de aulas e de material didático, entre outras atividades teóricas e práticas.
3. Apoiar o professor no trabalho de campo, na orientação de pequenos grupos de estudo e no preparo de trabalhos, seminários e oficinas;
4. Acompanhar o desenvolvimento de atividades, elucidando dúvidas dos alunos e colocando o professor a par de todos os encaminhamentos efetuados;
5. Colaborar na organização e correção de exercícios/atividades, exceto provas

Iniciação Científica 

A Iniciação Científica é uma escolha que faz o diferencial do aluno PUC-SP no mercado de trabalho, em qualquer área de atuação. O mercado exige não só inteligência, espírito crítico, dinamismo, mas também propostas de projetos. Aprender a projetar, elaborar e planificar ações para conquistar metas implica aprender a conhecer e a criar novas informações, novas respostas para responder a velhos problemas. Para mais informações sobre Iniciação Científica clique aqui

Estágio 

Para maiores informações ver site da Central Geral de Estágios.

 

TCC Aluno 
  • Fórmulario de Trabalho de Conclusão de Curso 1 - Clique aqui
  • Fórmulário de Trabalho de Conclusão de Curso 2 - Clique aqui
Situação 
Matrículas encerradas

Conecte-se à PUC-SP