Jornalismo

slider

A PUC-SP está com inscrições abertas para seus cursos de especialização,...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/especializacao-aperfeicoamento-e-extensao
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/puc_cogeae_bannercarrossel_620x318.jpg
Estão abertas até 31/7 as inscrições de alunos de graduação interessados em se...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/graduacao-edital-de-bolsas-para-2o-semestre
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/carrossel-bolsas-de-estudo-100-interno-pequeno_1.jpg
A PUC-SP ocupa a 33ª posição entre as universidades da América Latina. O resultado foi...
/assessoria-de-comunicacao-institucional/noticias/puc-sp-entre-melhores-da-america-latina
http://www.pucsp.br/sites/default/files/sites/default/files/noticia/slide/qs-ranking-carrossel-interno.jpg
Apresentação 

Iniciado em 1978, o curso de Jornalismo da PUC-SP praticamente manteve intacta a proposta original aprovada pelo Conselho Universitário de 31 de agosto de 1977, especialmente na fundamentação teórica sobre a necessidade de fornecer sólida formação cultural, humanista, com domínio de linguagem e da produção técnico-profissional nas várias áreas do Jornalismo.

Ao longo de todos esses 30 anos, o curso de Jornalismo passou por apenas três mudanças curriculares para realizar ajustes pontuais. Uma em 1984, decorrente da visita de Comissão do MEC e da Resolução 02/84 do Conselho Federal de Educação, que definiu os currículos das habilitações da Comunicação Social; outra em 1988, quando se redefiniram as denominações e as cargas horárias de algumas disciplinas.

A mudança mais significativa ocorreu mesmo em 1983-1984, quando se consolidou o elenco das disciplinas laboratoriais e as exigências colocadas pelo MEC e pela própria experiência do curso no sentido de estabelecer número máximo de 25 alunos por turma e reorientar essas disciplinas para a dinâmica da produção laboratorial e experimental.

Essa alteração implicou não apenas na estruturação e modernização dos laboratórios, como também na articulação de corpo docente com experiência profissional acumulada no mercado de trabalho jornalístico e na adequação dos professores às respectivas disciplinas específicas do curso – no jornalismo impresso, no rádio, na televisão, na fotografia, na diagramação –, de tal forma a aprofundar e integrar os conhecimentos teóricos e práticos.

Entre 2.000 até 2.004 – com dezenas de reuniões amplas, com a participação democrática de estudantes e professores – pudemos constatar a exigência de novas alterações. Tentamos contemplá-las no primeiro projeto de reforma curricular, que infelizmente, em razão de sua formatação, não foi aprovado pelo Conselho Departamental, o que possibilitou ao curso novos debates, novas reflexões, novas rodadas de entendimento com os professores dos vários departamentos e o amadurecimento de novas propostas para o curso.

Nesta segunda fase da reforma curricular do Jornalismo, ficou evidente que, além de corrigir falhas e fazer a necessária reciclagem e atualização curricular, é preciso reconstruir toda a estrutura do curso, fazer a redefinição de seus eixos, de maneira a compatibilizar disciplinas, conteúdos, carga horária e novos espaços pedagógicos – todos devidamente integrados para proporcionar uma formação mais qualificada e mais adequada aos tempos atuais.

O projeto que se encontra em fase de implantação, amplia – e muito – as alterações reclamadas no diagnóstico do final dos anos 90, refaz as alterações incluídas na primeira proposta de reforma curricular e cria uma nova organização do curso, a começar pela renomeação das disciplinas e sua devida vinculação com a área de origem; flexibiliza a grade para que o estudante possa compor conhecimentos complementares de seu interesse; compatibiliza a simultaneidade de conhecimentos teóricos e laboratoriais; cria a figura do tutor das turmas; regulariza o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC); e abre espaços dinâmicos de interdisciplinaridade e produção experimental – nas mais tradicionais (rádio e TV) e nas mais novas (on-line) da atuação jornalística.

A atual proposta não apenas reforça e consolida a experiência e o conceito acadêmico e público do curso de Jornalismo da PUC-SP, mas deve projetar o curso para um novo patamar de formação – e, com certeza, de referência no campo do ensino do Jornalismo.

