História



Apresentação 

 

 

Os atuais cursos de História da PUC-SP (bacharelado e licenciatura) resultam da reforma curricular empreendida no ano de 2014. As graduações se norteiam pelo incentivo à capacidade crítica dos alunos para responder aos desafios do mundo contemporâneo e à ampliação do território do professor-historiador nos últimos anos. Ao eliminar a perspectiva da História apenas

historia.jpghistoria-licenciatura.jpg

como disciplina voltada ao estudo de feitos passados, o curso da PUC-SP desenvolve em seus alunos a habilidade de reconhecer a História nos mais distintos vestígios que demonstrem a ação de indivíduos no cotidiano da vida e abre horizontes na sua percepção cientifica, ou seja, em sua postura de educador e pesquisador. A graduação propicia aos estudantes a compreensão do mundo em que vivem, conforme o conhecimento das experiências vividas pelas diferentes sociedades, em tempos e espaços diversos. A integração promovida entre teoria e prática, ensino e pesquisa, produção e transmissão de conhecimento permitem formar um profissional capaz de se posicionar como um pesquisador em atividade contínua, inclusive na área docente.

 

 

 

icon_facebook_hist.jpg Acesse nosso facebook

Formas de Ingresso 
  • Processo seletivo por meio de exame vestibular aberto a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente;
  • Processo seletivo específico para portadores de diploma de graduação, sob condição de existência de vagas abertas pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Matrícula por transferência sob a condição de existência de vaga, obedecendo ao calendário da Universidade ;
  • Prouni, obedecendo ao calendário da Universidade;
  • Reopção de curso, aberta pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade.
Gestão 

As Faculdades são compostas por: Departamentos, Cursos de Graduação, Programas de  Pós-Graduação stricto sensu e lato sensu, Cursos e Atividades de Educação Continuada, Unidades Suplementares e Núcleos Extensionistas.

Compete à Câmara de Graduação:
I - desenvolver estudos que subsidiem o CEPE na elaboração ou alteração da política educacional da PUC-SP, a ser submetidos à apreciação e aprovação do CONSUN e CONSAD;
II - desenvolver estudos, no âmbito do ensino, de forma articulada com a Câmara de Pós-Graduação e Pesquisa, que subsidiem a elaboração dos Projetos Institucionais da PUC-SP, a ser submetidos à apreciação e aprovação do CEPE;
III - propor ao CEPE plano de implementação da política educacional e do desenvolvimento do ensino nas Faculdades, definindo as prioridades;
IV - propor ao CEPE as normas e as orientações técnicas para elaboração e tramitação de programas e projetos de ensino das Faculdades;
V - dar parecer sobre Projetos Pedagógicos de Cursos e propostas de alterações a serem submetidos à aprovação do CEPE;
VI - apreciar os relatórios das avaliações institucionais e de cursos;
VII - promover a auto-avaliação dos Cursos de Graduação das Faculdades, encaminhando ao CEPE relatórios;
VIII - promover estudos das demandas socio-ocupacionais e das transformações na esfera do conhecimento, orientando as Faculdades para a proposição de mudanças curriculares, ou de novas modalidades de Graduação;
IX - subsidiar e supervisionar o desenvolvimento dos Projetos Pedagógicos dos Cursos, zelando pela observância dos mesmos;
X - acompanhar a implementação de novos Projetos Pedagógicos de Cursos;
XI - subsidiar o CEPE nas políticas de extensão referentes à Graduação;
XII - emitir pareceres de mérito sobre projetos de extensão ligados à Graduação;
XIII - exercer outras atribuições previstas em normas ou decididas pelos Colegiados competentes e inerentes à natureza do órgão.

Corpo Docente 

Alberto Luiz Schneider  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 2 anos e 10 meses.

Tempo de Trabalho: 2 anos e 10 meses.

Disciplinas: A formação do estado nacional: os impérios no brasil do século xix (brasil iii)
A formação do estado nacional: os impérios no brasil do século xix (brasil iii)
Optativa - história, literatura e pintura: representações do brasil oitocentista
Pesquisa histórica ii: reflexão metodológica
Tendências da historiografia brasileira

Acessar Curriculo

Alvaro Hashizume Allegrette  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 13 anos e 9 meses.

