Medicina

slider

A PUC-SP é a melhor universidade privada do país em qualidade de ensino, ocupando a...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/cursos-da-puc-sp-sao-destaque-no-ruf
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/ruf_noticia_cursos.jpg
A PUC-SP aumentou de 27 para 30 cursos estrelados na premiação Melhores Universidades,...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/guia-do-estudante-30-cursos-com-estrelas
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/img_geral_noticias_cursos.jpg
A PUC-SP ocupa a 33ª posição entre as universidades da América Latina. O resultado foi...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/puc-sp-entre-melhores-da-america-latina
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/qs-ranking-carrossel-interno.jpg
Apresentação 

Seguindo os preceitos propostos pelo PPI-PUCSP, o Curso de Medicina definiu rumos inovadores para a formação superior, incorporando novos desenhos curriculares em direção a práticas mais dinâmicas e integradoras do conjunto de experiências que caracterizam o percurso formativo do estudante. Assim, na formulação do Projeto foram consideradas fundamentalmente, as ações de: priorizar a educação problematizadora em detrimento da educação tradicional; centralizar o ensino nas necessidades do aluno; garantir o contato do aluno de Medicina com as realidades de saúde e sócio-econômicas da comunidade desde o primeiro ano da Faculdade; realizar um processo educativo interativo e construtivo; individualizar a educação e promover uma avaliação diferenciada e integral do estudante. De acordo com a nova proposta curricular, o curso deixa de organizar-se por disciplinas e passa a priorizar uma organização multidisciplinar em módulos, de forma a permitir a inter e transdisciplinaridade. Nesse redesenho inserem-se, em 2007, os 1º e 2º anos do curso, sendo que os demais se mantêm na proposta curricular tradicional, anterior. No processo de implantação do novo currículo, o Internato (estágio curricular) passou a ser de 4 semestres, nos dois anos finais do curso: 5º e 6º. O Curso de Medicina da PUC-SP é realizado em tempo integral, tem duração de seis anos, objetivando que o futuro médico seja capaz de resolver os problemas de saúde que mais freqüentemente acometem a população brasileira e esteja apto a promover a saúde, prevenir doenças e tratar os doentes dentro dos valores éticos e humanos, utilizando o conhecimento médico-científico e as habilidades adquiridas no curso, nas áreas de Pediatria, Ginecologia, Obstetrícia, Clínica Médica e Cirúrgica e Medicina Preventiva e Social.

Formas de Ingresso 
  • Processo seletivo por meio de exame vestibular aberto a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente;
  • Processo seletivo específico para portadores de diploma de graduação, sob condição de existência de vagas abertas pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Matrícula por transferência sob a condição de existência de vaga, obedecendo ao calendário da Universidade ;
  • Prouni, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Reopção de curso, aberta pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade.
Gestão 

As Faculdades são compostas por: Departamentos, Cursos de Graduação, Programas de  Pós-Graduação stricto sensu e lato sensu, Cursos e Atividades de Educação Continuada, Unidades Suplementares e Núcleos Extensionistas.

Compete à Câmara de Graduação:
I - desenvolver estudos que subsidiem o CEPE na elaboração ou alteração da política educacional da PUC-SP, a ser submetidos à apreciação e aprovação do CONSUN e CONSAD;
II - desenvolver estudos, no âmbito do ensino, de forma articulada com a Câmara de Pós-Graduação e Pesquisa, que subsidiem a elaboração dos Projetos Institucionais da PUC-SP, a ser submetidos à apreciação e aprovação do CEPE;
III - propor ao CEPE plano de implementação da política educacional e do desenvolvimento do ensino nas Faculdades, definindo as prioridades;
IV - propor ao CEPE as normas e as orientações técnicas para elaboração e tramitação de programas e projetos de ensino das Faculdades;
V - dar parecer sobre Projetos Pedagógicos de Cursos e propostas de alterações a serem submetidos à aprovação do CEPE;
VI - apreciar os relatórios das avaliações institucionais e de cursos;
VII - promover a auto-avaliação dos Cursos de Graduação das Faculdades, encaminhando ao CEPE relatórios;
VIII - promover estudos das demandas socio-ocupacionais e das transformações na esfera do conhecimento, orientando as Faculdades para a proposição de mudanças curriculares, ou de novas modalidades de Graduação;
IX - subsidiar e supervisionar o desenvolvimento dos Projetos Pedagógicos dos Cursos, zelando pela observância dos mesmos;
X - acompanhar a implementação de novos Projetos Pedagógicos de Cursos;
XI - subsidiar o CEPE nas políticas de extensão referentes à Graduação;
XII - emitir pareceres de mérito sobre projetos de extensão ligados à Graduação;
XIII - exercer outras atribuições previstas em normas ou decididas pelos Colegiados competentes e inerentes à natureza do órgão.