É importante ressaltar que a adequação pedagógica do curso fez do Jornalismo referência acadêmica na Universidade. Da Comfil, ele é o curso de maior interesse por parte dos alunos e aquele que apresenta um baixíssimo registro de evasão. A atual grade curricular, a exemplo das passadas, está em consonância com as demandas do jornalismo na atualidade, justificando plenamente o oferecimento do curso.

Formas de Ingresso 
  • Processo seletivo por meio de exame vestibular aberto a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente;
  • Processo seletivo específico para portadores de diploma de graduação, sob condição de existência de vagas abertas pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Matrícula por transferência sob a condição de existência de vaga, obedecendo ao calendário da Universidade ;
  • Prouni, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Reopção de curso, aberta pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade.
Gestão 

As Faculdades são compostas por: Departamentos, Cursos de Graduação, Programas de  Pós-Graduação stricto sensu e lato sensu, Cursos e Atividades de Educação Continuada, Unidades Suplementares e Núcleos Extensionistas.

Compete à Câmara de Graduação:
I - desenvolver estudos que subsidiem o CEPE na elaboração ou alteração da política educacional da PUC-SP, a ser submetidos à apreciação e aprovação do CONSUN e CONSAD;
II - desenvolver estudos, no âmbito do ensino, de forma articulada com a Câmara de Pós-Graduação e Pesquisa, que subsidiem a elaboração dos Projetos Institucionais da PUC-SP, a ser submetidos à apreciação e aprovação do CEPE;
III - propor ao CEPE plano de implementação da política educacional e do desenvolvimento do ensino nas Faculdades, definindo as prioridades;
IV - propor ao CEPE as normas e as orientações técnicas para elaboração e tramitação de programas e projetos de ensino das Faculdades;
V - dar parecer sobre Projetos Pedagógicos de Cursos e propostas de alterações a serem submetidos à aprovação do CEPE;
VI - apreciar os relatórios das avaliações institucionais e de cursos;
VII - promover a auto-avaliação dos Cursos de Graduação das Faculdades, encaminhando ao CEPE relatórios;
VIII - promover estudos das demandas socio-ocupacionais e das transformações na esfera do conhecimento, orientando as Faculdades para a proposição de mudanças curriculares, ou de novas modalidades de Graduação;
IX - subsidiar e supervisionar o desenvolvimento dos Projetos Pedagógicos dos Cursos, zelando pela observância dos mesmos;
X - acompanhar a implementação de novos Projetos Pedagógicos de Cursos;
XI - subsidiar o CEPE nas políticas de extensão referentes à Graduação;
XII - emitir pareceres de mérito sobre projetos de extensão ligados à Graduação;
XIII - exercer outras atribuições previstas em normas ou decididas pelos Colegiados competentes e inerentes à natureza do órgão.