Tempo de Trabalho: 13 anos e 9 meses.

Disciplinas: Arquivos e museus
Educação patrimonial
Fundamentos e dinâmica do mundo medieval
Fundamentos e dinâmica do mundo medieval - prática de ensino e pesquisa

Acessar Curriculo

Amailton Magno Azevedo  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 9 anos e 4 meses.

Tempo de Trabalho: 9 anos e 2 meses.

Disciplinas: África, áfricas: questões étnico-culturais e étnico-raciais
África, áfricas: questões étnico-culturais e étnico-raciais: prática de ensino e pesquisa
África, áfricas: questões étnico-culturais e étnicos-raciais
África, áfricas: questões étnico-culturais e étnicos-raciais: prática de ensino e pesquisa

Acessar Curriculo

Amilcar Torrao Filho  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 9 anos e 4 meses.

Tempo de Trabalho: 9 anos e 4 meses.

Disciplinas: Produção do conhecimento histórico: do renascimento ao iluminismo (teoria ii)

Acessar Curriculo

Antônio Pedro  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 38 anos e 4 meses.

Tempo de Trabalho: 37 anos e 3 meses.

Disciplinas: Orientação de trabalho de conclusão de curso ii - otccii

Acessar Curriculo

Antonio Rago Filho  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 33 anos e 4 meses.

Tempo de Trabalho: 33 anos e 4 meses.

Disciplinas: História e revolução humana - historicidade da produção marxiana e marxista
Tendências da historiografia contemporânea - século xx

Acessar Curriculo

Arlete Assumpcao Monteiro  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 46 anos e 8 meses.

Tempo de Trabalho: 46 anos e 8 meses.

Disciplinas: Planejamento e políticas públicas educacionais

Acessar Curriculo

Carla Reis Longhi  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 9 anos e 4 meses.

Tempo de Trabalho: 9 anos e 4 meses.

Disciplinas: Tendências da historiografia contemporânea - séc xx
Tendências da historiografia contemporânea - século xx

Acessar Curriculo

Carlos Gustavo Nobrega de Jesus  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 1 anos e 9 meses.

Tempo de Trabalho: 1 anos e 9 meses.

Disciplinas: Arquivos e museus
Cultura e imperialismo 2ª metade do século xx
Diálogos contemporâneos
História e historiografia do brasil: 1ª metade do século xx (brasil iv)
História e historiografia do brasil: 1ª metade do século xx (brasil iv):prática de ensino e pesquisa
Optativa - patrimônio cultural paulista
Orientação de trabalho de conclusão de curso ii

Acessar Curriculo

Ettore Quaranta  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 29 anos e 9 meses.

Tempo de Trabalho: 29 anos e 9 meses.

Disciplinas: Cultura e poder: oriente
Cultura e poder: oriente: história e historiografia
Diáspora ii
Roma antiga e o poder universal romano

Acessar Curriculo

Fernando Torres Londono  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 28 anos e 9 meses.

Tempo de Trabalho: 28 anos e 9 meses.

Disciplinas: História da américa colonial espanhola (américa ii)

Acessar Curriculo

Gustavo de Oliveira Coelho de Souza  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 15 anos e 9 meses.

Tempo de Trabalho: 15 anos e 9 meses.

Disciplinas: Europa ocidental: estados e revoluções (moderna ii)
Revolução industrial, nacionalismos e imperialismos: 1848/1900 (contemporânea ii)

Acessar Curriculo

Joao Evangelista de Souza Lima Neto  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 10 anos e 3 meses.

Tempo de Trabalho: 10 anos e 3 meses.

Disciplinas: História contemporânea iii

Acessar Curriculo

Lauro Avila Pereira  

Titulação:

Anos de Casa: 14 anos e 4 meses.

Tempo de Trabalho: 14 anos e 4 meses.

Disciplinas: Diáspora i

Acessar Curriculo

Luiz Antonio Dias  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 9 anos e 4 meses.

Tempo de Trabalho: 9 anos e 4 meses.