Laboratórios 
O curso conta com uma estrutura de laboratórios de informática administrada pela Divisão de Tecnologia da Informação (DTI) da PUC-SP. Com um total de 31 laboratórios de informática, divididos entre os campi Marques de Paranaguá (8), Monte Alegre (19) , Santana (2), Barueri (1) e Sorocaba (1), todos conectados em rede à uma velocidade de 100Mps.

Esses mais de 1000 computadores integram os cerca de 2300 computadores da grande rede PUCSPNet, totalmente conectada à Internet, onde utilizamos um link principal de acesso com velocidade de 1Gbps.

Contamos ainda com uma política de licenciamento de software através de programas educacionais e parcerias com empresas como IBM (IBM Rational), Microsoft (MSDN Academic Alliance), CorelDraw, Adobe (Flash, Dreamweaver, InDesign, Photoshop, Director),  além de softwares específicos como Vue, Cinema 4D, SPSS, SolidWorks, entre outros.
 
E também:
  • Biomateriais,
  • Bioquímica e Química,
  • Parasitologia,
  • Farmacologia / Fisiologia,
  • Histologia, Imunologia,
  • Informática,
  • Microbiologia,
  • Multidisciplinar de Imunologia e Biologia Celular,
  • Otorrinolaringologia,
  • Patologia,
  • Simulação de Procedimentos,
  • Técnicas Cirúrgicas.
Avaliação do aluno 
Em cada disciplina ou outro componente curricular previsto no PPC, é atribuída apenas uma nota final resultante do processo de avaliação determinado pelo professor no início do semestre letivo.

A média necessária para a promoção do aluno é 5,0 (cinco).

No processo de avaliação determinado pelo professor ao menos uma das notas deverá ser resultante de uma prova individual feita em sala de aula.

É obrigatório, entretanto, que existam ao menos duas modalidades de avaliação (prova e trabalho, prova e exercício, prova e seminário, entre outras combinações possíveis).
TCC 

No Projeto Pedagógico do Curso de Medicina não há previsão de Trabalho de Conclusão de Curso em qualquer das suas modalidades.

Atividades de formação 
COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA - 2013
 
COORDENADOR: Prof. Ms. Luiz Ângelo Vieira
VICE-COORDENADORA: Profa. Ms. Vera L. N. B. D’Avila
 
PROGRAMA - ÁREAS DE ATUAÇÃO
NA RESIDÊNCIA MÉDICA
PRECEPTORES
Anestesiologia
 Prof. Jorge Marcio Soranz
Cancerologia/Clínica
 Prof. Dr. Gilson L. Delgado
Cirurgia da Mão
 Prof. Dr. João José Sabongi Neto
Cirurgia do Trauma
 Prof. Dr. José Mauro da Silva Rodrigues
Cirurgia Geral
 Prof. Décio Luis Portella de Campos
Cirurgia Plástica
 Prof. Dr. Hamilton A. Gonella
Cirurgia Vascular
 Prof. Dr. Fábio Linardi
Clínica Médica
 Profa. Ms. Vera L. N. B. D’Avila
Endocrinologia
 Profa. Maria Teresa V. Quilici
Ginecologia e Obstetrícia
 Prof. Dr. Ulisses Del Nero
Hematologia e Hemoterapia
 Profa. Ms. Vera L. N. B. D’Avila
Infectologia
 Prof. Carlos Alberto E. Leopoldo Lazar
Nefrologia
 Profa. Dra. Cibele Isaac Saad Rodrigues
Neonatologia
 Profa. Dra. Celeste Gómez S. Oshiro
Oftalmologia
 Prof. Ms. João Edward Soranz Filho
Ortopedia e Traumatologia
 Prof. Ms. Luiz Ângelo Vieira
Otorrinolaringologia
 Prof. Ms.Cássio Caldini Crespo
Pediatria
 Profa. Ms. Alcinda Aranha Nigri
Pneumologia
 Profa. Ms. Marta Elisabeth Kalil
Psiquiatria
 Prof. Ms. Paulo Fernando D. Inneco
Reumatologia
 Prof. Dr. Gilberto Santos Novaes
Urologia
 Prof. Antonio Alberto Ramos Argento
 