Professores 
Adalton Franciozo Diniz
Adelio Goncalves Brito
Aldo Patricio Flores Quiroga
Alecio Rossi Filho
Alvaro Luiz Travassos De Azevedo Gonzaga
Ana Maria Domingues Zilocchi
Ane Shyrlei De Araujo
Anna Flavia Feldmann
Antonio Carlos Gobe
Antonio Carlos Inarra
Aparecida Regina Borges Sellan
Aquilas Nogueira Mendes
Beatriz Santos Samara
Berenice Pompilio
Carlos Alberto Shimote Martins
Carlos Eduardo Siqueira Ferreira De Souz
Carmen Lucia Jose
Cassiano Butti
Celia Regina Menezes Mello
Claudio Ganda De Souza
Claudir Segura
Cristiano Franco Burmester
Dalva Aparecida Garcia
Donizetti Fermino Louro
Edmilson Felipe Da Silva
Eliane Goncalves
Eliane Robert Moraes
Elias Jose Novellino
Evange Elias Assis
Fabio Cypriano
Fabio Sadao Nakagawa
Fernando Altemeyer Junior
Flaminia Manzano Moreira Lodovici
Francisco Das Chagas Camelo
Glauco Peres Da Silva
Gloria Cortes Abdalla
Hamilton Octavio De Souza
Hermes Renato Hildebrand
Jane Mary Pereira De Almeida
Jarbas Vargas Nascimento
Jelssa Ciardi Avolio
Joao Batista Teixeira Da Silva
Joao Decio Passos
Jose Arbex Junior
Jose Palandi Junior
Jose Salvador Faro
Jozimas Geraldo Lucas
Julio Wainer
Karlene Do Socorro Da Rocha Campos
Lais Guaraldo
Leila Barbara
Leny Cristina Rodrigues Kyrillos
Leonardo Baptista Correia
Lilian Maria Ghiuro Passarelli
Lourdes Malerba Gabrielli
Luciano Crocco
Luiz Carlos De Oliveira Ramos
Luiz Carlos Rondini
Mara Lucia Faury
Marcelo Barbosa Dos Santos
Marcelo Burgos Pimentel Dos Santos
Marcelo Vieira Prioste
Marcos Luiz Cripa
Marcus Vinicius Fainer Bastos
Maria Cibele Gonzalez Pellizzari Alonso
Maria Fachin Soares
Maria Ines Dos Santos Duarte
Mario Augusto De Souza Fontes
Marlivan Moraes De Alencar
Milton Pelegrini
Misaki Tanaka
Moacir Nunes De Oliveira
Monica Birchler Vanzella Meira
Monica Galliano Hehnes
Paulo Jose Carvalho Da Silva
Pedro Angelo Tittanegro
Pollyana Ferrari Teixeira
Rachel Pereira Balsalobre
Rafael De Paula Aguiar Araujo
Rafael Rodrigues Da Silva
Regiane Aparecida Caire Da Silva
Regiane Miranda De Oliveira
Renato Levi Pahim
Ricardo Augusto Halternhoff Melani
Rita De Cassia Alves De Oliveira
Rodrigo Priolli Oliveira Filho
Roselita Lopes De Almeida Freitas
Rosemary Segurado
Sandra De Camargo Rosa Mraz
Sergio Bicudo Veras
Sergio Pinto De Almeida
Sidney Macazzo Caigawa
Silvia Saviano Sampaio
Silvio Roberto Mieli
Sonia Regis Barreto
Suzana Carielo Da Fonseca
Talitha Ferraz De Souza
Thais Curi Beaini
Urbano Nobre Nojosa
Valdir Mengardo
Vera Lucia Marinelli
Victoria Claire Weischtordt
Viviane Lima De Morais
Welhigton Almeida Barros
Wladyr Nader
Yolanda Gloria Gamboa Munoz
Laboratórios 
O curso conta com uma estrutura de laboratórios de informática administrada pela Divisão de Tecnologia da Informação (DTI) da PUC-SP. Com um total de 31 laboratórios de informática, divididos entre os campi Marques de Paranaguá (8), Monte Alegre (19) , Santana (2), Barueri (1) e Sorocaba (1), todos conectados em rede à uma velocidade de 100Mps.

Esses mais de 1000 computadores integram os cerca de 2300 computadores da grande rede PUCSPNet, totalmente conectada à Internet, onde utilizamos um link principal de acesso com velocidade de 1Gbps.

Contamos ainda com uma política de licenciamento de software através de programas educacionais e parcerias com empresas como IBM (IBM Rational), Microsoft (MSDN Academic Alliance), CorelDraw, Adobe (Flash, Dreamweaver, InDesign, Photoshop, Director),  além de softwares específicos como Vue, Cinema 4D, SPSS, SolidWorks, entre outros.
Avaliação do aluno 

Os fundamentos da proposta do currículo, o corpo docente, a chefia do Departamento de Jornalismo e a Coordenação do Curso passam a dispor, juntamente com os estudantes, de um conjunto de mecanismos que permitem um melhor acompanhamento tanto do desempenho do corpo docente quanto do aproveitamento conseguido pelos alunos. Esses dois suportes é que podem estabelecer parâmetros adequados para uma efetiva compreensão dos resultados do processo ensino-aprendizagem. Nessa medida, professores e alunos compõem uma única entidade de observação de práticas e reflexões, experiências e iniciativas culturais que resultam em mensurações que, embora ainda restritas a indicadores numéricos, acabem por se aproximar de forma mais refinada do crescimento intelectual do aluno. Terá papel gradativo, mas importantíssimo nesse conjunto a figura do professor-tutor.

TCC 

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) constitui a etapa final de formação dos estudantes de Jornalismo da PUC-SP e é requisito indispensável para que o aluno, uma vez aprovado, faça jus ao título de graduado.
O TCC deve permitir que os estudantes, individualmente ou em grupo, acompanhados, a partir do 7º Semestre do curso, por um professor-orientador, desenvolvam reflexão aprofundada e um trabalho teórico (ensaio ou monografia) e/ou prático (produto jornalístico) em torno de um tema de relevância para os estudos do Jornalismo.