Disciplinas: Estudos temáticos: cultura, alteridade
O brasil republica na 2ª metade do século xx (brasil v)
Práticas de ensino e pesquisa em história i

Acessar Curriculo

Marcia Maria Cabreira Monteiro de Souza  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 11 anos e 4 meses.

Tempo de Trabalho: 11 anos e 4 meses.

Disciplinas: Estudos temáticos: globalização e desafios à nova ordem i
Estudos temáticos: globalização e desafios à nova ordem ii

Acessar Curriculo

Maria do Rosario da Cunha Peixoto  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 37 anos e 9 meses.

Tempo de Trabalho: 37 anos e 9 meses.

Disciplinas: Pesquisa histórica ii: reflexão metodológica
Tendências da historiografia brasileira

Acessar Curriculo

Mauro Luiz Peron  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 18 anos e 4 meses.

Tempo de Trabalho: 18 anos e 4 meses.

Disciplinas: Optativa - o cinema e a interpretação da história
Revolução industrial, nacionalismos e imperialismos: 1848/1900 (contemporânea ii)

Acessar Curriculo

Monica Fatima Valenzi Mendes  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 20 anos e 9 meses.

Tempo de Trabalho: 20 anos e 9 meses.

Disciplinas: Conhecimento pedagógico e docência
Supervisão de estágio i

Acessar Curriculo

Olga Brites  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 27 anos e 3 meses.

Tempo de Trabalho: 27 anos e 3 meses.

Disciplinas: História e historiografia do brasil: 1ª metade do século xx (brasil iv)
História e historiografia do brasil: 1ª metade do século xx (brasil iv):prática de ensino e pesquisa
Pesquisa histórica iv - a escrita da história

Acessar Curriculo

Sandra Machado Lunardi Marques  

Titulação:

Anos de Casa: 43 anos e 9 meses.

Tempo de Trabalho: 43 anos e 2 meses.

Disciplinas: Desenvolvimento das relações educativas: formação biopsicossocial
Diáspora i

Acessar Curriculo

Vera Lucia Vieira  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 47 anos e 8 meses.

Tempo de Trabalho: 44 anos e 0 meses.

Disciplinas: América, américas: movimentos sociais, diversidades, identidades (américa iv)
História contemporânea i
História contemporânea i: prática de ensino epesquisa
Orientação de trabalho de conclusão de curso ii

Acessar Curriculo

Yone de Carvalho  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 29 anos e 7 meses.

Tempo de Trabalho: 29 anos e 7 meses.

Disciplinas: Fundamentos, dinâmica e superação do mundo medieval - o nascimento da europa
Fundamentos, dinâmica e superação do mundo medieval - o nascimento da europa: prát de ensino e pesq

Acessar Curriculo

Yvone Dias Avelino  

Titulação: Doutor(a)

Anos de Casa: 54 anos e 9 meses.

Tempo de Trabalho: 54 anos e 9 meses.

Disciplinas: América, américas: movimentos sociais, diversidades e identidade (américa iv)
Orientação de trabalho de conclusão de curso ii - otccii

Acessar Curriculo

Laboratórios 
O curso conta com uma estrutura de laboratórios de informática administrada pela Divisão de Tecnologia da Informação (DTI) da PUC-SP. Com um total de 31 laboratórios de informática, divididos entre os campi Marques de Paranaguá (8), Monte Alegre (19) , Santana (2), Barueri (1) e Sorocaba (1), todos conectados em rede à uma velocidade de 100Mps.

Esses mais de 1000 computadores integram os cerca de 2300 computadores da grande rede PUCSPNet, totalmente conectada à Internet, onde utilizamos um link principal de acesso com velocidade de 1Gbps.

Contamos ainda com uma política de licenciamento de software através de programas educacionais e parcerias com empresas como IBM (IBM Rational), Microsoft (MSDN Academic Alliance), CorelDraw, Adobe (Flash, Dreamweaver, InDesign, Photoshop, Director),  além de softwares específicos como Vue, Cinema 4D, SPSS, SolidWorks, entre outros.
Avaliação do aluno 
Em cada disciplina ou outro componente curricular previsto no PPC, é atribuída apenas uma nota final resultante do processo de avaliação determinado pelo professor no início do semestre letivo.