 
 
DIRETORES:
Diretora da FCMS – PUC/SP
 Profa. Dra. Lúcia Rondelo Duarte
Diretor Técnico de Divisão Médica do C.H.S.
 Dra. Gisele Moreira
Diretor Clínico do Hospital Santa Lucinda
 Dr. Elton Luis Saggioni Trani
 
 
 
AMERESO:
Presidente da Associação dos Médicos Residentes
Em processo de eleição

 

 

Atividades complementares: natureza, acompanhamento e avaliação, articulação com os demais componentes curriculares.

 

 

Natureza: a descrição está sumarizada na tabela abaixo, bem como os requisitos para sua certificação (pela coordenação didática) e a pontuação correspondente. Seu acompanhamento é função das Comissões de Avaliação e Coordenação Didática.

A articulação com o Projeto Pedagógico se fará na medida que as principais atividades complementares empregarão estratégias metodológicas baseadas na Educação Problematizadora, já referidas anteriormente. Assim, por exemplo, a Iniciação Científica utilizará, por sua própria natureza, da Aprendizagem Baseada na Pesquisa ou Projetos e as Monitorias exercitarão a Aprendizagem Baseada na Prática.

Atividades complementares: natureza, requisitos, duração e pontuação horária:

  • Monitorias: Aprovação pelos Departamentos correspondentes e Coordenação do Curso, tempo: Mínimo: 1 ano - Máximo: 4 anos; Pontuação horária: 30 horas/ano.
  • Iniciação Científica concluída (IC): Ser aluno de IC aprovado pelo CEPE/ CNPq/ outras Agências Governamentais; Tempo mínimo/máximo: Mínimo: 1 ano; Pontuação horária: 60 horas por IC.
  • Publicação de trabalho em periódico Internacional ou Nacional (com Qualis A ou B): Ciência da Coordenação do Curso; Tempo mínimo/máximo: Não se aplica; Pontuação horária: 30 horas por publicação.
  • Publicação de trabalho em periódico Nacional (com Qualis C): Ciência da Coordenação de curso; Tempo mínimo/máximo: Não se aplica; pontuação horária: 15 horas por publicação.
  • Desenvolvimento de Trabalho apresentado em Eventos Científicos (Nacionais ou Internacionais) ou Universitários, patrocinados por Sociedades reconhecidas: Aprovação pela Coordenação do Curso; Tempo mínimo/máximo: Não se aplica; Pontuação horária: Internacional: 10 horas por trabalho; Nacional: 6 horas por trabalho; Loco-regional: 4 horas por trabalho.
  • Participação em Eventos Científicos (Nacionais ou Internacionais) ou Universitários, patrocinados por Sociedades reconhecidas: Aprovação pela Coordenação do Curso; Tempo mínimo/máximo: não se aplica; Pontuação horária: Internacional: 2 horas por evento; Nacional: 1 hora por evento; Loco-regional: 1 hora por evento.
  • Estágios curriculares não obrigatórios: Aprovação pela Coordenação do Curso e cumprimento ao regulamento próprio; Tempo Mínimo: 60 horas; Pontuação horária: 10 horas por estágio concluído.
  • Proficiência reconhecida em língua estrangeira: Aprovação pela Coordenação do Curso; Tempo mínimo/máximo: Não se aplica; Pontuação horária: 10 horas por língua estrangeira.
  • Representação discente em órgãos colegiados com presença em 75% das reuniões: Representação reconhecida pelas normas regimentais da PUC/SP; Tempo Mínimo: 1 ano; Pontuação horária: 10 horas por representação.
  • Participação em atividades de extensão, comunitárias ou culturais, pertinentes ao currículo do aluno e à formação profissional que o curso propõe: Aprovação pela Coordenação do Curso e Conselho Departamental*; Tempo mínimo/máximo: Não se aplica; Pontuação horária: 2 horas por atividade.

*é também necessária a comprovação anual, validada por reconhecimento do Conselho Departamental da Faculdade de Ciências Médicas, após exame de relatório circunstanciado e documentado a ser apresentado pelo interessado à Coordenação de Curso.