Características gerais do TCC
A Universidade cumpre uma dupla função: é espaço de reflexão teórica e, ao mesmo tempo, espaço de experimentação. São características indissociáveis tanto do ensino quanto da pesquisa – atividades através das quais a formação acadêmica estende sua ação ao conjunto da sociedade.

No caso do curso de Jornalismo da PUC-SP, esse conjunto de compromissos é perseguido através de princípios que estruturam as atividades docentes e discentes: densa formação humanística, rigorosa capacidade de observação e de análise dos processos sociais, discernimento no tratamento dado ao universo das linguagens que lidam com os fatos do mundo, perspectiva crítica na abordagem dos contextos em que se desenvolvem as ações humanas em todas as esferas, compromisso com a ética profissional e com a ética social.
No curso de Jornalismo, tais características podem, grosso modo, ser sintetizadas nas atividades de apuração dos fatos noticiosos, de sua interpretação e contextualização, de sua elaboração discursiva compatível com um determinado suporte midiático, e de sua disseminação para audiências segmentadas ou massivas. Ao longo de sua formação, o estudante convive com diferentes e complexas abordagens curriculares que lhe permitem desenvolver a acuidade intelectual e aplicada pertinente a essas práticas, culminando no encerramento do curso quando, então, submete à apreciação de uma banca de professores e/ou profissionais um produto que representa e expressa a acumulação de sua competência analítica e experimental.

Quem faz o TCC e quando ele começa a ser preparado
Todo aluno, a partir do 7º semestre do curso, deve estar envolvido – em grupo ou individualmente – na elaboração de um TCC e começa a receber orientação de um professor do Departamento de Jornalismo, de acordo com as modalidades (áreas) oferecidas pelo curso. O pré-requisito para a elaboração do TCC é a disciplina “Elaboração de Projetos”, ministrada no 6º. semestre.

Características dos trabalhos
O TCC com característica de projeto experimental é um trabalho desenvolvido  individualmente ou em grupo de dois a cinco alunos, sob a perspectiva jornalística, documentária ou teórica a ser definida em comum acordo entre o aluno ou grupo e o professor-orientador. O TCC segue normas de Regulamento próprio.

Atividades de formação 

O curso de Jornalismo prevê que as atividades complementares realizadas pelos alunos, ao longo dos oito semestres do curso, sejam computadas na carga horária total, mediante requerimento de solicitação protocolado na Secretaria Acadêmica, desde que devidamente comprovadas por documentação reconhecida pela Coordenação Pedagógica do Curso de Jornalismo, conforme quadro abaixo:

Atividades; Requisitos; Horas/Atividade; Máximo de Horas

1; Projeto de Iniciação Científica; Relatório Final aprovado pelo professor-orientador.; 20; 20
2; Núcleo de Estudos de Jornalismo Perseu Abramo; Relatório Final de trabalho semestral ou anual (estudo/pesquisa/extensão) aprovado pelo professor-orientador.; 10; 20
3; Monitoria; Atestado semestral do professor-orientador.; 10; 20
4; Semana de Jornalismo da PUC-SP; Certificado de Participação em cada semana.; 05; 20
5; Estágio Interno Supervisionado; Certificado de Estágio Interno semestral ou anual na Rede PUC de TV, na TV PUC, na ACI e demais veículos da Universidade desde que supervisionados por professor-orientador do Departamento de Jornalismo.; 05; 10

5; Participação em Encontros, Congressos e Semanas de Jornalismo organizados por universidades e entidades representativas dos estudantes, dos professores e dos profissionais de Jornalismo; Certificado de Participação e Relatório do aluno sobre cada evento, com a aprovação da Coordenação Pedagógica do Curso.; 02; 20

* Todo aluno do curso de Jornalismo precisa cumprir no mínimo 20 horas e no máximo 40 horas de Atividades Complementares.
 

Estágio curricular 

Estágio Interno Supervisionado: Certificado de Estágio Interno semestral ou anual na Rede PUC de TV, na TV PUC, na ACI e demais veículos da Universidade desde que supervisionados por professor-orientador do Departamento de Jornalismo.