A média necessária para a promoção do aluno é 5,0 (cinco).

No processo de avaliação determinado pelo professor ao menos uma das notas deverá ser resultante de uma prova individual feita em sala de aula.

É obrigatório, entretanto, que existam ao menos duas modalidades de avaliação (prova e trabalho, prova e exercício, prova e seminário, entre outras combinações possíveis).
TCC 

O TCC é obrigatório e será realizado entre o 6° e o 8° períodos, totalizando 96 horas fora da matriz. No 6° período, dentro de uma disciplina existem 17 horas para a coordenação geral do TCC. Já a orientação de cada TCC ficará a cargo de todos os professores, os quais deverão aceitar até, no máximo, 5 orientandos.

A escolha dos orientandos deve respeitar ao menos um dos seguintes critérios:

- proximidade de temas entre orientando e orientador (incluindo período histórico a ser trabalhado ou sociedades e grupos culturais investigados)
- proximidade de metodologias e de enfoques teóricos entre orientando e orientador (considerando fontes de pesquisa e bibliografia)

É função do professor orientar o aluno na escolha do tipo de trabalho, do tema, do encaminhamento das problemáticas, das bibliografias e documentos estudados. No 8° período, o Departamento prevê a necessidade de contabilizar, nos contratos dos professores, horas de trabalho específicas para a orientação dos alunos, conforme a avaliação e aprovação da Comissão Didática.

O TCC para a Formação dos Professores abriga, também, o bacharelado. Ou seja, a formação de bacharéis deverá ser avaliada, também, no desenvolvimento do TCC para a formação dos professore e, desse modo, é prevista a seguinte organização:

O TCC poderá ter diferentes formatos e a escolha de um deles depende do professor orientador considerando as possibilidades e necessidades de cada orientando. Os formatos são os seguinte:

- uma monografia que demonstre a capacidade do aluno de situar o tema tanto na historiografia quanto dentro das concepções de educação diretamente relacionadas ao tema escolhido.
- a produção de material didático dentro do qual seja demonstrada a capacidade de compreender diferentes abordagens pedagógicas da história.
- projeto de pesquisa ou trabalho de Iniciação Científica respeitando prazos e normas estipulados pelo CEPE.
- Realização de um programa de curso comentado, com ementa, metodologia de aula, formas de avaliação explicitadas e justificadas, bibliografia seguida do resumo de cada obra mencionada, sempre considerando o ensino de história.

As orientações incluem três momentos:

- Organização do trabalho a partir de reuniões quinzenais com cada aluno, incluindo o estabelecimento de uma agenda com cronograma e etapas da pesquisa
- Desenvolvimento da pesquisa e encontros quinzenais para a orientação e a avaliação progressivas do trabalho
- Avaliação final
 

Atividades de formação 

Considera-se atividade complementar toda atividade de caráter acadêmico, científico e cultural oferecida pelo curso e/ou pela Universidade (monitorias, palestras, seminários, semanas acadêmicas, mesas redondas, comunicação de pesquisa). As atividades complementares podem ser as planejadas pelo Departamento, ou ofertadas por diferentes cursos da Universidade, ou as realizadas por iniciativa do aluno. Tais atividades, após serem reconhecidas pela Comissão Didática, são integralizadas na carga horária do aluno, contando créditos.

Os critérios para o planejamento e a integralização destas atividades na carga horária do aluno, deverão ser a possibilidade de complementar conteúdos curriculares, ou que possam trazer subsídios à sua formação de historiador/docente e ou à elaboração e ou desenvolvimento de seu projeto de pesquisa, ou a seu exercício profissional, em especial para a docência. Devem possibilitar a combinação de atividades teóricas, oficinas, atividades de pesquisa, intervenção e de prática docente.

As atividades complementares presentes em diferentes momentos do curso podem trazer uma importante contribuição à já presente integração entre licenciatura e bacharelado, até porque muitas das disciplinas reunidas no NA e em complementares do Bacharelado se inserem em eixos articuladores, conforme suas descrições mencionadas a seguir, dentro dos quais as relações entre pesquisa e ensino são essenciais.