Estágio curricular 

O estágio curricular obrigatório, denominado classicamente de INTERNATO, desenvolve-se nos dois últimos anos do curso e se caracteriza por atividades eminentemente práticas realizadas sob supervisão, concentradas nas cinco grandes áreas da atividade médica: Clinica Médica, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia, Clínica Cirúrgica e Saúde Pública, além de estágios eletivos que poderão acontecer intra ou extra muros. As atividades práticas são realizadas no Complexo Hospitalar de Sorocaba, constituído de três hospitais, uma Unidade de Emergência, um Ambulatório Geral e de Especialidades e um Centro de Saúde Escola. Nesse Complexo Hospitalar realiza-se desde atendimentos primários à saúde até procedimentos médicos de alta complexidade como cirurgias cardíacas e transplantes. O campus, localizado na cidade de Sorocaba, privilegia-se do fato ser referência regional no âmbito da Saúde. Os Hospitais e Ambulatórios recebem pacientes de quarenta e oito cidades da área abrangida pela DRS XVI e a de Registro, com cerca de 2 milhões de habitantes, e conseqüentemente realizam um grande número de atendimentos propiciando excelente cenário de aprendizagem médica.

Objetivos:

  • Ampliar o senso de responsabilidade do estudante que assumirá efetivamente o cuidado dos pacientes nos diversos cenários de aprendizagem.
  • Capacitá-lo para a tomada de decisões, seja quanto à abordagem diagnóstica como terapêutica.
  • Valorizar a relação médico-paciente tendo posturas ética, acolhedora e humanas.
  • Ampliar as habilidades para a obtenção da anamnese, exame físico, criação de hipóteses diagnósticas, escolha racional dos exames complementares e abordagens terapêuticas, nas crianças, adultos e idosos.
  • Executar com segurança e em tempo hábil procedimentos de suporte à vida como: flebotomia, instalação de cateteres centrais (intracath), drenagem de tórax, intubação orotraqueal, suturas, drenagens de abscessos e hematomas, biópsias de pele e linfonodos, ressecção de pequenas lesões de pele e subcutâneo, passagem de sondas uretral e naso-gástrica e manobras de ressuscitação cardiorrespiratória.
  • Indicar as transfusões de Hemocomponentes além de prevenir e tratar às reações adversas à estas transfusões.
  • Executar adequadamente o pré-natal, o parto normal e assistir clinicamente ao recém-nascido normal.
  • Executar o exame ginecológico, reconhecendo as principais afecções da área e seu tratamento adequado.
  • Executar e responsabilizar-se pelo atendimento domiciliar, internação domiciliar e cuidados paliativos.
  • Acompanhar e cuidar no domicílio aqueles pacientes que estiveram sob seus cuidados no hospital.
  • Selecionar criticamente, encaminhando os casos que necessitem de tratamento especializado, referenciando-os para serviços de maior complexidade.
Matriz e Componentes 
Mensalidades 

A Universidade adota o Regime Financeiro semestral ou anual de cobrança, de acordo com o Projeto Pedagógico do curso, sendo a semestralidade ou anuidade paga em até 06 (seis) ou em até 12 (doze) parcelas mensais sucessivas, conforme o caso.
 
O cálculo das mensalidades é feito com base em todas as atividades (disciplinas e outros componentes curriculares) relativas a cada período letivo do curso, de acordo com seu Projeto Pedagógico.

Valor da mensalidade

O Edital de Mensalidades é publicado nos quadros de aviso da Universidade e na página oficial eletrônica especifica os valores calculados para cada curso, com base nas atividades pedagógicas previstas.

Aproveitamento de Estudos
O estudante que ingressar através do processo de Transferência ou pelo processo de Portador de Diploma e tiver aproveitamento de estudos e/ou adaptação curricular, realizará a matricula nas atividades pedagógicas de acordo com o plano de estudos elaborado pela coordenação do curso.

Reajustes de mensalidades
Os valores das mensalidades estão sujeitos aos reajustes conforme Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.

Data do vencimento
A data de vencimento de cada mensalidade ocorrerá sempre no dia 5 (cinco) de cada mês.

Pagamento
Os pagamentos efetuados até o dia 1º do mês serão - por mera liberalidade - objetos de um desconto por antecipação, conforme discriminado no boleto. Este desconto pode ser suspenso sem prévio aviso.

Reconhecimento 

Renovação: Portaria Ministerial n°1179 de 23/12/2008 publicada no Diário Oficial em 26/12/2008

Duração 

6 anos

Avaliação do curso 
Sistema de Avaliação do PPC:

A autoavaliação do curso tem como propósito o aprimoramento de seu Projeto Pedagógico (PPC).