Matriz e Componentes 
Mensalidades 

A Universidade adota o Regime Financeiro semestral ou anual de cobrança, de acordo com o Projeto Pedagógico do curso, sendo a semestralidade ou anuidade paga em até 06 (seis) ou em até 12 (doze) parcelas mensais sucessivas, conforme o caso.
 
O cálculo das mensalidades é feito com base em todas as atividades (disciplinas e outros componentes curriculares) relativas a cada período letivo do curso, de acordo com seu Projeto Pedagógico.

Valor da mensalidade

O Edital de Mensalidades é publicado nos quadros de aviso da Universidade e na página oficial eletrônica especifica os valores calculados para cada curso, com base nas atividades pedagógicas previstas.

Aproveitamento de Estudos
O estudante que ingressar através do processo de Transferência ou pelo processo de Portador de Diploma e tiver aproveitamento de estudos e/ou adaptação curricular, realizará a matricula nas atividades pedagógicas de acordo com o plano de estudos elaborado pela coordenação do curso.

Reajustes de mensalidades
Os valores das mensalidades estão sujeitos aos reajustes conforme Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.

Data do vencimento
A data de vencimento de cada mensalidade ocorrerá sempre no dia 5 (cinco) de cada mês.

Pagamento
Os pagamentos efetuados até o dia 1º do mês serão - por mera liberalidade - objetos de um desconto por antecipação, conforme discriminado no boleto. Este desconto pode ser suspenso sem prévio aviso.

Reconhecimento 

Reconhecimento:
Portaria 173 de 02/05/1983, publicada no D.O.U em 05/05/1983, página 7.340

Renovação Reconhecimento:
Portaria nº 705 de 18/12/2013 – DOU em 19/12/2013

 

Duração 

4 anos

Avaliação do curso 
Sistema de Avaliação do PPC:

A autoavaliação do curso tem como propósito o aprimoramento de seu Projeto Pedagógico (PPC).

Trata-se de um processo contínuo que, por meio de diferentes fontes de informação, analisa a coerência e a efetividade entre princípios da proposta pedagógica e sua dinâmica de funcionamento.

Sua realização está a cargo do Núcleo Docente Estruturante (NDE), da Coordenação Didática do Curso, do Conselho de Faculdade e da Câmara de Graduação.

Por meio da autoavaliação, esses colegiados monitoram a implantação do PPC dialogando com as demandas advindas do cotidiano e com as informações construídas por meio de escutas periódicas. Para tanto são utilizados instrumentos específicos:

a) avaliação contínua do aluno;

b) avaliação das condições de ensino (infraestrutura, equipamentos e gestão acadêmico-administrativa);

c) avaliação dos aspectos didático-pedagógicos do corpo docente, realizada por meio da autoavaliação do professor e da docência pelo aluno.

Envolve também diferentes parcerias da universidade que, direta ou indiretamente, contribuem para a qualidade da formação dos alunos, especialmente os departamentos.

Esse processo articula-se internamente à Autoavaliação Institucional, coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA), situando o curso no contexto da Universidade e, externamente, com o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Essa articulação externa leva em conta os resultados do Enade, as Avaliações in loco e os indicadores de qualidade do MEC, como o Conceito Preliminar de Curso (CPC).
Competência e habilidades 
  • registrar fatos jornalísticos, apurando, interpretando, editando e transformando-os em notícias e reportagens;
  • interpretar, explicar e contextualizar informações;
  • investigar informações, produzir textos e mensagens jornalísticas com clareza e correção e editá-los em espaço e período de tempo limitados;
  • formular pautas e planejar coberturas jornalísticas;
  • formular questões e conduzir entrevistas;
  • relacionar-se com fontes de informação de qualquer natureza;
  • trabalhar em equipe com profissionais da área;
  • lidar com situações novas, desconhecidas e inesperadas;
  • compreender e saber sistematizar e organizar os processos de produção jornalística;
  • desempenhar funções de gestão e administração jornalística;
  • desenvolver, planejar, propor, executar e avaliar projetos na área de comunicação jornalística;
  • avaliar criticamente produtos, práticas e empreendimentos jornalísticos;
  • compreender os processos envolvidos na recepção de mensagens jornalísticas e seus impactos sobre os diversos setores da sociedade;
  • identificar o que é informação de interesse público e pautar-se eticamente no tratamento dessas informações;
  • identificar e equacionar questões éticas de Jornalismo;
  • buscar a verdade jornalística, com postura ética e compromisso com a cidadania;
  • manter-se crítico e independente, no que diz respeito às relações de poder e às mudanças que ocorrem na sociedade;
  • dominar a língua nacional e as estruturas narrativas e expositivas aplicáveis às mensagens jornalísticas, abrangendo-se leitura, compreensão, interpretação e redação;
  • dominar a linguagem jornalística apropriada aos diferentes meios e modalidades tecnológicas de comunicação;
  • assimilar criticamente conceitos que permitam a compreensão das práticas e teorias jornalísticas, repercutindo-os sobre sua prática profissional;
  • ter as demais competências e habilidades que caracterizam o trabalho nas circunstâncias em que o jornalista é normalmente inserido.
Áreas de atuação 