As atividades complementares também subsidiarão a avaliação do curso, de seu corpo docente e discente. Desse modo, ao serem colocadas ao longo do curso, permitem uma avaliação contínua, progressiva e geral do mesmo. As atividades complementares serão integralizadas em até 200 horas.

Atividades complementares – propostas pelo Departamento; Distribuição de créditos

  • Semana de História – organizada pelo Departamento a cada dois anos, este evento é aberto ao público em geral e visa dar visibilidade aos conhecimentos produzidos pelo Departamento graduação e pós-graduação. Neste evento os graduandos não apenas tomam conhecimento da produção acadêmica da pós-graduação, quanto se inscrevem com sua própria produção. Eventos organizados pela Faculdade de Educação, tais como congressos, seminários, oficinas entre outros; 30
  • Monitorias; 40
  • Participação em atividades de pesquisas dos núcleos de pesquisa do Departamento e Semanas Acadêmicas da Universidade; 60
  • Atividades programadas da pós-graduação stricto senso – desenvolvidas no período vespertino;
  • Oficinas temáticas do curso da pós-graduação lacto senso denominado “História, Sociedade e Cultura”. São ofertadas uma vez por semestre e os alunos da graduação regularmente matriculados são incentivados a participar tanto com a dispensa da aula cujo horário venha a coincidir, quanto por integrarem sua carga horária e pela certificação. ; 40

Atividades complementares – de iniciativa do próprio aluno;

  • Mini-cursos em diversas Faculdades da PUC-SP; 20
  • Participação em atividades de pesquisas vinculadas a pesquisas de outros cursos, departamentos, ou de projetos individuais de professores da própria instituição ou de outras instituições públicas ou privadas; 50
  • Participação em Palestras; Seminários, Mesas redondas, Comunicação de pesquisa nos diferentes cursos da Universidade; 10
  • Atividades junto à comunidade; 60
  • Participação no “Cursinho preparatório para ingresso nos cursos da Universidade”; 30
  • Freqüência a disciplinas de outros departamentos da Universidade; 60
    30
  • Freqüência a disciplinas de outras instituições de 3º grau; 60
    30
  • Efetuar pesquisas em universidades e entidades culturais, investigando e analisando acontecimentos passados e atuais.; 60

*Obs. considerando que a hora aula na PUC-SP é de 50 minutos , foi feita a conversão de 200 h para 240 h/a, para totalizar a carga horária, dentro da mesma unidade de horas.
 

Estágio curricular 

O estágio supervisionado é um momento privilegiado de confrontação direta do aluno com o historiador/docente em sua prática profissional, dentre as quais se destaca a docência. Garante-lhe, portanto, a oportunidade de vivenciar situações didático-pedagógicas capazes de intensificar os laços entre o aprendizado da história e a experiência da docência.

As horas de estágio referem-se à formação dos profissionais em história e estão em grande parte fora da matriz. Elas incluem práticas (PR) vinculadas ao magistério, de pesquisa e de realização de trabalhos coordenados por supervisões, os quais deverão ser organizadas entre os professores atuantes no curso.

Ocupando 400 horas, o estágio ocorrerá a partir da segunda metade do curso (5° período) e está dividido da seguinte maneira:

68 hs/a de supervisão de estágio constam na matriz;

01 disciplina do 5° período
01 disciplina no 7º período; destinadas a introduzir o aluno no exercício do estágio e a organizar a agenda de suas atividades, orientando-o e subsidiando-o metodologicamente, tanto no ensino em geral, quanto na especificidade do ensino da história.

332 fora da matriz curricular; Distribuídas nos quinto, sexto e oitavo períodos; 80 horas em sala de aula (40 horas no Ensino Fundamental e 40 horas no Ensino Médio)

Total: 400 horas

*Obs. considerando que a hora aula na PUC-SP é de 50 minutos , foi feita a conversão de 400 h para 480 h/a, para totalizar a carga horária, dentro da mesma unidade de horas.