Trata-se de um processo contínuo que, por meio de diferentes fontes de informação, analisa a coerência e a efetividade entre princípios da proposta pedagógica e sua dinâmica de funcionamento.

Sua realização está a cargo do Núcleo Docente Estruturante (NDE), da Coordenação Didática do Curso, do Conselho de Faculdade e da Câmara de Graduação.

Por meio da autoavaliação, esses colegiados monitoram a implantação do PPC dialogando com as demandas advindas do cotidiano e com as informações construídas por meio de escutas periódicas. Para tanto são utilizados instrumentos específicos:

a) avaliação contínua do aluno;

b) avaliação das condições de ensino (infraestrutura, equipamentos e gestão acadêmico-administrativa);

c) avaliação dos aspectos didático-pedagógicos do corpo docente, realizada por meio da autoavaliação do professor e da docência pelo aluno.

Envolve também diferentes parcerias da universidade que, direta ou indiretamente, contribuem para a qualidade da formação dos alunos, especialmente os departamentos.

Esse processo articula-se internamente à Autoavaliação Institucional, coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA), situando o curso no contexto da Universidade e, externamente, com o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Essa articulação externa leva em conta os resultados do Enade, as Avaliações in loco e os indicadores de qualidade do MEC, como o Conceito Preliminar de Curso (CPC).
Competência e habilidades 

A formação sólida e humanística, a postura crítica, reflexiva e pró-ativa, tanto na assistência e cuidado ao indivíduo e à sociedade como na busca constante pelo aprimoramento profissional constituem a base do desenvolvimento curricular. Além disso, o curso transcorre nos locais onde o médico atua, propiciando que o estudante, desde o 1º ano vivencie a profissão que escolheu com suas dificuldades e alegrias.  Em síntese, a utilização das metodologias problematizadoras e ativas propiciam e facilitam a aprendizagem significativa. 
 

Áreas de atuação 

O trabalho médico pode ser exercido em diferentes modalidades. Ainda que a primeira imagem gravada na memória de todos seja a do profissional que cuida de seus pacientes, são igualmente importantes tantas outras possibilidades de atuação: na promoção à saúde, na prevenção de agravos, na pesquisa em laboratórios, na docência, na gestão de serviços de saúde, na gerência de atividades empresariais. Assim, o currículo contemporâneo precisa ter a versatilidade que é exigida ao médico nos dias atuais. Nosso projeto pedagógico estimula e propicia estas diferentes experiências da profissão médica.

Vagas turnos e campi 

Campus Sorocaba
100 vagas / Integral (Matutino e Vespertino)

Histórico 

O curso de Medicina de Sorocaba tem 58 anos de história, com 53 turmas já formadas. Antes dele, só as capitais do país eram sede de cursos de Medicina e, portanto, Sorocaba se transformou na primeira cidade interiorana a oferecê-lo. O trajeto histórico consistente repercute na estrutura do campus com seus hospitais (um da própria Universidade, Hospital Santa Lucinda e outros dois conveniados com a Secretaria de Saúde Estadual) e o Centro de Saúde-Escola. Ainda, nossas parcerias com a Secretaria de Saúde do município de Sorocaba e do Estado de São Paulo têm propiciado conquistas relevantes, por intermédio de projetos selecionados vitoriosamente como PROMED, PRÓ-SAÚDE E PET-SAÚDE, formulados de acordo com critérios estabelecidos pelos Ministérios da Saúde e da Educação e com subsídios e colaboração da Organização Pan-Americana de Saúde.

Objetivos 

O currículo se desenvolve segundo eixos norteadores, como ciclo da vida, os aspectos morfo-funcionais do organismo humano, além dos fisiopatológicos que embasam os grandes temas da Medicina. Busca-se fortalecer a análise do ser humano, saudável ou não, em sua integralidade social, psíquica, política, biológica e ética.

O treinamento para busca de soluções de problemas é o grande mote para o exercício da educação continuada, absolutamente primordial para o médico competente. Aliás, as competências do profissional formado é o grande eixo estruturante do projeto pedagógico.
 

Grau 
Bacharelado
Regime de matrícula 
Semestre
Campus 
Campus Sorocaba
Modalidade 
Presencial
Coordenação 
Situação 
Matrículas encerradas

Conecte-se à PUC-SP