O profissional de jornalismo formado pela PUC-SP tem um perfil de atuação nas seguintes áreas: Jornalismo Impresso, Radiojornalismo, TV e Videojornalismo, Jornalismo Online e Fotojornalismo. Portanto, pode desenvolver Produto Jornalístico (Jornal, Revista, Boletim, Livro Reportagem, Documentário, Programa Radiofônico, Programa Televisivo, Site etc), Porduto de pesquisa  (Pesquisa e Ensaio Jornalístico) e Produto de Serviço Jornalístico  (Assessoria de imprensa e eventos culturais).

Vagas turnos e campi 

Campus Perdizes:
50 vagas / matutino
50 vagas / noturno
 

Histórico 

O curso de graduação em Jornalismo da PUC-SP vem acompanhando com amadurecimento crescente esse processo de aproximação entre suas atividades didático-pedagógicas e a necessidade de construção de um corpo de conhecimentos que dê conta das particularidades que deve ter a formação dos alunos. Depois de 30 anos de existência, tendo diplomado cerca de 2000 profissionais com boa inserção no mercado de trabalho – construindo socialmente sua legitimidade – o curso está sintonizado com o que tem ocorrido em toda a área da Comunicação Social. No sentido de perceber a necessidade de que a formação do aluno, tendo em vista os desafios da sociedade contemporânea localizados na crise de paradigmas teóricos atravessada pela cultura dos fetiches do consumo e do mercado, não podia mais se caracterizar por seu feitio genérico e dispersivo, mas por uma ênfase nas características particulares da atividade profissional, embora também aqui as discussões tenham apontado para a necessidade de que essas particularidades não fossem abordadas por um viés praticista e tecnicista, mas interdisciplinar e crítico, tal como aparece agora nesta proposta.

Eixos verticiais de sustentação do curso de Jornalismo:

  • linguagens;
  • formação humanística;
  • formação na área dos processos comunicacionais;
  • formação profissional;
  • atividades de orientação dos alunos;
  • atividades experimentais e laboratoriais.

 Eixos horizontais presentes na concepção das disciplinas:

  • experimentação e inovação de linguagens;
  • ética humanista e profissional;
  • relações entre produção jornalística e o sentido social das transformações tecnológicas.
Objetivos 

O curso de jornalismo segue um principio da filosofia político-pedagógica da PUC-SP, marcado  “por valores éticos humanistas, forte sensibilidade política, vivência democrática e compromisso social”.  Da mesma forma, tem uma tradição critica do cenário da sociedade contemporânea, refletindo sobre seus desafios nacionais e internacionais e as transformações vivenciadas nas atividades do jornalista.

Em conseqüência disso, é possível afirmar que o curso de Jornalismo da PUC-SP tem oferecido à sociedade um contingente de profissionais marcados por uma visão universal e crítica das contradições do mundo contemporâneo, por uma postura humanista e democrática frente ao papel que a informação deve desempenhar na promoção do indivíduo e de seu grupo social, e por uma disposição questionadora dos valores de classe que, através da mídia, querem perpetuar os modos de dominação econômicos-políticos e culturais da sociedade capitalista.
 

Grau 
Bacharelado
Regime de matrícula 
Semestre
Campus 
Perdizes
Modalidade 
Presencial
Coordenação 
Contato 

Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes - FAFICLA
Rua Monte Alegre, 971
Fone: (11) 3670 - 8217 - das 07 às 16 horas

Formulários e Documentos 

...

Eventos 

...

Avisos 

...

Situação 
Matrículas encerradas

Conecte-se a PUC-SP