Entende-se que o estágio deverá fornecer subsídios para que o aluno se instrumentralize ao exercício profissional, tanto adquirindo o embasamento teórico metodológico necessário para isto, quanto adquirindo condições de compreender a realidade local e específica na qual o estágio se desenvolve (escolas, instituições de pesquisa com acervos documentais, bibliotecas, estudos do meio, etc) e em particular compreender a realidade educacional e de pesquisa do país, considerando seus limites e perspectivas para o futuro.

Pode-se, ainda, considerar como dimensões do estágio as seguintes atividades de preparação e intervenção:

• pesquisas nas escolas, na comunidade e em outros espaços educativos (como ONGs, Museus, Casas de Cultura etc.);
• laboração de projetos de intervenção;
• regência de classe nos diferentes níveis de ensino;
• intervenção em diversos espaços educativos;
• participação em reuniões pedagógicas das instituições nas quais desenvolve estágio;
• participação nos ações de integração entre escola e comunidade.
• participação em oficinas vinculadas a projetos de pesquisa em história, na educação e em áreas afins afetas à profissão.
• estudos do meio
• visitas a experiências de educação e escolaridade alternativas
• desenvolvimento de estratégias de trabalho com cinema, fotografia, obras de arte, quadrinhos, textos de jornal, música, literatura, etc..
• busca documental em acervos para o desenvolvimento de projeto de pesquisa;
• realização de entrevistas para desenvolvimento de projetos de pesquisa;
• participação em atividades de pesquisas dos núcleos de pesquisa do Departamento, ou desenvolvidas por profissionais vinculados à área ou de áreas afins
• participação em Oficinas temáticas que visem o desenvolvimento de competências e habilidades voltadas para a prática profissional do historiador/docente
• organização e desenvolvimento de palestras, seminários, mesas redondas, comunicações de pesquisa
• organização de atividades junto à comunidade voltadas para sua inserção sócio-econômica e/ou de discussão de seus valores culturais
• participação em projetos de inclusão social
• assessorias a museus, bibliotecas, pinacotecas, filmotecas, etc.
• desenvolvimento de atividades de pesquisas junto a universidades e entidades culturais,
• prestação de assessorias em atividades e áreas que possam contribuir para ampliar sua experiência profissional (ex.: assessoria a museus, editoras, produtoras de vídeo e TV)
• práticas vinculadas à produção de materiais de multimídia (vídeos, CD-ROM e trabalhos históricos escritos sobre entidades públicas e privadas e instituições ligadas à sociedade civil)
 

Grade Curricular 
Campus Monte Alegre
Selecione o periodo:
Manhã     Noite    
Mensalidades 

A Universidade adota o Regime Financeiro semestral ou anual de cobrança, de acordo com o Projeto Pedagógico do curso, sendo a semestralidade ou anuidade paga em até 06 (seis) ou em até 12 (doze) parcelas mensais sucessivas, conforme o caso.
 
O cálculo das mensalidades é feito com base em todas as atividades (disciplinas e outros componentes curriculares) relativas a cada período letivo do curso, de acordo com seu Projeto Pedagógico.

Valor da mensalidade
O Edital de Mensalidades é publicado nos quadros de aviso da Universidade e os valores de cada curso são calculados com base nas atividades pedagógicas previstas.

Aproveitamento de Estudos
O estudante que ingressar através do processo de Transferência ou pelo processo de Portador de Diploma e tiver aproveitamento de estudos e/ou adaptação curricular, realizará a matricula nas atividades pedagógicas de acordo com o plano de estudos elaborado pela coordenação do curso.

Reajustes de mensalidades
Os valores das mensalidades estão sujeitos aos reajustes conforme Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.

Data do vencimento
A data de vencimento de cada mensalidade ocorrerá sempre no dia 5 (cinco) de cada mês.

Pagamento
Os pagamentos efetuados até o dia 1º do mês serão - por mera liberalidade - objetos de um desconto por antecipação, conforme discriminado no boleto. Este desconto pode ser suspenso sem prévio aviso.

Reconhecimento 

Renovação de Reconhecimento:
Licenciatura
- Portaria nº 419, de 08/05/2017 – DOU em 10/05/2017
Renovação de Reconhecimento:
Bacharelado
– Portaria nº 1.095, de 28/12/2015 – DOU em 30/12/2015

Decreto Federal nº 11.784 publicado em 24/06/1943.
Renovação de Reconhecimento - Bacharelado - Portaria nº 286, de 21/12/2012 .
Licenciatura - Portaria nº 1.310, de 03/09/2010.

