Apresentação Resumida

O Centro de Pesquisas Sociossemióticas (CPS) tem como objetivo central desenvolver pesquisas e análises que clarifiquem os conteúdos, o funcionamento e os modos de produção e apreensão da significação nos diferentes discursos e práticas sociais. Desde sua fundação, em 1994, por iniciativa de pesquisadores do Centre National de la Recherche Scientifique, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, o CPS funciona como um centro interinstitucional.


No campo da semiótica discursiva, também chamada de semiótica estrutural, semiótica francesa ou sociossemiótica (como vai ser adotada na nomeação do Centro) - teve seu nascedouro nas postulações de Algirdas Julien Greimas, no final dos anos 60, e foi desenvolvida como uma arquitetura teórica e metodológica pela ação conjunta de um grupo de colaboradores, dentre os quais Eric Landowski, que alicerça esse agrupamento brasileiro. A partir da iniciativa de Eric Landowski, José Luiz Fiorin e Ana Claudia de Oliveira o CPS foi formado, cadastrado na PUC-SP como centro de pesquisa e no Diretório do CNPq. Hoje, o CPS congrega pesquisadores das mais diferentes áreas vinculados a universidades e instituições de pesquisa de várias regiões do Brasil que se reúnem na sede na PUC-SP em função das investigações semióticas realizadas.


As atividades regulares do CPS dividem-se em quatro grandes frentes. A primeira delas é a pesquisa propriamente dita. Esta é desenvolvida coletivamente no interior dos ateliers, grupos de estudo, discussão e investigação, nos quais os membros do CPS reúnem-se em torno de grandes linhas temáticas. Os ateliers são renovados a cada ano em função dos interesses de pesquisa dos antigos e novos membros do CPS. A segunda compreende as atividades de formação e atualização de pesquisadores. Estas envolvem a promoção de ciclos de estudo, jornadas, seminários, conferências e cursos ministrados por especialistas do país e do exterior ou por membros do próprio CPS. A terceira compreende análises de mercado e de consumo por meio de pesquisas e de consultorias prestadas junto a agências de publicidade, empresas e instituições para estudo semiótico da identidade institucional, de marcas e de produtos. O CPS conta também com uma editora que responde pela sua quarta frente de trabalho: a publicação dos resultados mais relevantes de suas pesquisas e dos trabalhos de semioticistas, brasileiros e estrangeiros, incluindo tanto as investigações mais recentes quanto os textos que já se tornaram referência obrigatória no campo da semiótica discursiva.


Como parte de suas atividades regulares, o CPS realiza um colóquio anual para divulgação e debate das pesquisas desenvolvidas pelos ateliers no ano em curso, ocasião em que a maior presença dos participantes é conseguida e que torna suas pesquisas mais visíveis.