Home > O que fazemos

O que fazemos

O Coral da PUC agrega e une pessoas que tem habilidades vocais e interesse de desenvolver sua musicalidade. São indivíduos de várias formações, idades e interesses como acontece na maioria dos corais amadores. Nestes 37 anos de trabalho conquistou seu lugar como uma das importantes e expressivas manifestações culturais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

O que é a música? Saiba mais...

CUCA - “30 Anos Cantando História”

No ano de 2003 o CUCA através da criação de um grande musical cênico, comemorou os 30 anos de história do Coral da PUC/TUCA, inserindo-o efetivamente no meio cultural externo da universidade, traçando um paralelo entre a música e os fatos políticos e sociais que fizeram da PUC um centro gerador de desenvolvimento da cidade de São Paulo, sinônimo de reivindicações e luta pela democracia.

A concretização deste projeto se deu com a montagem de um musical, com 60 cantores/atores e três músicos que coloriram a narrativa dramatúrgica através de um roteiro associado à história da resistência da PUC ao regime militar instaurado em 64 no Brasil, sua presença na vanguarda da redemocratização do país nos anos 80 os avanços sociais e políticos nos anos 90 .

Todos esses fatos estavam associados às músicas que marcaram o repertório do CUCA em três décadas de história e foram realizados em apresentações no estado de São Paulo – capital, nos teatros do circuito do estado e no Teatro Tuca, em outubro de 2003.

O CUCA, formado por cerca de 60 vozes, ofereceu ao público a vivência de 30 anos de música e história, em que as relações entre seus componentes da época e de hoje, deram o tom do espetáculo, com suas experiências e afinidades musicais, contadas a partir do que mais os une, o canto.

Coral em "30 anos cantando História".  
 

Título: Depoimento da diretora cênica Lucia Merlino

''Foi uma agradável surpresa entrar em contato com a dinâmica de um coral.
Há muitos anos vinha trabalhando com as artes cênicas, onde geralmente há uma enorme predisposição para individualidades exacerbadas e mergulhos solitários em busca de qualidades específicas de interpretação.
E de repente, lá estava eu, na direção de um espetáculo de canto coral. Encontrei um coletivo de pessoas de diferentes classes socio-econômicas, harmoniosamente integradas naquelas horas de convívio durante os ensaios. Dispostas a perder a noção de individualidade para construir a beleza e a magia da produção vocal coletiva. Que lindo foi ver nos narcísicos dias de hoje essa renúncia em prol da coletividade, essa participação quase que anônima na construção de uma sonoridade coletiva. Lindo porque é através dessa mesma renúncia que se constitui verdadeiramente uma individualidade sadia, integrando cada coralista na comunidade e valorizando a alegria do fazer artístico.
Foram três espetáculos emocionantes: Quixotes, Macunaíma e Trinta anos cantando História.
Obrigada pela oportunidade de experimentar a maravilha de coesão que a música pode proporcionar!
Parabéns, Cuca!''
Lúcia Merlino