Duração 

Bacharelado - 4 anos - grade 2012 e grade 2014

GRADE - 2012 e 2013 

GRADE - 2014

Licenciatura - 

GRADE - 3 anos - 2012 e 2013 

GRADE - 4 anos - 2014

Avaliação do curso 
Sistema de Avaliação do PPC:

A autoavaliação do curso tem como propósito o aprimoramento de seu Projeto Pedagógico (PPC).

Trata-se de um processo contínuo que, por meio de diferentes fontes de informação, analisa a coerência e a efetividade entre princípios da proposta pedagógica e sua dinâmica de funcionamento.

Sua realização está a cargo do Núcleo Docente Estruturante (NDE), da Coordenação Didática do Curso, do Conselho de Faculdade e da Câmara de Graduação.

Por meio da autoavaliação, esses colegiados monitoram a implantação do PPC dialogando com as demandas advindas do cotidiano e com as informações construídas por meio de escutas periódicas. Para tanto são utilizados instrumentos específicos:

a) avaliação contínua do aluno;

b) avaliação das condições de ensino (infraestrutura, equipamentos e gestão acadêmico-administrativa);

c) avaliação dos aspectos didático-pedagógicos do corpo docente, realizada por meio da autoavaliação do professor e da docência pelo aluno.

Envolve também diferentes parcerias da universidade que, direta ou indiretamente, contribuem para a qualidade da formação dos alunos, especialmente os departamentos.

Esse processo articula-se internamente à Autoavaliação Institucional, coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA), situando o curso no contexto da Universidade e, externamente, com o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Essa articulação externa leva em conta os resultados do Enade, as Avaliações in loco e os indicadores de qualidade do MEC, como o Conceito Preliminar de Curso (CPC).
Competência e habilidades 

A ampliação do território do professor-historiador nos últimos anos tem correspondido a um redimensionamento da sua atuação em museus, arquivos, centros de memória, empresas, meios de comunicação, escolas, nas organizações ligadas ao meio ambiente, ao patrimônio, à história da tecnologia e das artes, ou nas atuações que aglutinam politicamente os trabalhadores, assim como naquelas voltadas aos problemas da comunidade. Esta ampliação ocorre também no reconhecimento da história como resultado das ações humanas e, portanto, em integração com todos os campos do conhecimento. Elimina-se, assim, a perspectiva da história apenas como disciplina voltada ao estudo de feitos passados. A habilidade de reconhecer a história nos mais distintos vestígios que demonstrem a ação de indivíduos no quotidiano da vida amplia as possibilidades de atuação dos historiadores no exercício do magistério em todos os graus de ensino. Além disso, abre horizontes na sua percepção cientifica, ou seja, em sua postura de educador e pesquisador, preocupado tanto com o aprofundamento do conhecimento na área, quanto com o conhecimento da percepção da história que os discentes possuem e/ou necessitam desenvolver.

É necessário que o curso de História atenda a essas demandas, oferecendo, além de parcerias, estágios, disciplinas e cursos de extensão, a possibilidade de questionar a perspectiva eurocêntrica e etnocêntrica da História e de escapar do risco de retirar desta última a riqueza cultural presente em todas as épocas e sociedades. Para tanto, o curso considera que a formação do historiador/professor supõe o domínio de diversas maneiras de produzir conhecimento, de interpretar o mundo e particularmente de estimular, no exercício de sua profissão docente, conforme os preceitos pedagógicos, o desenvolvimento das habilidades cognitivas para o reconhecimento da história, assim como dos valores e práticas que fazem de todos nós sujeitos sociais e, portanto, produtores de história.

 

Áreas de atuação 

O Licenciado em História está habilitado para o Magistério no ensino fundamental, médio e superior; prestação de serviços para instituições públicas e privadas- arquivos, museus, centros de memória e documentação e outros- voltados à preservação do patrimônio histórico; consultoria a profissionais da área de comunicação; prestação de serviços de pesquisa e avaliação na área de políticas públicas.

O Bacharel em História está habilitado para a prestação de serviços para instituições públicas e privadas- arquivos, museus, centros de memória e documentação e outros- voltados à preservação do patrimônio histórico; consultoria a profissionais da área de comunicação; prestação de serviços de pesquisa e avaliação na área de políticas públicas.

 

Vagas turnos e campi 
Histórico 

Os atuais cursos  de História – Bacharelado e  de História – Licenciatura  resultam da reforma curricular empreendida pelos professores do Departamento de História no ano de 2013, reafirmando a necessidade de integração entre Ensino, Pesquisa e Extensão, assim como a articulação entre a graduação e os cursos de pós-graduação stricto e lato sensu. Os Cursos norteiam-se ainda pelo incentivo à capacidade crítica dos alunos para responder aos desafios do mundo contemporâneo.

Objetivos 

Em linhas gerais o curso de História busca propiciar aos  ingressantes a possibilidade de compreender o mundo em que vivem, conforme o conhecimento das experiências vividas pelas diferentes sociedades, em tempos e espaços diversos;  Formar um profissional  apto para atuar em âmbitos concernentes ao campo do historiador- professor/pesquisador, capaz de posicionar-se como um pesquisador em atividade contínua;

  • Promover o entendimento de que a pesquisa histórica (definição de um tema e sua problematização, elaboração de referenciais teóricos e crítica historiográfica, definição e análise de um corpo documental adequado) é essencial à formação do historiador- professor/pesquisador, qualquer que seja o campo profissional no qual venha a atuar. Assim, este projeto volta-se para a compreensão do próprio ensino como pesquisa e a sala de aula como espaço de produção de conhecimento em qualquer nível de escolaridade;
     
  • Garantir a integração entre teoria e prática, entre ensino e pesquisa, produção e transmissão de conhecimento; promovendo a formação articulada do historiador e do pesquisador, exercitando-o nas práticas investigativas de modo a capacitá-lo a incorporar a pesquisa, em sua ação profissional, como princípio organizador de todas as suas atividades e a considerar o próprio ensino como pesquisa e não como um mero recurso “pedagógico”.
     
  • Formar um profissional apto para atuar na docência (Licenciado) ou em outros campos concernentes ao campo do professor-historiador, capaz de posicionar-se como um pesquisador em atividade contínua;
Grau 
Bacharelado
Licenciatura
Regime de matrícula 
Semestre
Campus 
Campus Perdizes
Inscrição 


 

Modalidade 
Presencial
Coordenação 
  • Coordenador
    Prof. Lauro Ávila Pereira 

  • Vice-coordenador
    Prof. Dr. Fernando Torres Londoño

Contato 

Campus Perdizes
Rua Monte Alegre, 984
Perdizes - São Paulo - SP
CEP: 05014-901

Telefone Secretaria: (0xx11) 3670-8337/3670-8108
Fone Departamento: (0xx11) 3670-8120
E-mail: facsoc@pucsp.br

Eventos 

XV SEMANA DE HISTORIA (2016)

 Anualmente, no segundo semestre, o Departamento de Historia realiza a "Semana de Historia". Em 2016 será realizada a XV Semana, cuja organização fica a cargo dos docentes e dos alunos da graduação. O evento inclui mini-cursos, palestras, Grupos de Trabalho (GTs) e é aberto ao publico interessado, tanto para participarem como ouvintes, como para proporem atividades.

PALESTRAS

Ao longo do semestre são convidados especialistas para palestrarem com os alunos da graduação sobre temas afetos aos programas desenvolvidos nas disciplinas. Tais palestras integram as atividades complementares previstas no Plano Acadêmico. 

Revistas 

O departamento de História possui uma revista que, lançada em 1982, é considerada uma das melhores revistas de História do país.

Classificada como QUALIS-A2, intitula-se PROJETO HISTÓRIA - Revista do programa de pós-graduação em História da PUC-SP. Para acessar, clique aqui.

 

Situação 
Matrículas encerradas
ID Curso Totvs 
223
ID Filial Totvs 
1
Matriz Curricular 
Última atualização: 14/12/2017

Conecte-se à PUC-SP